CICLISMO

José Mendes “é um sinal de que as provas vão arrancar”

José Mendes, ciclista de Guimarães que alinha na W52-FC Porto, mostrou-se satisfeito com o anúncio do regresso das competições de ciclismo e está confiante num bom recomeço, depois de mais de três meses de paragem das corridas.

As provas arrancam a cinco de julho, com a Prova de Reabertura – Taça de Portugal, que se disputa em CAR Anadia e é composto por um contrarrelógio individual.

O Campeão Nacional de Fundo começou por referir que “já é um sinal de que as provas vão arrancar e que podemos retomar as competições”.

Afirmando que “praticamente este é o recomeçar da época”, José Mendes aceita o facto da primeira prova ser um contrarrelógio… “acho que é inédito termos como primeira prova um contrarrelógio, mas faz sentido para vermos como vai funcionar as questões de segurança. Tudo a que estamos habituados vai sofrer uma alteração e é preciso uma prova destas para percebermos como vai funcionar. E passo a passo vamos voltando à vida e às provas o mais normal possível”.

“PARECE-ME POUCAS PROVAS ATÉ À VOLTA A PORTUGAL”

José Mendes considera, no entanto, que o pelotão terá poucas provas antes da Volta a Portugal: “parece-me poucas provas até à Volta a Portugal. Bem sei que são as possíveis, mas são escassas. O pelotão tem vários corredores e nem todos podem ir à Volta. Depois a forma ganha-se com os treinos, mas com a competição e não sei se teremos tempos de estar no nosso melhor. As competições são importantes para atingirmos o pico de forma. Até os diretores desportivos vão ter mais problemas para escolher os atletas para a Volta a Portugal”.

“Estamos a viver uma situação excecional, que esperemos não volte a acontecer, e só nos resta dar o nosso melhor em prol do ciclismo. Penso que a Volta será um pouco imprevisível”.

O Campeão Nacional já regressou aos treinos normais e está confiante num bom desempenho no regresso das corridas: “já retomei os treinos diários há algum tempo. Estamos numa fase parecida com o arranque da época. O trabalho de preparação foi feito, não digo que a 100 por cento, porque não ninguém sabia quando teríamos corridas, mas trabalhei bem. Agora só com a competição é que vai ver se o trabalho foi bem feito. O que fizermos nestas primeiras provas vai ser importante porque temos pouco tempo antes da Volta a Portugal”.

José Mendes mostrou-se favorável à realização dos Campeonatos Nacionais depois da Volta a Portugal…  “o Campeonato Nacional é uma prova de um dia e é sempre imprevisível, este ano vai ser ainda mais. Quem for à Volta vai estar em vantagem porque ganhou ritmo e ainda terá tempo para recuperar entre uma e outra prova. Penso que vamos ter uns Campeonato muito competitivos porque vão estar quase todos na máxima força”.

JOÃO MATIAS: “SENTIMENTO DE MUITA FELICIDADE… E ALÍVIO ”

João Matias, ciclista de Barcelos que alinha na Aviludo-Louletano, mostrou-se bastante satisfeito e feliz com o anúncio do regresso das competições.

“O sentimento, neste momento, é de muita felicidade e de um enorme alívio. Temia, como todo o pelotão, que não houvesse provas este ano. Fiquei muito feliz, ainda mais quando ficou garantida a Volta a Portugal, é a cereja no topo do bolo” referiu aquele ciclista, que adiantou que “o ciclismo vive todo à volta da Volta a Portugal, pois é aí que os principais patrocinadores podem ter algum retorno e dá-nos mais garantias a nós ciclistas e equipas para continuar a trabalhar com tranquilidade para que o ciclismo possa continuar”.

CICLISTAS UNIRAM-SE

João Matias lembrou os dias difíceis que todos passaram a treinar de casa e sozinhos…“depois dos dias que estivemos em casa, a treinar nos rolos, sozinhos, afastados uns dos outros, é muito positivo termos um objetivo, um calendário. Hoje estamos todos muito mais tranquilos, mais motivados em que tudo corra bem e tenhamos grandes provas, bem disputadas”.

O ciclista de Barcelos referiu ainda a união que surgiu no seio dos ciclistas profissionais e que permitiu que o desfecho fosse este: “o ciclismo profissional uniu-se todo, os ciclistas uniram-se e trabalharam em conjunto com a Associação de Ciclistas Profissionais, que retornou e é uma força muito grande que nos dá. Demonstramos que temos uma voz ativa e com a FPC conseguimos demonstrar os nossos interesses e conseguimos avançar com isto. Por isso, o sentimento é de felicidade”.

Calendário para as próximas semanas:
5 de julho: Prova de Reabertura – Taça de Portugal Jogos Santa Casa (contrarrelógio individual), CAR Anadia

11 e 12 de julho: Challenge Memorial Bruno Neves (duas provas de um dia), Oliveira de Azeméis

 18 a 20 de julho: Grande Prémio Internacional de Torres Vedras – Troféu Joaquim Agostinho

29 de julho a 9 de agosto: Volta a Portugal em Bicicleta

21 a 23 de agosto: Campeonato Nacional de Estrada, Paredes 

Comentários

Artigos relacionados

Botão Voltar ao Topo

COVID-19

Nas áreas afetadas, a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda medidas de higiene e etiqueta respiratória para reduzir a exposição e transmissão da doença: • Medidas de etiqueta respiratória: tapar o nariz e a boca quando espirrar ou tossir, com um lenço de papel ou com o antebraço, nunca com as mãos, e deitar sempre o lenço de papel no lixo; • Lavar as mãos frequentemente. Deve lavá-las sempre que se assoar, espirrar, tossir ou após contacto direto com pessoas doentes. Deve lavá-las durante 20 segundos (o tempo que demora a cantar os “Parabéns”) com água e sabão ou com solução à base de álcool a 70%; • Evitar contacto próximo com pessoas com infeção respiratória; • Evitar tocar na cara com as mãos; • Evitar partilhar objetos pessoais ou comida em que tenha tocado. Seja responsável, faça a sua parte. Respeite o isolamento social. #JUNTOSVENCEREMOS