FUTSAL

Equipas minhotas contra dualidade de critérios para as subidas de divisão

Piratas de Creixomil, São Mateus, da AF Braga, e Gondarém, da AF Viana do Castelo estão contra a dualidade de critérios para as subidas de divisão que a Federação Portuguesa de Futebol impõe às modalidades por si tuteladas (Futsal, Futebol e Futebol de Praia).

Os três clubes do Minho fazem parte de um grupo de clubes de Futsal que cedo se manifestou sobre a questão das subidas no Futsal. O grupo apresentou mesmo algumas propostas para solucionar a questão. No entanto, e não tendo qualquer resposta às propostas apresentadas, os clubes solicitam agora uma reunião com o Presidente da FPF Dr. Fernando Gomes.

No comunicado divulgado esta semana, o grupo de clubes lembra que “na base da pirâmide do Futsal em Portugal estão centenas de clubes que participam nas Competições Distritais por todo o país, a quem a FPF se deverá obrigar a respeitar considerando a necessidade de subida de divisão dos clubes em primeiro lugar nos Campeonatos Distritais no momento das interrupções das competições em abono da verdade desportiva e prevenindo um grave prejuízo desportivo com danos irreparáveis na base da modalidade”.

No comunicado, os clubes referem ainda que “ao não determinar subidas de divisão na presente época, a FPF está a negar o mérito desportivo à data do termino das competições” e vai mais longe “esta decisão, e perante a incerteza quanto a uma segunda vaga da epidemia Covid-19, a FPF põe desde já todas as competições nacionais e distritais de Futsal, que organiza, sem qualquer sentido de existência ou programação para a época desportiva 2020/2021”.

De resto, “ao decidir que clubes irão subir numa determinada competição de futebol e não o fazer para todas as competições por si tuteladas, a FPF põe em causa não só os próprios estatutos pelos quais se deverá reger, numa decisão desleal e desigual, mas acima de tudo toma uma decisão que envergonha e desrespeita milhares de atletas, dirigentes e treinadores de todo o país”.

Comentários

Artigos relacionados

Botão Voltar ao Topo

COVID-19

Nas áreas afetadas, a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda medidas de higiene e etiqueta respiratória para reduzir a exposição e transmissão da doença: • Medidas de etiqueta respiratória: tapar o nariz e a boca quando espirrar ou tossir, com um lenço de papel ou com o antebraço, nunca com as mãos, e deitar sempre o lenço de papel no lixo; • Lavar as mãos frequentemente. Deve lavá-las sempre que se assoar, espirrar, tossir ou após contacto direto com pessoas doentes. Deve lavá-las durante 20 segundos (o tempo que demora a cantar os “Parabéns”) com água e sabão ou com solução à base de álcool a 70%; • Evitar contacto próximo com pessoas com infeção respiratória; • Evitar tocar na cara com as mãos; • Evitar partilhar objetos pessoais ou comida em que tenha tocado. Seja responsável, faça a sua parte. Respeite o isolamento social. #JUNTOSVENCEREMOS