CICLISMO

Hélder Gonçalves (Kelly) Sagra-se Campeão do Minho de BTT XCM

Hélder Gonçalves, ciclista de Barcelos que alinha na Kelly/Simoldes/UDO, sagrou-se este domingo Campeão do Minho de Maratonas BTT em Elites.

O ciclista barcelense, que tem como vertente principal a Estrada, decidiu prolongar a sua época de treinos e participou no 5.º BTT XCM Vila de Melgaço, terceira prova da Taça de Portugal e decisiva para a atribuição dos títulos do Campeonato do Minho BTT XCM – Discover Melgaço.

Hélder Gonçalves terminou a prova na sétima posição, percorrendo os 81 quilómetros em 3.38.26m, gastando mais cerca de seis minutos que o vencedor Roberto Ferreira, da DMT Racing Team. O ciclista da Kelly foi o melhor minhoto em prova e garantiu assim a conquista da Camisola de Campeão do Minho.

Na segunda posição do Campeonato do Minho ficou Luís Ferreira, que corre pelo BTT Seia.

O consagrado ciclista de Estrada Tiago Machado (Rádio Popular-Boavista) terminou a Maratona BTT Vila de Melgaço na 11.ª posição, garantindo o terceiro lugar no Campeonato do Minho.

Carlos Cruz, da SAERTEX Portugal/Edaetech, foi 16.º em Melgaço e é quarto classificado na prova minhota. José Simões, ciclista do Averomar BTT foi 19.º na Taça de Portugal, e é quinto classificado no Minho.

Uma palavra ainda para Rui Souto, Rui Rêgo e Ivan Sá, ciclistas do MonçãoBike/LusoPrint/Bombos S. Sebastião, que terminaram no top25 da Taça de Portugal e estão no Top10 do Campeonato do Minho.

 

HÉLDER GONÇALVES: “ESTOU BASTANTE FELIZ”

 

“Estou bastante feliz”, foi assim que Hélder Gonçalves reagiu à vitória no Campeonato do Minho BTT XCM – Discover Melgaço.

O ciclista de Barcelos referiu que “não tinha esse objetivo em mente, sinceramente, nem sabia que esta prova servia para a atribuição dos títulos. Mas, claro, ficou bastante feliz por conquistar este título”.

Hélder Gonçalves, que tem a Estrada como a sua vertente principal, decidiu prolongar a época “visto que a Estrada terminou em setembro, e este é ainda um mês em que em Portugal ainda faz sol. Prefiro fazer uma pausa num mês que, a partida, faça mais chuva, como finais de outubro ou novembro”. Por isso “decidi fazer três provas de BTT este mês. As duas primeiras servirão mais de preparação para o Campeonato Nacional de XCM. Esta foi a primeira, terça-feira participo na Taça de XCO e conto também correr o Campeonato Nacional de Maratonas”.

Afirmando que “receber este prémio na primeira corrida é um extra”, o ciclista barcelense confessa que não estava a contar em sagrar-se Campeão do Minho.

“Eu vim com a ideia de me aplicar. Não pensei, nem queria pensar, muito nos resultados. Nas últimas quatro semanas estive um pouco desligado da bicicleta, sem nunca parar, mas a encarar os treinos de outra forma, mais para desfrutar da bicicleta e da companhia dos amigos. Como nunca deixei de treinar sabia que podia fazer um bom resultado, até porque a forma não desaparece do dia para a noite”, mas “não apontei para nenhum resultado em especial e nem sabia que estavam em disputa os títulos do Minho”.

Sobre a Maratona de Melgaço, Hélder Gonçalves referiu que “foi bastante difícil” e salientou que “as maiores dificuldades foram a nível físico e a descer, porque eram descidas muito exigentes fisicamente. De resto na última descida perdi duas posições, mas decidi não arriscar porque não queria deitar tudo a perder numa possível queda, uma vez que já estava com algum desgaste”.

Hélder Gonçalves garante que sai de Melgaço “com boas indicações e bastante motivado”, e a credita que “posso fazer um bom Campeonato Nacional de XCM”, mas “este ano parto para essa prova sem nenhum objetivo em concreto. Esta não é a minha modalidade, não sei o que me espera e quem sei quem vai participar, não os conheço bem os meus adversários. Acredito que vou estar à altura e dar o meu melhor”.

Fotos: Marcelo Lopes; by Eduardo Campos

Comentários

Artigos relacionados

Botão Voltar ao Topo

COVID-19

Nas áreas afetadas, a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda medidas de higiene e etiqueta respiratória para reduzir a exposição e transmissão da doença: • Medidas de etiqueta respiratória: tapar o nariz e a boca quando espirrar ou tossir, com um lenço de papel ou com o antebraço, nunca com as mãos, e deitar sempre o lenço de papel no lixo; • Lavar as mãos frequentemente. Deve lavá-las sempre que se assoar, espirrar, tossir ou após contacto direto com pessoas doentes. Deve lavá-las durante 20 segundos (o tempo que demora a cantar os “Parabéns”) com água e sabão ou com solução à base de álcool a 70%; • Evitar contacto próximo com pessoas com infeção respiratória; • Evitar tocar na cara com as mãos; • Evitar partilhar objetos pessoais ou comida em que tenha tocado. Seja responsável, faça a sua parte. Respeite o isolamento social. #JUNTOSVENCEREMOS