BASQUETEBOL

Vitória SC trabalha com empenho e vontade para recuperar tempo perdido

Vontade, ansiedade e algum nervosismo marcaram o regresso aos trabalhos e aos jogos da equipa de Sub-14 masculinos do Vitória SC. Os atletas querem fazer o que mais gostam, mas a longa paragem deixou marcas que só o tempo e o trabalho poderão apagar.

Miguel Matos, que esta época assumiu os destinos da equipa de Sub-14 masculinos, diz-se consciente do trabalho que tem pela frente, mas mostra-se motivado e garante que o objetivo passa por trabalhar e capacitar os atletas de meios para se imporem na modalidade…até porque “o processo é mais importante que os resultados”.

“O regresso aos treinos foi o expectável, miúdos ansiosos e com vontade de começarem a praticar o desporto que tanto gostam, mas por outro lado com a normal dificuldade por terem estado tanto tempo parados”, foi assim que Miguel Matos, treinador da equipa de Sub-14 masculinos do Vitória SC começou por abordar a retoma dos trabalhos do Basquetebol.

Para Miguel Matos o regresso à competição ficou ainda marcado por um certo nervosismo… “foi aquele pequeno nervosismo de jogarem contra novos jogadores. Serviu também para nós utilizarmos alguns miúdos que nunca tinham estado em contexto de jogo. Os que nunca tinham jogado, sentiram-se um pouco como os ‘peixes fora de água’, contexto novo e tudo a acontecer mais rápido do que possivelmente estavam à espera. Os que transitaram dos Sub-12 também vivem pela primeira vez esta experiência, jogo ligeiramente mais rápido, campo maior e alguns miúdos com corpos duas e três vezes maiores que os deles”, disse Miguel Matos, que salienta que “depois no fundo foi gerir as intensidades, isto porque depois de tanto tempo parados e agora com tão pouco tempo de treino claramente que foi uma dificuldade acrescida para eles”.

“OPORTUNIDADE PARA TRABALHAR OUTROS ASPETOS”

Com a época a arrancar quando deveria estar nas fases finais dos ‘Nacionais’, Miguel Matos sabe que tem muito trabalho pela frente e os objetivos são, claramente, diferentes de outras épocas… “Os objetivos passam por trabalhar, principalmente, os aspetos da coordenação motora, técnicos como o passe, drible e lançamento e as capacidades físicas. Isto para que pelo menos no início do próximo ano já tenham alguma base deste ano”, disse aquele treinador, que lembrou que “a verdade é que tiveram imenso tempo parados, o que não beneficiou em nada o progresso dos jogadores. Agora é vermos isto como uma boa oportunidade para trabalhar aspetos que se fosse num ano normal possivelmente não daríamos tanto ênfase”.

O Vitória SC conta com uma equipa de Sub-14 bastante jovem… “mais de metade dos atletas são de primeiro ano e temos alguns Sub-12 integrados na equipa, por isso, e para estes é verdade que o trabalho que iremos fazer poderá ser cimentado de uma maneira mais consistente”.

“PROCESSO É MAIS IMPORTANTE QUE OS RESULTADOS”

Numa equipa tão jovem e depois de tanto tempo de paragem – praticamente um ano sem competir – a questão dos resultados influenciar a forma como eles podem ou não evoluir daqui para a frente?

“Acho que não irá ser tão relevante quanto isso… poderá mexer alguma coisa com a cabeça deles, mas para já tanto eu como a restante equipa técnica temos bem definido o que queremos trabalhar e que o processo é mais importante do que os resultados que iremos ter.  De treino para treino eles têm vindo a evoluir e são nessas pequenas conquistas diárias que tentamos que eles se foquem”, disse Miguel Matos.

Acha que será fácil recuperar o tempo e os processos perdidos? “Acredito que nestas idades também são mais “esponjas” no sentido de captarem mais rápido o que é pretendido e com isso estes escalões poderão ter alguma vantagem comparativamente com escalões mais velhos”.

Comentários

Artigos relacionados

Botão Voltar ao Topo

COVID-19

Nas áreas afetadas, a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda medidas de higiene e etiqueta respiratória para reduzir a exposição e transmissão da doença: • Medidas de etiqueta respiratória: tapar o nariz e a boca quando espirrar ou tossir, com um lenço de papel ou com o antebraço, nunca com as mãos, e deitar sempre o lenço de papel no lixo; • Lavar as mãos frequentemente. Deve lavá-las sempre que se assoar, espirrar, tossir ou após contacto direto com pessoas doentes. Deve lavá-las durante 20 segundos (o tempo que demora a cantar os “Parabéns”) com água e sabão ou com solução à base de álcool a 70%; • Evitar contacto próximo com pessoas com infeção respiratória; • Evitar tocar na cara com as mãos; • Evitar partilhar objetos pessoais ou comida em que tenha tocado. Seja responsável, faça a sua parte. Respeite o isolamento social. #JUNTOSVENCEREMOS

Quer promover o seu evento?
Contacte-nos...