NATAÇÃO

GDN Famalicão ambicioso para o Torneio Zonal Juvenis

O GDN Famalicão parte com ambições para o Torneio Zonal de Juvenis, que se realiza no fim de semana nas Piscinas Municipais da Mealhada.

A equipa famalicense faz-se representar por 10 atletas, oito masculinos e duas meninas, e o grande objetivo de chegar aos pódios e aos títulos…

“Estes miúdos estão há cerca de nove meses sem competir e, por isso, estão muito motivados. Mais do que nunca querem competir e testar os seus limites. Estão empolgados e têm como grande objetivo bater os seus recordes. Esse é o primeiro grande objetivo. Claro que se o conseguirem vão estar na luta pelas medalhas e pelos títulos”, começou por referir Pedro Faia, coordenador técnico do GDN Famalicão.

Pedro Faia salientou que “temos uma equipa muito boa quer em termos de quantidade, como de qualidade e tem condições para lutar pelos seus objetivos, que são, claramente os recordes pessoais, as medalhas e títulos”.

Questionado sobre como está a equipa a viver esta semana, o treinador do GDN Famalicão referiu que “estão ansiosos. Aliás a ansiedade de regressar à competição já existia, mas com o confirmar e o aproximar do torneio a ansiedade aumentou. A evolução da pandemia deixava dúvidas quanto à realização do torneio e isso mexia com eles, mas desde que lhes dei a garantia que havia competição estão muito mais focados, temos aproveitado para limar algumas arestas e melhoraram muito. Estão empolgadíssimos. Estamos a falar de atletas que vão ter competição ao fim de nove meses e alguns quase não competiram a nível zonal e nacional o ano passado. Eram Infantis e as provas foram canceladas. Para esses a ansiedade é maior. Os mais experientes estão mais motivados e capacitados do trabalho que têm vindo a fazer”.

HÁ DOIS ANOS NA I DIVISÃO

O GDN Famalicão subiu há dois anos ao Campeonato Nacional da 1.ª Divisão Feminina de Natação. O feito foi recordado esta semana e Pedro Faia lembra que a equipa até tinha valor para conquistar o título nacional não fosse as estrangeiras…

“Há dois anos subíamos pela segunda vez na história à I Divisão. Ainda hoje temos em mente o sentimento que nos invadiu nesses dias. Nós íamos com a ambição de tentar a subida. Sabíamos que era possível, não era uma meta fácil porque a concorrência era muito grande, mas estávamos decidimos a subir de divisão. Foi um campeonato positivo, as atletas transcenderam-se em cada prova e as coisas começaram a correr bem. Durante o campeonato destacou-se a união do grupo, o querer e a grande vontade de atingir o objetivo”, lembra Pedro Faia, que salientou que “das equipas que subiram de divisão, o GDN Famalicão era o único que era composto por nadadoras da sua formação”.

De resto, o GDN Famalicão apresentou um conjunto forte e apenas não conquistou o título porque “as estrangeiras fizeram a diferença, mas o regulamento permiti ir buscar atletas fora para estas provas. Nunca foi a nossa política, lutamos com a prata da casa, com a nossa formação, que valorizamos o que se faz de bem nas nossas Escolas e Formação”.

‘NACIONAIS’ E OPEN DE NATAÇÃO

Para já os Campeonatos Nacionais estão adiados, mas quando forem retomados, Pedro Faia não tem dúvidas: “vamos lutar pela manutenção nos dois escalões. No feminino não será fácil porque temos uma equipa com qualidade, mas algo pequena em número e na I Divisão carecemos de ter duas atletas por prova. Precisávamos de mais gente no sector feminino”.

Entretanto, o GDN Famalicão espera participar já na próxima semana no Open de Natação do Jamor. O clube inscreveu seis atletas e acredita que poderá participar com pelo menos dois ou três… “é uma prova importante, a primeira de 50m. Ainda não treinamos em piscina de 50m este ano, mas queremos muito competir e esta é mais uma oportunidade para o fazer. Esperemos que se realiza e que consigamos ir”.

Comentários

Artigos relacionados

Botão Voltar ao Topo

COVID-19

Nas áreas afetadas, a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda medidas de higiene e etiqueta respiratória para reduzir a exposição e transmissão da doença: • Medidas de etiqueta respiratória: tapar o nariz e a boca quando espirrar ou tossir, com um lenço de papel ou com o antebraço, nunca com as mãos, e deitar sempre o lenço de papel no lixo; • Lavar as mãos frequentemente. Deve lavá-las sempre que se assoar, espirrar, tossir ou após contacto direto com pessoas doentes. Deve lavá-las durante 20 segundos (o tempo que demora a cantar os “Parabéns”) com água e sabão ou com solução à base de álcool a 70%; • Evitar contacto próximo com pessoas com infeção respiratória; • Evitar tocar na cara com as mãos; • Evitar partilhar objetos pessoais ou comida em que tenha tocado. Seja responsável, faça a sua parte. Respeite o isolamento social. #JUNTOSVENCEREMOS