CICLISMO

Noah Campos e Rodrigo Neves no pódio no Prémio HM Motor

Noah Campos (Landeiro/KTM/Matias&Araújo/Frulact) e Rodrigo Neves (CC Barcelos /A.F.F./Flynx/H.M. Motor) alcançaram o pódio na corrida de Juniores do 4.º Prémio HM Motor, que se realizou na tarde de domingo e teve como vencedor João Martins (Póvoa Cycling Academy/CDC Navais).

Na reta da meta, o ciclista do Póvoa foi mais forte no sprint e conseguiu ultrapassar Noah Campos que entrou na curta ligeiramente adiantado. Rodrigo Neves, Júnior de primeiro ano, bateu-se de igual para igual com os dois adversários e conseguiu agarrar o terceiro lugar.

A corrida de Juniores do Prémio HM Motor, com uma extensão de 83,3 quilómetros, foi sempre muito animada. Logo nos quilómetros iniciais Gonçalo Peralta (Escola Ciclismo Bruno Neves) e Rafael Areias (Póvoa Cycling Academy/CDC Navais) tentarem escapar ao pelotão. Rafael Areis não consegue aguentar-se na fuga e é absorvido pelo pelotão, mas Gonçalo Peralta manteve-se na frente da corrida. O pelotão tenta reagir através de Francisco Pereira (CC Barcelos /A.F.F./Flynx/H.M. Motor) e Henrique Gomes (Talho do Povo/S. Pintos – Ramalde), que tentam chegar à frente da corrida e conseguem anular a fuga já no concelho de Famalicão.

As tentativas de fuga foram várias e ainda no concelho de Famalicão Gabriel Ferreira (EFAPEL) e Rafael Soares (Alcobaça) tentam escapar, mas a verdade é que à passagem da primeira hora de corrida o pelotão seguia compacto.

BRUNO LOPES NA FUGA

À entrada do concelho de Braga o vimaranense Bruno Lopes (ACR Roriz) e Diogo Oliveira (Santa Maria Feira) atacam e deixam para trás um pelotão que parece ter sido apanhado de surpresa. A fuga manteve-se durante vários quilómetros e vai aumentando a vantagem de tempo para o pelotão, que chegou a ser mais de dois minutos.

Já a entrar na zona de Barcelos um grupo de três elementos, composto por Henrique Matias (EC Bruno Neves), Rafael Soares (Alcobaça) e Francisco Alves (Póvoa), saltam do pelotão e vão em perseguição dos fugitivos, conseguindo apanhar o duo da frente em Cervães.

Ainda no concelho de Vila Verde assiste-se à forte reação do primeiro grupo do pelotão, que consegue anular a fuga e à passagem por Roriz já rolava compacto e assim permaneceu até à entrada da reta da meta.

DECISÃO AO SPRINT

No final um grupo alargado de ciclistas entrava na corrida pela vitória. Os mais fortes foram João Martins (Póvoa Cycling Academy/CDC Navais), Noah Campos (Landeiro/KTM/Matias&Araújo/Frulact) e Rodrigo Neves (CC Barcelos /A.F.F./Flynx/H.M. Motor) foi terceiro.

Na quarta posição ficou Duarte Domingues (EC Bruno Neves) e Tiago Nunes (ADRAP) foi quinto classificado.

No top 10 ficaram ainda Leonardo Neves e André Ribeiro (CC Barcelos). Diogo Carreiras (ACR Roriz) concluiu na 12.ª posição e Luís Moreira (CC Barcelos) foi 13.º Gonçalo Amaral, famalicense da UC Trofa, e Pedro Pinto (ACR Roriz) terminam no top20. O melhor ciclista da Tensai/Sambiental/Santa Marta foi Rúben Benedito.

NOAH CAMPOS: “FICOU UM SABOR AGRIDOCE…”

Noah Campos considerou que “esta foi uma prova muito boa e foi lindo passar por estradas conhecidas” e adiantou que “é uma sensação indiscritível correr em casa, com tanto público a apoiar a equipa”.

