VOLEIBOL

Pedro Pereira (FC Amares): “seremos o único clube federado a pagar para treinar”.

O FC Amares, que reativou o Voleibol na época passada, está sem horários para treinar em Amares. O Agrupamento de Escolas de Amares retirou-lhe o horário que tinham na época finda…sem arranjar soluções. O FC Amares pode ter assim que pagar o aluguer para treinar uma vez por semana no local (ou perto) onde realiza os jogos em casa.

“Nós só treinamos uma vez por semana em Amares, que era à sexta-feira das 20.15 às 23 horas”, começou por afirmar Pedro Pereira, treinador das duas equipas de Voleibol do FC Amares, que adiantou que “este ano fomos confrontados com a indisponibilidade do pavilhão para treinar. Aliás foi-nos dito que o pavilhão estaria ocupado de segunda a sexta-feira das 19 às 21 horas no Pavilhão da Escola Secundária e que o horário das 20.30 às 22 horas, no pavilhão na Escola EB 2,3, estava alugado para futebol… seria um aluguer que existia antes da pandemia, mas que esteve ao nosso dispor na época finda”.

Afirmando que “nós não contestamos os alugueres, devem ter primazia, assim como o Desporto Escolar, mas a questão é que os clubes federados não têm qualquer direito aqui”, Pedro Pereira salientou ainda que “os clubes federados deveriam ter sigo chamados e ouvidos, mas apenas um conseguiu marcar os pavilhões. Deram-nos o facto como consumado… e o mais grave é enviarem o mail a dizer preencham os espaços… que espaços?”.

O FC Amares tentou resolver a questão junto do Agrupamento de Escolas e a direção reuniu e viu que a única possibilidade era alugar o pavilhão das 20.30 às 21.30 horas à sexta-feira na Escola E B 2,3…ficando com o horário seguinte gratuito “dois dias depois fomos confrontados com o aluguer das 22 às 23 horas para o futebol… “.

“Tentamos negociar, mas não houve vontade de resolver o problema, que pode aumentar porque estamos a falar de um horário que será sempre alterado conforme forem alugando o espaço”, disse aquele treinador, que referiu que “a Câmara Municipal foi consultada e a solução seria simples… passar o aluguer da EB 2,3 para a Secundária, mas o Agrupamento de Escolas, que até disse que concordava com a solução, mandou-nos ligar a nós!!!”.

Para Pedro Pereira considera que “incompetência a lidar com o processo, algo que também já tinha acontecido o ano passado”.

Perante este cenário e porque “somos um clube de Amares, jogamos em Amares e queremos fazer um treino no local onde jogamos, solicitamos o aluguer às sextas-feiras da EB 2,3 das 20.30 às 22 horas e da Secundária das 22 às 23.30h… Ou seja, nós vamos ter de pagar para treinar. Certo é que não pode haver mais nenhuma modalidade desportiva em Amares porque há pavilhões disponíveis…”.

Pedro Pereira fez questão de afirmar que “não tenho nada contra os alugueres, o Desporto Escolar ou o Amares Volei, mas se há dois clubes federados, que por acaso são os dois de Voleibol, deveriam ter chamado os dois para uma reunião para definir os pavilhões”.

“Como não o fizeram deveriam ter arranjado uma solução e também não o fizeram. Estamos a falar de um dia…podemos correr o risco de não treinar onde jogamos ou sermos o único clube a pagar para treinar”.

 

FC AMARES MANTÉM AS DUAS EQUIPAS

 

De referir que o FC Amares conta com duas equipas de competição: a equipa Sénior masculina e a equipa feminina de Sub-21. Em ambos os casos o clube apresenta várias novidades no plantel e a ambição de “fazer melhor do que o ano passado”.

“Em Seniores masculinos temos uma equipa reforçada com novos elementos. Individualmente está melhor, se depois isso vai corresponder a uma melhoria em termos coletivos… depende do trabalho e do que o treinador conseguir tirar deles”, disse Pedro Pereira, que explicou que “fomos buscar atletas que já tinham jogado e que, por algum motivo, tinham abandonado a modalidade. Falaram connosco e nós estamos contentes por os ter aqui. Outros tinham uma prática de Voleibol na Escola e são tecnicamente desenvolvidos. Vamos ficar com um bom grupo e acredito que com trabalho e muito treino, teremos um conjunto de qualidade”.

Quanto a objetivos, Pedro Pereira assegurou que “a ideia passa sempre por fazer melhor que o ano anterior. Nós estamos melhores, mas os adversários também podem estar, por isso, tudo depende de como correr a época”.

Quanto à equipa feminina: “há alterações, duas ou três miúdas entraram na Universidade e foram para outras cidades, mas também entraram duas ou três miúdas que querem fazer uma prática desportiva competindo. Isso é importante”.

Comentários

Artigos relacionados

Botão Voltar ao Topo

COVID-19

Nas áreas afetadas, a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda medidas de higiene e etiqueta respiratória para reduzir a exposição e transmissão da doença: • Medidas de etiqueta respiratória: tapar o nariz e a boca quando espirrar ou tossir, com um lenço de papel ou com o antebraço, nunca com as mãos, e deitar sempre o lenço de papel no lixo; • Lavar as mãos frequentemente. Deve lavá-las sempre que se assoar, espirrar, tossir ou após contacto direto com pessoas doentes. Deve lavá-las durante 20 segundos (o tempo que demora a cantar os “Parabéns”) com água e sabão ou com solução à base de álcool a 70%; • Evitar contacto próximo com pessoas com infeção respiratória; • Evitar tocar na cara com as mãos; • Evitar partilhar objetos pessoais ou comida em que tenha tocado. Seja responsável, faça a sua parte. Respeite o isolamento social. #JUNTOSVENCEREMOS