CICLISMO

Pedro Miguel Lopes: “a Torre é uma subida exigente”

“A subida à Torre pela Covilhã é bastante exigente”, foi assim que Pedro Miguel Lopes, ciclista de Guimarães que representa a Kelly/Simoldes/UDO, começou por abordar a terceira etapa da 82.ª Volta a Portugal em Bicicleta, que liga este sábado a Sertã à Torre, na Serra da Estrela.

A viagem, de 170,3 quilómetros, é uma das mais complicadas desta Volta a Portugal e pode marcar já algumas diferenças no pelotão nacional.

Pedro Miguel Lopes ocupa, ao fim de três dias de prova, a 29.ª posição da Classificação Geral Individual, a 35s do primeiro classificado, e é o quinto classificado na Classificação da Juventude.

O ciclista de Guimarães considera que “a Volta é uma competição muito exigente a todos os níveis. Para já está a correr bem. O Prólogo não correu como gostava”, mas “estou a encarar e a viver esta Volta a Portugal um dia de cada vez”.

Quanto à terceira etapa… “vai ser uma etapa extremamente dura” e salientou que “eu gosto de etapas duras, mas a Torre é uma subida muito exigente”.

Comentários

Artigos relacionados

Botão Voltar ao Topo

COVID-19

Nas áreas afetadas, a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda medidas de higiene e etiqueta respiratória para reduzir a exposição e transmissão da doença: • Medidas de etiqueta respiratória: tapar o nariz e a boca quando espirrar ou tossir, com um lenço de papel ou com o antebraço, nunca com as mãos, e deitar sempre o lenço de papel no lixo; • Lavar as mãos frequentemente. Deve lavá-las sempre que se assoar, espirrar, tossir ou após contacto direto com pessoas doentes. Deve lavá-las durante 20 segundos (o tempo que demora a cantar os “Parabéns”) com água e sabão ou com solução à base de álcool a 70%; • Evitar contacto próximo com pessoas com infeção respiratória; • Evitar tocar na cara com as mãos; • Evitar partilhar objetos pessoais ou comida em que tenha tocado. Seja responsável, faça a sua parte. Respeite o isolamento social. #JUNTOSVENCEREMOS