VOLEIBOL

SC Braga recebe AVC Famalicão no jogo grande do Regional de Cadetes

SC Braga e AVC Famalicão defrontam-se sábado, a partir das 15 horas, naquele que é o jogo grande da terceira jornada do Campeonato Regional/Inter-Regional de Cadetes femininos da Associação de Voleibol de Braga.

Em campo vão estar duas equipas que ainda não perderam e que ambicionam chegar à fase nacional da prova.

Em Braga, o jogo está a ser encarado com otimismo. Rui Oliveira, treinador da equipa, confessa que quer ganhar, mas salienta que a prioridade é outra…

RUI OLIVEIRA (SC BRAGA): “A PREOCUPAÇÃO É QUE EVOLUAM”

“O jogo com o AVC Famalicão vai ser muito disputado. O AVC tem uma equipa muito aguerrida”, começou por afirmar aquele treinador, que salientou que “não estou preocupado com o jogo, nem com o resultado. A minha preocupação é que elas evoluam de treino para treino e de jogo para jogo”.

“Claro que vamos fazer tudo para vencer o jogo, mas eu quero é que elas evoluam tecnicamente e neste momento, ainda não dominam os gestos na perfeição e isso é preciso”, referiu Rui Oliveira.

O treinador do SC Braga explicou que “temos uma equipa bonita, alta, mas com a pandemia não está como deveria estar. Tem de trabalhar tecnicamente todos os fundamentos e depois sim avançamos para a tática porque é com a tática que se ganham os jogos”.

“A treinadora Guilhermina fez um trabalho fantástico com estas miúdas na Escola de Lamaçães. Elas sabem treinar, sabem estar. é um grupo com potencial, mas devido à pandemia houve uma estagnação na evolução e precisa de tempo para crescer”.

O facto do SC Braga se ter sagrado, a época passada, Campeão Nacional de Cadetes traz mais responsabilidade a esta equipa? “Não, não temos responsabilidade de lutar pelo título. Quando me propuseram este projeto foi com o objetivo de a fazer evoluir ao longo da época, não foram traçados objetivos competitivos”, disse Rui Oliveira, que salientou que “nós queremos seguir para o Nacional, chegar à fase mais competitiva de forma a fazer crescer a equipa, mas não estamos obrigados a conquistar títulos”.

JOÃO CARLOS CARVALHO (AVC FAMALICÃO): “MAIS UM PASSO NA EVOLUÇÃO DESTE GRUPO”

“Este vai ser um jogo contra a equipa mais forte do grupo e vamos tentar fazer o nosso jogo e tentar criar dificuldades no jogo do SC Braga” disse João Carlos Carvalho, treinador do AVC Famalicão a propósito da deslocação da sua equipa a Braga.

Para o treinador do AVC Famalicão este jogo “é mais um passo na evolução deste grupo, onde a superação, a resiliência, a vontade de fazer mais e melhor tem de ser o grande objetivo”.

João Carlos Carvalho considera que “a equipa está em processo de formação, acima de tudo, esse é o maior objetivo. Foram duas épocas em que a evolução e formação destas atletas foi interrompido pelas paragens do desporto. Estamos a tentar recuperar o tempo perdido”.

“Olhamos para o resultado, gostamos de vencer, mas isso é algo secundário no momento. Temos de evoluir muito, tanto individualmente, como coletivamente, e o resultado será fruto dessa nossa evolução. Estamos motivados pelo caminho que temos feito e pelos objetivos que temos pela frente”, referiu.

João Carlos Carvalho considera que “a equipa tem evoluído bem, as atletas têm estado muito motivadas e isso ajuda”.

PROGRAMA DE JOGOS

Sábado

Infantis

17h: Vitória SC – SVR Benfica

Iniciados

15h: Vitória SC – Colégio JPII/Dumiense

Cadetes

15h: CA Bragança – VC Viana

15h: CARTaipense – Vitória SC

15h: SC Braga – AVC Famalicão

Juvenis

15h: AD Esposende – Colégio JPII/Dumiense

Juniores A

15h: VC Viana – Academia Vila Real

Seniores

15h: AVC Famalicão – ADC Perre

17h: CARTaipense – Colégio JPII/Dumiense

Domingo

Infantis

16h: Os Valpacinhos – Escola Lamaçães

Iniciados

14h: SC Vila real – SC Braga

Cadetes

SVR Benfica – Colégio JPII/Dumiense

Juvenis

16h: SC Braga – ADC Perre

Juniores A

11h: SVR Benfica – Vitória SC

17h: AVC Famalicão – Colégio JPII/Dumiense

Seniores

17h: AD Esposende – CD Monserrate

Comentários

Artigos relacionados

Ver também
Fechar
Botão Voltar ao Topo

COVID-19

Nas áreas afetadas, a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda medidas de higiene e etiqueta respiratória para reduzir a exposição e transmissão da doença: • Medidas de etiqueta respiratória: tapar o nariz e a boca quando espirrar ou tossir, com um lenço de papel ou com o antebraço, nunca com as mãos, e deitar sempre o lenço de papel no lixo; • Lavar as mãos frequentemente. Deve lavá-las sempre que se assoar, espirrar, tossir ou após contacto direto com pessoas doentes. Deve lavá-las durante 20 segundos (o tempo que demora a cantar os “Parabéns”) com água e sabão ou com solução à base de álcool a 70%; • Evitar contacto próximo com pessoas com infeção respiratória; • Evitar tocar na cara com as mãos; • Evitar partilhar objetos pessoais ou comida em que tenha tocado. Seja responsável, faça a sua parte. Respeite o isolamento social. #JUNTOSVENCEREMOS