CICLISMO

Tiago Moreira apto para a estreia em 2020

Tiago Moreira, ciclista da Tensai/Sambiental/Santa Marta, está de regresso aos treinos na estrada sem limitações. Recuperado da lesão que o afastou do arranque da época e ultrapassada a fase de confinamento, o ciclista vianense tem estado a treinar na estrada e garante que “já noto melhorias”.

A época não tem sido fácil para Tiago Moreira. A entrar no seu segundo ano de Júnior e com algumas ambições para o ano de 2020, o ciclista da Tensai viu-se afastado de toda a competição ao sofrer uma queda na primeira prova da Taça de Portugal de Pista. Tiago Moreira fraturou a clavícula, teve que ser submetido a uma intervenção cirúrgica e estava a regressar aos treinos quando surgiu a pandemia…

“A PRIMEIRA PARAGEM, A DA QUEDA, CUSTOU-ME MUITO MAIS”

O ciclista de Viana do Castelo considera que as duas paragens foram duras, mas garante que a primeira lhe custou muito mais…

 “A primeira paragem, a da queda, custou-me muito mais! Primeiro tinha feito uma boa pré-época, de bastante trabalho! Sentia-me bem para discutir as corridas e de repente tiraram-me o tapete e foi tudo por água abaixo, além disso não podia ‘respirar ar puro’, nem estar em contacto com a natureza de que tanto gosto. Custava-me ver todos os outros atletas a treinar e competir e eu não puder!”, começou por referir o jovem de 18 anos, que adiantou que “agora é mau na mesma! Mas estamos todos por igual à espera de competição e pelo menos já posso pedalar ao ar livre”.

Para Tiago Moreira a parte pior foi a do confinamento e o treinar nos rolos. “Foi chato!! É cansativo passar tanto tempo nos rolos… Quando se deu o início do confinamento e se começou a falar no cancelamento das corridas, acabei, várias vezes, por substituir o treino nos rolos por exercícios de força e corrida”.

QUEDA NA PRIMEIRA PROVA DE PISTA

Tiago Moreira nem apanhou o gosto à competição este ano: “a primeira corrida ficou a meio. Caí logo na primeira prova da Taça de Portugal de Pista” e então acabou competição e acabaram os treinos… “agora já estou a treinar sem restrições” e em tom de brincadeira referiu mesmo que “até já posso cair”.

“Os treinos estão a correr bem, já noto melhoras” disse Tiago Moreira, que acredita na possibilidade de se realizarem algumas provas este ano “as coisas tem vindo a melhorar de dia para dia, e visto que o nosso desporto se pratica ao ar livre as possibilidades de se realizarem algumas competições são muitas. É uma questão de esperarmos”.

Quanto a objetivos para a época… “Objetivos a sério não… Ainda não há calendário sabe-se pouco ou nada do que está por vir. Mesmo havendo corridas a época será reduzida, por isso, os objetivos vão passar por fazer o que está ao meu alcance pelo melhor resultado em todas as corridas”.

RETICENTE QUANDO AO FUTURO…

Já em termos futuros, Tiago Moreira mostra-se muito indeciso… “é tudo uma incógnita. Sei que tenho coisas a decidir e que o tempo começa a apertar para isso… Aquilo que já decidi é que os estudos continuarão! Quanto ao ciclismo estou reticente. O ciclismo é uma paixão que tenho e que adorava praticar competitivamente por largos anos!”, mas é também uma modalidade pouco reconhecida: “aquilo que me revolta muito e me deixa reticente é o facto de um ciclista profissional, ou praticamente profissional, que tem de adotar um estilo de vida idêntico à de um profissional, não seja devidamente remunerado. Deixa-me triste saber que há jovens de 18 anos ciclistas profissionais que ainda precisam de estender a mão aos pais”.

E isso faz-te pensar se queres ou não seguir no ciclismo? “Isso faz-me pensar precisamente em não seguir no ciclismo! Aquilo que me deixa dúvidas é o gosto que tenho pela bicicleta!”, disse Tiago Moreira.

O ciclista da Tensai estuda no 12.º ano, na área de ciências e confessa que “gostava de seguir o ramo da fisioterapia”. Para já vai dividindo as atenções entre os estudos e o ciclismo, aguardando pela marcação de algumas competições para fazer “o melhor que puder e ajudar a equipa a atingir as suas metas”.

Comentários

Artigos relacionados

Botão Voltar ao Topo

COVID-19

Nas áreas afetadas, a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda medidas de higiene e etiqueta respiratória para reduzir a exposição e transmissão da doença: • Medidas de etiqueta respiratória: tapar o nariz e a boca quando espirrar ou tossir, com um lenço de papel ou com o antebraço, nunca com as mãos, e deitar sempre o lenço de papel no lixo; • Lavar as mãos frequentemente. Deve lavá-las sempre que se assoar, espirrar, tossir ou após contacto direto com pessoas doentes. Deve lavá-las durante 20 segundos (o tempo que demora a cantar os “Parabéns”) com água e sabão ou com solução à base de álcool a 70%; • Evitar contacto próximo com pessoas com infeção respiratória; • Evitar tocar na cara com as mãos; • Evitar partilhar objetos pessoais ou comida em que tenha tocado. Seja responsável, faça a sua parte. Respeite o isolamento social. #JUNTOSVENCEREMOS