O ciclista de Roriz salientou que “ter tantas caras conhecidas ao longo do percurso deu uma motivação extra” e a passagem por Roriz “foi muito especial”.

O que faltou para levares a vitória? “Faltou umas pedaladas mais fortes… estive muito perto da vitória” disse Noah Campos que referiu que “estou contente pelo trabalho feito, mas no fim fica sempre um sabor agridoce”.

Chegaste a acreditar que podias ganhar a corrida? “Sim… quando entrei na última curta em primeiro, pensei que podia ganhar… Sabia que o João é forte no sprint e estava a tentar controlar, mas ele foi mais forte e tenho de lhe dar os parabéns. Como todos ele também trabalha para isto e hoje ganhou”.

RODRIGO NEVES: “ESTOU MUITO ORGULHO”

“Esteve quase…” disse Rodrigo Neves, ciclista do CC Barcelos que está no seu primeiro ano de Júnior e que ontem levou ao rubro o muito público que estava na reta da meta e que ansiava por uma vitória do atleta da ‘casa’.

Rodrigo Neves referiu que “no final até fiquei entalado entre o João e o Noah, mas são coisas da corrida… podia ter escolhido melhor a trajetória, mas agora é pensar já na próxima e esperar que corra melhor”.

O atleta do CC Barcelos considerou, no entanto, que “estar na discussão da corrida e ir ao pódio foi muito positivo, ainda mais porque é a nossa prova” e salientou que “tive um grande apoio dos meus colegas, ajudaram-me bastante para chegar aqui em condições de disputar a corrida. Foi um grande trabalho de equipa”.

Sentiste ao longo do percurso o apoio do público? “Sim, tinha muito público a apoiar-nos, o que nos deu mais força para lutarmos por um bom lugar”, disse Rodrigo Neves, que garantiu que “saio daqui muito satisfeito. Não ganhei, mas foi uma corrida muito boa e positiva”.

De resto “a vitória por equipa compensou todo o nosso esforço. Não estava a pensar vencer por equipas, pois só partimos com cinco atletas…e para fechar aos três com cinco atletas não é fácil, mas correu bem e estou muito orgulhoso”.

JOÃO MARTINS: “FOI UMA PROVA QUE GOSTEI DE CORRER”

João Martins garantiu na reta final a vitória ao mostrar-se mais forte no sprint final. O atleta do Póvoa salientou que “foi uma prova, que se adaptava às minhas características. Uma prova que gostei de correr e em que os adversários estiveram à altura até ao último metro como se pode ver”.

“A equipa conseguiu controlar bem a corrida, de maneira a ter sempre atletas na frente da corrida e quando isso não aconteceu o pelotão estava compacto. A equipa trabalhou bem e eu estou muito orgulho deles e agradeço-lhes pelo trabalho que fizeram hoje por mim. Esta vitória não é só minha, mas é deles também”.

Quando percebeste que podias ganhar? “Eu já conhecia esta chegada, já corro aqui em Barcelos há muitos anos. Sabia que era uma chegada difícil, mas como a conhecia soube lidar com ela. Entrei na curva bem e consegui fazer um bom sprint de maneira a ganhar”.

Comentários

Artigos relacionados

Botão Voltar ao Topo

COVID-19

Nas áreas afetadas, a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda medidas de higiene e etiqueta respiratória para reduzir a exposição e transmissão da doença: • Medidas de etiqueta respiratória: tapar o nariz e a boca quando espirrar ou tossir, com um lenço de papel ou com o antebraço, nunca com as mãos, e deitar sempre o lenço de papel no lixo; • Lavar as mãos frequentemente. Deve lavá-las sempre que se assoar, espirrar, tossir ou após contacto direto com pessoas doentes. Deve lavá-las durante 20 segundos (o tempo que demora a cantar os “Parabéns”) com água e sabão ou com solução à base de álcool a 70%; • Evitar contacto próximo com pessoas com infeção respiratória; • Evitar tocar na cara com as mãos; • Evitar partilhar objetos pessoais ou comida em que tenha tocado. Seja responsável, faça a sua parte. Respeite o isolamento social. #JUNTOSVENCEREMOS