CICLISMO

Alberto Amaral (UC Ponte Barca) sétimo no Mundial de Ciclismo

Alberto Amaral, da Rematelaborado_União Ciclista Ponte Barca, terminou hoje na sétima posição a prova de Fundo do UCI Gran Fondo Campeonatos Mundiais de Ciclismo que decorreu em Sarajevo, na Bósnia.

Numa prova com cerca de 100 quilómetros e que se realizou debaixo de condições climatéricas muito difíceis, com neve, temperaturas muito baixas e nevoeiro, Alberto Amaral manteve-se integrado no grupo da frente até à descida, altura em que um grupo de seis ciclista conseguiu fugir.

O ciclista minhoto considera que “a corrida acabou por correr bem”, mas salientou que “tivemos muito mau tempo hoje, com nevoeiro, chuva e neve”.

Alberto Amaral adiantou que “perdi o contacto com os primeiros seis depois da montanha, já na descida. Depois foi correr atrás do prejuízo. Não quer dizer que se os tivesse acompanhado tivesse feito melhor. Fiquei fora do pódio, cortei a meta na sétima posição”.

Foi uma corrida mais difícil do que previa? “Foi, eu estava a contar com tudo, menos com o nevoeiro. Isso tornou a corrida das mais duras e perigosas que já fiz”, disse o ciclista da UC Ponte Barca.

Alberto Amaral, que na quarta-feira se sagrou Vice-Campeão de Contrarrelógio, faz um balanço positivo da sua participação nestes Mundiais de Ciclismo.

“Estou muito satisfeito com o meu desempenho”, disse o ciclista minhoto, que adiantou: “mas o sonho da camisola Arco-Íris ainda não se concretizou. Conquistei uma medalha de prata no Contrarrelógio…só faltou a cereja no topo do bolo”.

Alberto Amaral não baixa os braços e já está a pensar na próxima edição do Mundial… “Trabalhar mais é difícil, mas espero estar em boa forma para o próximo ano e participar na prova que se realiza em Itália. Espero estar mais forte, se possível”.

Comentários

Artigos relacionados

Botão Voltar ao Topo

COVID-19

Nas áreas afetadas, a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda medidas de higiene e etiqueta respiratória para reduzir a exposição e transmissão da doença: • Medidas de etiqueta respiratória: tapar o nariz e a boca quando espirrar ou tossir, com um lenço de papel ou com o antebraço, nunca com as mãos, e deitar sempre o lenço de papel no lixo; • Lavar as mãos frequentemente. Deve lavá-las sempre que se assoar, espirrar, tossir ou após contacto direto com pessoas doentes. Deve lavá-las durante 20 segundos (o tempo que demora a cantar os “Parabéns”) com água e sabão ou com solução à base de álcool a 70%; • Evitar contacto próximo com pessoas com infeção respiratória; • Evitar tocar na cara com as mãos; • Evitar partilhar objetos pessoais ou comida em que tenha tocado. Seja responsável, faça a sua parte. Respeite o isolamento social. #JUNTOSVENCEREMOS