CICLISMO

José Gonçalves (W52/FC Porto) quinto no Contrarrelógio

José Gonçalves, ciclista de Barcelos que alinha na W52/FC Porto, foi hoje o quinto mais rápido na quarta etapa da Volta ao Alentejo, um Contrarrelógio Individual de 8,4 quilómetros, que disputou em Castelo de Vide.

O ciclista barcelense gastou 13 minutos para percorrer o trajeto, gastando mais 21 segundos que o vencedor, o venezuelano Orluis Aular (Caja Rural-Seguros RGA).

Com o resultado no Contrarrelógio José Gonçalves ascendeu ao quinto lugar da Classificação Geral, estando a 40s Orluis Aular, e é o minhoto melhor classificado em prova.

Daniel Freitas, famalicense da Rádio Popular/Paredes/Boavista, ocupa a sexta posição, com o mesmo tempo de José Gonçalves. Na etapa de hoje o famalicense foi o oitavo classificado.

No Contrarrelógio de realçar ainda o 17.º lugar do vianense Iúri Leitão (Caja Rural), que gastou mais 42s que o vencedor, enquanto Pedro Silva (Glassdrive/Q8/Anicolor) fez o 21.º lugar da prova, sendo o segundo melhor Sub-23. Pedro Silva ascendeu assim ao segundo lugar na Geral da Juventude, atrás de Pelayo Sanchez (Burgo BH).

TIAGO MACHADO NO TOP30

Tiago Machado, famalicense da Rádio Popular) continua em alta na Volta ao Alentejo e no Contrarrelógio alcançou o 26.º melhor tempo, a 49s do vencedor. Tiago Machado ocupa a 13.ª posição da Classificação Geral e é ainda sétimo na Geral Pontos.

O vimaranense José Mendes (Aviludo/Louletano/Loulé Concelho) fez o 27.º tempo, enquanto João Matias (Tavfer/Mortágua/Ovos Matinados) foi 38.º.

Hélder Gonçalves (Kelly/Simoldes/UDO) foi 49.º, o seu colega de equipa, o vianense César Fonte, foi 50.º, Pedro Miguel Lopes (Rádio Popular) terminou no 83.º e João Benta, esposendense da EFAPEL Cycling foi 88.º classificado.

Este domingo disputa-se a última etapa da 39.ª Volta ao Alentejo, uma ligação entre Castelo de Vide e Évora ao longo de 171,9 quilómetros.
Comentários

Artigos relacionados

Botão Voltar ao Topo

COVID-19

Nas áreas afetadas, a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda medidas de higiene e etiqueta respiratória para reduzir a exposição e transmissão da doença: • Medidas de etiqueta respiratória: tapar o nariz e a boca quando espirrar ou tossir, com um lenço de papel ou com o antebraço, nunca com as mãos, e deitar sempre o lenço de papel no lixo; • Lavar as mãos frequentemente. Deve lavá-las sempre que se assoar, espirrar, tossir ou após contacto direto com pessoas doentes. Deve lavá-las durante 20 segundos (o tempo que demora a cantar os “Parabéns”) com água e sabão ou com solução à base de álcool a 70%; • Evitar contacto próximo com pessoas com infeção respiratória; • Evitar tocar na cara com as mãos; • Evitar partilhar objetos pessoais ou comida em que tenha tocado. Seja responsável, faça a sua parte. Respeite o isolamento social. #JUNTOSVENCEREMOS