BASQUETEBOL

Ricardo Santos assume Sub-16 A do SC Braga

Ricardo Santos é o novo treinador da equipa de Sub-16 A do SC Braga, escalão que se sagrou Campeão Distrital da Associação de Basquetebol de Braga na época finda e disputava o Campeonato Nacional quanto as competições foram interrompidas.

Ricardo Santos vai para a sua quarta época ao serviço do SC Braga, tendo começado pelos Sub-14, passado pelos Sub-12, e o ano passado, depois de tirar o Nível 2 de treinador, assumiu os Sub-16 B.

Para a nova temporada, Ricardo Santos assume a nova filosofia do clube e considera que o grande objetivo passa por aumentar a qualidade da formação “para dar as capacidades necessárias para que os jogadores aspirem chegar a uma equipa Sénior e serem capazes de contribuir”.

“ACREDITO MUITO NO PROJETO ATUAL E NA DIREÇÃO QUE O CLUBE ESTÁ A TOMAR”

O treinador bracarense salienta, ainda, a importância dos jogadores interiorizarem o espírito gverreiro do Minho “com os valores da equipa e do clube”.

Ricardo Santos encara o nosso desafio “com muita vontade”, até porque “acredito muito no projeto atual e na direção que o clube está a tomar, apostando na formação e na continuidade de trabalho. Sei que vou ter muito trabalho, mas sei que com a equipa técnica que me vai acompanhar este ano, vamos conseguir fazer um bom trabalho e o mais importante fazer os atletas gostarem da modalidade, divertirem-se e aprenderem”.

“INTERIORIZAR O ESPÍRITO GVERREIRO DO MINHO”

Quanto aos objetivos refere que “queremos aumentar a qualidade da formação para conseguir dar as capacidades necessárias aos jogadores para que depois possam aspirar chegar aos Seniores e serem capazes de ajudar a equipa a lutar pelas suas metas” e acrescentou: “queremos que os jogadores interiorizem o espírito do Gverreiro do Minho, com os valores da equipa e do clube. Com tudo isto vamos apostar num projeto de continuidade, onde seremos capazes de manter um nível competitivo todos os anos”.

Questionado sobre o que vai mudar na equipa, Ricardo Santos referiu que “vamos procurar jogar um basquetebol mais atualizado, utilizando os conceitos do basquetebol atual. Todas as equipas são diferentes e tem jogadores com capacidades diferentes, e é claro que é preciso incluir essas diferenças na equipa de forma a conseguir um maior sucesso. Valorizar e trabalhar em equipa essas diferenças. Para isso, precisamos de fazer trabalho mais individualizado, procurando maximizar o indivíduo para contribuir melhor para o todo que é a equipa”.

CONHECIMENTO DOS JOGADORES

Ricardo Santos assume um escalão novo, mas conhece parte dos jogadores, até porque “grande parte dos jogadores já foram treinados por mim, por isso já os conheço bem, e eles já me conhecem a mim, o que facilita bastante o trabalho. Também segui o trabalho dos jogadores que sobem este ano ao escalão de U16, por isso, tenho bem a noção das suas capacidades e fragilidades. Vai ser um misto de continuidade e de novidade, que dá um gosto diferente ao trabalho”.

Por definir está o regresso ao trabalho, uma vez que a DGS ainda não deu autorização para os treinos no pavilhão…

“OS VERDADEIROS ATLETAS NÃO ESTIVERAM PARADOS”

“Ainda não temos definido quando começamos o trabalho, tudo depende da DGS e do estado atual da situação do Covid-19. Mas assim que nos derem autorização para trabalhar, pretendo iniciar os trabalhos da pré-época para atingir o potencial dos jovens o mais rapidamente possível”, disse aquele treinador, que salientou que “os verdadeiros atletas não estiveram parados, continuaram a trabalhar diariamente para conseguir manter o nível necessário para a prática da modalidade”.

No entanto, Ricardo Santos sabe que algumas coisas se perderam durante este período: “é claro que os pormenores do jogo de equipa ficaram um pouco para trás por causa da falta de prática. Mas com empenho e com a equipa que teremos este ano sei que vamos conseguir fazer uma recuperação rápida e acima de tudo interessante”.

Comentários

Artigos relacionados

Botão Voltar ao Topo

COVID-19

Nas áreas afetadas, a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda medidas de higiene e etiqueta respiratória para reduzir a exposição e transmissão da doença: • Medidas de etiqueta respiratória: tapar o nariz e a boca quando espirrar ou tossir, com um lenço de papel ou com o antebraço, nunca com as mãos, e deitar sempre o lenço de papel no lixo; • Lavar as mãos frequentemente. Deve lavá-las sempre que se assoar, espirrar, tossir ou após contacto direto com pessoas doentes. Deve lavá-las durante 20 segundos (o tempo que demora a cantar os “Parabéns”) com água e sabão ou com solução à base de álcool a 70%; • Evitar contacto próximo com pessoas com infeção respiratória; • Evitar tocar na cara com as mãos; • Evitar partilhar objetos pessoais ou comida em que tenha tocado. Seja responsável, faça a sua parte. Respeite o isolamento social. #JUNTOSVENCEREMOS