CICLISMO

Rolando Silva: “quero evoluir o máximo possível”

Rolando Silva é uma das promessas da equipa Júnior do CC Barcelos/A.F.F./Flynx/H.M. Motor. O ciclista de 16 anos, oriundo da zona do Porto, chegou a Barcelos esta temporada e está apostado em evoluir o máximo possível para um dia chegar à elite da modalidade.

Rolando Silva confessa-se muito satisfeito por ter ingressado no CC Barcelos, onde encontrou “uma grande família unida”, que tem ajudado a ultrapassar esta fase menos positiva que se está a viver. O ciclista portuense garante ainda que está preparado e com saudades das provas, por isso, anseia pela realização do 2.º Prémio HM Motor.

“PREPARAÇÃO ESTÁ A CORRER BEM”

Rolando Silva garante que “a preparação está a correr bem”, claro que “à medida que o tempo passa a motivação tem diminuído, é muito tempo sem provas, mas faço de tudo para me manter focado. Para me preparar o melhor possível para o ano que vem”.

De resto, os atletas do CC Barcelos têm agora uma motivação extra para os treinos. Para o dia 27 está agendado o 2.º Prémio HM Motor, que se realiza em Barcelos…“nós estamos em boa forma e temo-nos preparado bem para a prova”, disse Rolando Silva que garante que “a existência da prova em Barcelos tem nos motivado bastante. Queremos fazer um excelente resultado em casa”.

O CC Barcelos tem mantido um ritmo de treinos de equipa e Rolando Silva considera que “os treinos de equipa, que realizamos ao fim de semana, são muito importantes para nós. Todos queremos sempre estar melhor que os outros e então isso motiva-nos a treinar mais e melhor”.

AS SUBIDAS NOS TREINOS DE DOMINGO

“Depois todas as semanas fazemos treinos em locais diferentes. Aos domingos vamos fazer um treino com muita subida sempre a locais diferentes. Já fazemos isto desde o fim do confinamento e ainda há subidas por fazer”, disse o ciclista do CC Barcelos, que acrescentou que “estes treinos mantem-nos muito focados, muito motivados e dá-nos vontade de continuar a treinar, mesmo sem termos grandes provas pela frente”.

Rolando Silva chegou ao clube barcelense este ano, mas garante que “treinar com o senhor Alberto é outra coisa. Quando é preciso ela dá-nos na cabeça e quando é preciso uma palavra de motivação ele também está lá, é o primeiro a fazê-lo. O senhor Alberto sabe separar os momentos. É um excelente treinador que nos esta a fazer evoluir muito”.

Rolando Silva entrou para o CC Barcelos esta temporada… “estive três anos no Ramalde, que era o clube que ficava perto de casa, depois mudei para o Maia para dar um passo em frente na evolução no ciclismo. Tornei-me amigo dos gêmeos Saleiro e então e decidimos vir para Barcelos”.

CC BARCELOS? “A EXPERIÊNCIA ESTÁ A SER ÓTIMA”

O ano não está a correr como era esperado, devido à pandemia que obrigou ao cancelamento de todas as competições, mas “a experiência está a ser ótima, todos os atletas se dão bem e há uma grande união não só entre ciclistas, mas também com todo o staff. Entrei este ano, mas parece que sempre estive aqui. Toda a gente sabe e sente-se numa família”.

Rolando Silva está há pouco mais de quatro anos no ciclismo e confessa que até nem era fã da modalidade. “Eu não era, propriamente, adepto de ciclismo, mas há uns anos um professor meu estava a ver o Tour e então comecei a ver e a gostar. O bichinho cresceu, comecei a ver tudo o que envolvia o ciclismo e não demorou muito até querer fazer parte”.

“Eu comecei a competir no primeiro ano de Juvenil, tinha, portanto, 12 anos” lembra Rolando Silva, que garante que “agora não me vejo a fazer outro desporto”. E quanto ao futuro: “como qualquer ciclista que goste mesmo do que faz, o meu grande sonho é um dia chegar ao escalão mais alto do ciclismo. Mas uma coisa de cada vez, primeiro quero fazer uma boa campanha nos Juniores, encontrar uma boa equipa quando subir a Sub-23 e depois logo se vê”.

“EVOLUIR O MÁXIMO POSSÍVEL”

Para já “e como estou no primeiro ano de Juniores, o importante é evoluir o máximo possível para na próxima época poder discutir corridas e ajudar os colegas quando for necessário”.

Este ano Rolando Silva disputou apenas duas corridas em Ciclismo de Estrada: Prova de Abertura – Prémio Cidade de Fafe e Prémio de Ciclismo de Barroselas. Provas que, garante, não lhe correram muito bem…

“As provas não correram muito bem por minha causa. Eu estava em boa forma, mas a inexperiência fez me gastar energias desnecessárias e ficar para trás na parte final em Fafe e no dia seguinte em Barroselas”, disse Rolando Silva, que acrescentou que “no sábado não tínhamos ninguém na fuga, então fui trabalhar durante uns quilómetros, mas depois coloquei-me mal e senti as pernas na última subida”.

Em Barroselas: “ataquei no início fazendo uma fuga que acabou por não vingar e na terceira ou quarta volta as energias começaram a escassear e fiquei para trás”.

EXPERIÊNCIA NA PISTA

Outras das experiências de Rolando Silva este foi a Pista: “estive no Troféu Internacional. Foi uma experiência excelente e senti-me muito bem na Pista. Consegui manter-me com os melhores, na prova por pontos eu na realidade fui o melhor português, mas os Comissários decidiram não me dar os cinco pontos de um dos sprint”.

Agora vem aí o Prémio HM Motor, depois de terem sido canceladas algumas corridas que estavam agendadas para Espanha, mas Rolando Silva garante não está ansioso.

“Não diria que estou ansioso. mas sim com saudades daquela emoção toda e de estar no pelotão e sabendo que estou preparado a motivação só aumenta”.

O CC Barcelos não vai participar no Campeonato Nacional de Contrarrelógio, que está marcado para o dia 20 e Rolando Silva diz compreender: “achamos uma má decisão da Federação Portuguesa de Ciclismo na escolha dos locais e, infelizmente, há uma grande falta de apoio por parte deles para podermos ia aos ‘Nacionais’”.

Rolando Silva divide a paixão pelo ciclismo com os estudos: “sinceramente o confinamento fez com que os estudos ficassem mais facilitados, inclusive, os exames, portanto, correu-me muito bem”.

O ciclista do CC Barcelos completou o 11.º ano e já sabe o que pretende seguir… “vou seguir os estudos e se, tudo correr bem, pretendo entrar em Desporto”.

Comentários

Artigos relacionados

Botão Voltar ao Topo

COVID-19

Nas áreas afetadas, a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda medidas de higiene e etiqueta respiratória para reduzir a exposição e transmissão da doença: • Medidas de etiqueta respiratória: tapar o nariz e a boca quando espirrar ou tossir, com um lenço de papel ou com o antebraço, nunca com as mãos, e deitar sempre o lenço de papel no lixo; • Lavar as mãos frequentemente. Deve lavá-las sempre que se assoar, espirrar, tossir ou após contacto direto com pessoas doentes. Deve lavá-las durante 20 segundos (o tempo que demora a cantar os “Parabéns”) com água e sabão ou com solução à base de álcool a 70%; • Evitar contacto próximo com pessoas com infeção respiratória; • Evitar tocar na cara com as mãos; • Evitar partilhar objetos pessoais ou comida em que tenha tocado. Seja responsável, faça a sua parte. Respeite o isolamento social. #JUNTOSVENCEREMOS