CICLISMO

Daniela Pereira é a nova coordenadora das Escolas da ACR Roriz

Daniela Pereira, ciclista de Famalicão que terminou no pódio no Campeonato Nacional de Fundo e na Taça de Portugal, é a nova coordenadora das Escolas da Landeiro/KTM/Matias&Araújo/Frulact.

A ciclista famalicense, que se iniciou no Ciclismo na formação de Roriz, regressa a uma casa que bem conhece e onde é muito acarinhada.

Hélder Braga, diretor desportivo da ACR Roriz, começou por referir que “estamos muito contentes por a Daniela ter aceitado o nosso convite. No fundo é um regresso a uma casa que já conhece, pois ela iniciou a sua carreira no Ciclismo na nossa equipa e temos um carinho muito especial por ela”.

“Penso que se vai enquadrar bem dado que tem experiência em, praticamente, todas as vertentes do Ciclismo e pode passar esse conhecimento com os escalões mais jovens onde pretendemos cada vez mais dar uma formação com mais qualidade”.

Para Hélder Braga o facto da Daniela Pereira ser uma ciclista de sucesso servirá ainda “passar a mensagem que as meninas também têm lugar no Ciclismo. A Daniela é um bom exemplo disso. Era muito bom que mais meninas experimentassem o Ciclismo”.

DANIELA PEREIRA: “ESTOU SUPER ENTUSIASMADA”

“Estou super entusiasmada e com vontade de começar a nova época (neste caso, a época dos pequenos)”, começou por afirmar Daniela Pereira, ciclista que esta época conseguiu vários resultados de relevo, entre eles o terceiro lugar no Campeonato Nacional de Fundo, o segundo na Taça de Portugal, etc.

Daniela Pereira referiu que “o papel de treinador sempre foi algo que me cativou e, por isso, fiquei felicíssima quando o Hélder Braga me lançou este desafio”.

A ciclista famalicense salientou que “optei pelas Escolas porque já tinha tido a experiência de lecionar a AEC de Ciclismo nas escolas de 1.º Ciclo e foi uma experiência superpositiva. É muito gratificante ver a evolução das crianças no Ciclismo, especialmente numa altura em que verifico que as crianças têm cada vez menos capacidades físico-motoras e propriocetivas”.

“GANHAR EXPERIÊNCIA”

“Por outro lado, quero crescer como treinadora e começar com escalões mais avançados, como Cadetes ou Juniores, é um pouco como começar a casa pelo telhado. Até lá vou acompanhando os colegas que orientam esses escalões para absorver alguns conhecimentos e ganhar essa experiência”, referiu.

Afirmando que “agora tenho de adaptar-me à logística e à organização do clube e pôr mãos à obra”, Daniela Pereira considerou que “será mais um desafio, conciliar a coordenação das Escolas, a vida profissional e a de atleta, mas com organização tudo se consegue”

Daniela Pereira parte para o novo projeto determinada em formar atletas e pessoas…“por agora, tudo farei para formar bons atletas, tanto física, técnica e tacitamente, como para formar excelentes companheiros de equipa e sobretudo pessoas com cultura desportiva. Se estes meninos e meninas, que me passarem pelas mãos, não derem ciclistas, ao menos que sejam futuros desportistas ou pessoas com cultura de desporto”.

CATIVAR MAIS MENINAS PARA O CICLISMO

Outra das grandes metas da ciclista famalicense passa por chamar mais meninas ao Ciclismo. “Não obstante a formação geral, temos em mente que uma maior cultura de desporto possa atingir um espectro mais amplo do Ciclismo e começar a atrair mais meninas para as Escolas. A ideia é formar a longo prazo uma equipa de Elite feminina capaz e sólida. É uma atitude louvável por parte do clube. Pois seria muito mais fácil fazer como os demais que com a febre da Volta feminina, do dia para a noite, decidiram que até era engraçado ter equipa de Elites femininas e depois apresentam condições miseráveis: desde a cultura do clube até à falta de preparação das atletas. Este tipo de atitudes apenas contribui para o desânimo das atletas, baixa qualidade do pelotão feminino e extinção do Ciclismo feminino”.

“Este é mais um motivo que me leva a dedicar a esta coletividade todo o meu empenho, pois acredito neste projeto”.

Comentários

Artigos relacionados

Botão Voltar ao Topo

COVID-19

Nas áreas afetadas, a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda medidas de higiene e etiqueta respiratória para reduzir a exposição e transmissão da doença: • Medidas de etiqueta respiratória: tapar o nariz e a boca quando espirrar ou tossir, com um lenço de papel ou com o antebraço, nunca com as mãos, e deitar sempre o lenço de papel no lixo; • Lavar as mãos frequentemente. Deve lavá-las sempre que se assoar, espirrar, tossir ou após contacto direto com pessoas doentes. Deve lavá-las durante 20 segundos (o tempo que demora a cantar os “Parabéns”) com água e sabão ou com solução à base de álcool a 70%; • Evitar contacto próximo com pessoas com infeção respiratória; • Evitar tocar na cara com as mãos; • Evitar partilhar objetos pessoais ou comida em que tenha tocado. Seja responsável, faça a sua parte. Respeite o isolamento social. #JUNTOSVENCEREMOS