CICLISMO

José Mendes (Aviludo): “é uma corrida especial… se a oportunidade aparecer vou tentar agarrá-la com todas as forças”

José Mendes, ciclista de Guimarães que alinha no Aviludo – Louletano – Loulé Concelho, parte motivado para os Campeonatos Nacionais de Estrada, que decorrem em Mogadouro entre sexta-feira e domingo.

O ciclista vimaranense vai participar nas duas corridas – Contrarrelógio e Fundo – e garante que “vou dar o meu melhor”.

Para José Mendes “o Campeonato Nacional é sempre uma prova especial, mediante o que acontecer no dia e se a oportunidade aparecer vou tentar agarrá-la com todas as forças”-

“NÃO HÁ DUAS SEM TRÊS… VOU DAR O MEU MELHOR”

José Mendes já conquistou dois títulos de Campeão Nacional: em 2016, nuns ‘Nacionais’ realizado em Braga e três anos depois (2019, os últimos que decorreram sem restrições) em Melgaço. Se a tradição de mantiver…este pode ser novamente o ano de José Mendes… “Bem costuma-se dizer que não há duas sem três… Vou dar o meu melhor e se tiver a oportunidade claro que vou lutar pela camisola”, disse José Mendes, que salientou que “este tem sido um ano difícil e as coisas não correram como o esperado até aqui… mas podem mudar a qualquer momento”.

O ciclista de Guimarães considera que “a preparação de inverno correu bem e entrei motivado para a nova época, num novo projeto e muitas ambições. Em fevereiro apanhei Covid e desde então as coisas não voltaram ao normal. Não tenho conseguido ter uma época consistente. Na Volta ao Alentejo até me sentia bem e pensei que era o retomar do caminho certo, mas tem sido bastante difícil…”.

Na última prova que disputou, Clássica Ribeiro da Silva, José Mendes viu-se obrigado a desistir… “Tive imensas dificuldades na corrida e surgiu-me ainda um problema no joelho”, mas recuperação feita e trabalhos retomados “sinto que estou agora a 100 por cento. Tenho a consciência tranquila que fiz um bom trabalho, agora é esperar pela corrida e ver como reage o corpo”.

JOSÉ MENDES PARTICIPA NAS DUAS CORRIDAS

José Mendes vai participar no Contrarrelógio… “É um Campeonato Nacional e eu gosto de participar nas duas provas. Independentemente do resultado que possa obter, gosto de participar no Contrarrelógio e vou tentar dar o meu melhor”.

Quanto à prova de Fundo “é uma corrida mais aberta. Poderá haver uma oportunidade maior de chegar mais longe. Tenho a consciência que não sou dos mais fortes, mas isso não invalida que possa estar na disputa da corrida”.

Participar no Campeonato Nacional é motivador? “Claro que sim. Lutar pela Camisola de Portugal é uma motivação extra… pensar que, se ganharmos, vamos andar com ela um ano inteiro…” disse José Mendes, que salientou que “é também uma corrida de emoções e que nos põe à prova. Temos de saber gerir muito bem as emoções. É uma corrida que todos querem ganhar, mas quando se quer muito uma coisa acabamos por cometer erros e deitamos por terra todo o trabalho feito”.

José Mendes considera que “o ‘Nacional’ é uma corrida especial, muito imprevisível e, por norma, ganham os corredores que estão mais fortes. Tradicionalmente são corridas duras… Felizmente já consegui ganhar por duas vezes, em corridas muito difíceis e bem disputadas. Foram duas vitórias que surgiram quando eu menos esperava”.

“QUEM GANHAR É PORQUE TEM QUALIDADES PARA ISSO”

Sobre o percurso deste ano, José Mendes referiu que “ainda não tive a oportunidade de ver todo o percurso. Parece-me que, sendo para um Campeonato Nacional, deveria ter mais quilómetros (tem 170 km), mas sendo na zona do país em que se realiza o percurso deve ser duro e quem ganhar é porque tem qualidades para isso”.

Dissestes que esta é daquelas corridas em que é preciso gerir as emoções… mas um bi-Campeão já está habituado a estas corridas? “Posso dizer que ganhei quando menos esperava. Os anos seguintes custaram mais… quando estava a defender a camisola. Não é que não me sentisse bem, mas o peso de quem tem a camisola é outro e a verdade é que as corridas nos anos seguintes não correram muito bem”, disse o ciclista vimaranense.

Já passaram três anos desde a última camisola… “Quem sabe como vai correr a prova. Se tiver a oportunidade, claro que vou agarrá-la com todas as minhas forças. Conquistar a camisola de Campeão Nacional é algo extraordinário e é um sentimento único”.

Comentários

Artigos relacionados

Botão Voltar ao Topo

COVID-19

Nas áreas afetadas, a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda medidas de higiene e etiqueta respiratória para reduzir a exposição e transmissão da doença: • Medidas de etiqueta respiratória: tapar o nariz e a boca quando espirrar ou tossir, com um lenço de papel ou com o antebraço, nunca com as mãos, e deitar sempre o lenço de papel no lixo; • Lavar as mãos frequentemente. Deve lavá-las sempre que se assoar, espirrar, tossir ou após contacto direto com pessoas doentes. Deve lavá-las durante 20 segundos (o tempo que demora a cantar os “Parabéns”) com água e sabão ou com solução à base de álcool a 70%; • Evitar contacto próximo com pessoas com infeção respiratória; • Evitar tocar na cara com as mãos; • Evitar partilhar objetos pessoais ou comida em que tenha tocado. Seja responsável, faça a sua parte. Respeite o isolamento social. #JUNTOSVENCEREMOS