CICLISMO

Prémio HM Motor promete luta disputada

O III Prémio HM Motor vai para a estrada este domingo, com duas corridas distintas (Cadetes e Juniores) e um percurso muito diferente dos anteriores e que promete conquistar os jovens ciclistas.

“Este ano o Prémio HM Motor vai ser muito diferente. Muito próximo daquilo que pretendemos que seja, realmente, este Prémio de Ciclismo no futuro”, começou por afirmar Francisco Cardoso, presidente do Centro de Ciclista de Barcelos.

O responsável pelo CC Barcelos lembrou que “estes dois últimos anos foram muito complicados. Então o ano passado nem se fala, mas nós não desistimos, nem baixamos os braços. Este ano tentamos logo desde o início do ano por este Prémio de pé e conseguimos. Domingo lá estaremos”.

Quanto à prova deste ano, Francisco Cardoso explicou que “teremos duas corridas, uma destinada à categoria de Cadetes, com 64 quilómetros, e outra destinada aos Juniores, com 94 km. Nos Juniores vamos ter uma corrida mais longa do que as anteriores e que vai muito para além de Barcelos. Os ciclistas partem de Barcelos, seguem até Viana do Castelo, Ponte de Lima, Prado e regressam a Barcelos. Este é o percurso que já tínhamos definido para a edição do ano passado, mas a pandemia obrigou-nos a meter o projeto na gaveta. Este ano pegamos nele e conseguimos pô-lo na estrada”.

Foi complicado organizar este ambicioso Prémio HM Motor? “foi muito complicado. Posso dizer que me tirou muitas horas de sono”, disse Francisco Cardoso, que adiantou: “são pareceres de um lado, pareceres do outro, depois um não chega, o outro não chega. É aquela incerteza de poder fazer ou não fazer. Posso dizer que apenas na quarta-feira é que tivemos a certeza de que o Prémio estava, efetivamente, pronto para sair para a estrada”.

Agora “é só esperar pelo dia da prova e desejamos que tudo corra bem para nós, para todas as equipas presentes que são muitas, para os ciclistas, que não haja acidentes e que seja uma festa”.

Comentários

Artigos relacionados

Botão Voltar ao Topo

COVID-19

Nas áreas afetadas, a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda medidas de higiene e etiqueta respiratória para reduzir a exposição e transmissão da doença: • Medidas de etiqueta respiratória: tapar o nariz e a boca quando espirrar ou tossir, com um lenço de papel ou com o antebraço, nunca com as mãos, e deitar sempre o lenço de papel no lixo; • Lavar as mãos frequentemente. Deve lavá-las sempre que se assoar, espirrar, tossir ou após contacto direto com pessoas doentes. Deve lavá-las durante 20 segundos (o tempo que demora a cantar os “Parabéns”) com água e sabão ou com solução à base de álcool a 70%; • Evitar contacto próximo com pessoas com infeção respiratória; • Evitar tocar na cara com as mãos; • Evitar partilhar objetos pessoais ou comida em que tenha tocado. Seja responsável, faça a sua parte. Respeite o isolamento social. #JUNTOSVENCEREMOS