CICLISMO

Sérgio Saleiro (CC Barcelos) segundo em Penamacor

Sérgio Saleiro, do CC Barcelos/A.F.F./Flynx/H.M. Motor, esteve hoje em grande destaque na segunda etapa da 15.ª Volta a Portugal de Juniores, que ligou Sabugal a Penamacor ao longo de 129,4 quilómetros.

O ciclista de Barcelos fez segundo lugar numa etapa decidida ao sprint e que foi ganha por João Gomes, da Silva&Vinha/ADRAP/Sentir Penafiel).

Sérgio Saleiro, que já ontem terminou no top10, ocupa assim o oitavo lugar da Geral Individual, estando a 2.26m do Camisola Amarela, António Morgado (Bairrada).

André Ribeiro (CC Barcelos) chegou integrado no pelotão e cortou a meta na 10.ª posição. O ciclista barcelense foi ainda o terceiro melhor ciclista entre os Juniores de primeiro ano. Na Classificação Geral André Ribeiro é 19.º e 10.º na Classificação da Juventude.

DIOGO MENDES (AC PAREDES) NA FUGA DO DIA

A etapa ficou marcada pela fuga de Diogo Mendes, vimaranense da Academia de Ciclismo de Paredes, que juntamente com Raul Llacer (Telka) andaram isolados cerca de 60 quilómetros. Diogo Mendes, Júnior de primeiro ano, consegui escapar ao grupo perseguidor por volta dos 32 quilómetros e conseguiu uma vantagem de mais de dois minutos. Mas o cansaço e o calor que se fez sentir durante toda a etapa levou a que os dois corredores fossem alcançados pelo pelotão, que acabaria por chegar compacto à meta.

Diogo Mendes, que venceu o Prémio de Montanha da terceira categoria em Penamacor e foi segundo nas Classificação da Meta Volante, instalada em Sabugal,  pagou caro o desgaste da fuga e acabou por se atrasar, terminado a corrida na 87.ª posição a 6.42m do vencedor.

TOMÁS MOTA (LANDEIRO) NO TOP20

Tomás Mota (Landeiro/KTM/Matias& Araújo/Frulact), chegou à meta integrado no pelotão, fazendo 26.º lugar. O Campeão Nacional Rúben Rodrigues (Bairrada) foi 32.º e ocupa a sétima posição da Classificação Geral Individual, sendo quarto Classificado da Juventude.

Rafael Barbas (Landeiro) foi 35.º e os seus colegas de equipa João Cunha e Pedro Pinto fizeram 40.º e 41.º respetivamente.

Diogo Saleiro (CC Barcelos) cortou a meta na 45.ª posição, com o mesmo tempo do vencedor, Luís André Ribeiro foi 52.º a 9s do vencedor e João Fernandes fez 56.º a 18s do primeiro lugar.

Victor Paula e Marcelo Soares (Landeiro) ficaram no top75; Leonardo Mendes (Tensai/Sambiental/Santa Marta), Kawah David (Landeiro) e Diogo Mendes (Academia Ciclismo de Paredes) foram terminam no top90. Luís Ribeiro, vimaranense da Academia de Ciclismo Capital do Móvel, fez 106.º lugar.

Por equipas o CC Barcelos/A.F.F./Flynx/H.M. Motor fez quarto lugar nesta segunda etapa, enquanto a Landeiro foi 10.º e a Tensai, em conjunto com a ADRAP, 14.º. Na Classificação Geral a Landeiro é segunda, o CC Barcelos ocupa o sexto lugar.

DIOGO MENDES: “NÃO FOI UMA ETAPA FÁCIL…COMSEGUI ENTRAR NA FUGA DO DIA”

Diogo Mendes esteve em grande destaque na etapa de hoje. Júnior de primeiro ano, o ciclista de Guimarães protagonizou, juntamente com Raul Llacer (Telka) a fuga do dia. Os dois ciclistas seguiram isolados quase 60 quilómetros e chegaram a ter mais de dois minutos para o pelotão…

“Não foi uma etapa fácil. Foi um dia duro e o calor também não ajudou” começou por afirmar Diogo Mendes, que salientou: “consegui entrar na fuga do dia e rolamos na frente cerca de 60 km, mas com o passar dos quilómetros fui alcançado e não consegui seguir no grupo principal“.

O que te levou a arriscar a fuga? “Sentia-me bem, ataquei e consegui encostar a outro atleta e fomos ganhando tempo”. No fim “foram cerca de 60 quilómetros na frente da corrida. Íamos rodando à vez, mas no final as forças já não eram muitas e o calor também não ajudou “.

A etapa de hoje também foi a mais longa desta Volta a Portugal… “foram 129 quilómetros” o que para um Júnior de primeiro ano “é um bocado puxado, mas tenho de me habituar porque isto faz parte do Ciclismo e da minha evolução“.

Afirmando que “hoje o que me custou mais foi mesmo o calor e o desgaste com o passar por quilómetros”, Diogo Mendes parte confiante para a meta etapa de amanhã, um Contrarrelógio entre Gouveia e Seia, com uma extensão de 14,8 quilómetros: “Amanhã o objetivo é dar o meu melhor e conseguir um bom resultado”.

Fotos: FPC

Comentários

Artigos relacionados

Ver também
Fechar
Botão Voltar ao Topo

COVID-19

Nas áreas afetadas, a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda medidas de higiene e etiqueta respiratória para reduzir a exposição e transmissão da doença: • Medidas de etiqueta respiratória: tapar o nariz e a boca quando espirrar ou tossir, com um lenço de papel ou com o antebraço, nunca com as mãos, e deitar sempre o lenço de papel no lixo; • Lavar as mãos frequentemente. Deve lavá-las sempre que se assoar, espirrar, tossir ou após contacto direto com pessoas doentes. Deve lavá-las durante 20 segundos (o tempo que demora a cantar os “Parabéns”) com água e sabão ou com solução à base de álcool a 70%; • Evitar contacto próximo com pessoas com infeção respiratória; • Evitar tocar na cara com as mãos; • Evitar partilhar objetos pessoais ou comida em que tenha tocado. Seja responsável, faça a sua parte. Respeite o isolamento social. #JUNTOSVENCEREMOS