CANOAGEM

Ricardo Coelho (CN Ponte Lima): “estou muito confiante para este Mundial”

“Estou muito confiante para este mundial, sabemos que o nível vai ser superior ao do Europeu, mas a medalha alcançada na Rússia deu-nos uma confiança extra”, foi assim que Ricardo Coelho, do CN Ponte de Lima, começou por abordar a sua participação no Campeonato do Mundo de Maratonas, que se realiza de quinta-feira a domingo em Pitesti, na Roménia.

O canoísta do Clube Náutico de Ponte de Lima, que parte na quinta-feira rumo à Roménia, faz equipa com Duarte Lacerda e vão competir em C2 Sénior no dia três de outubro, pelas 08:50h.

O canoísta limiano considera que “temos trabalhado muito, estou na minha melhor forma física, as sensações são boas e esperamos um grande resultado”.

Vocês têm conseguido conciliar os horários para treinar? “Durante a época inteira foi muito complicado. O Duarte trabalha, eu estou a estudar e os horários não eram compatíveis. Mas estas últimas três semanas estamos os dois apenas focados neste objetivo e conseguimos treinar quase sempre juntos”.

“O SONHO É VER A BANDEIRA PORTUGUESA A SER HASTEADA E OUVIR O HINO NACIONAL DO MAIS ALTO LUGAR DO PÓDIO”

Pode-se dizer que neste Mundial vocês apontam ao título ou ao pódio para terminar a época com chave de ouro?

“Sabemos que somos uma tripulação jovem com muito espaço para melhorar, que ao nosso lado vão estar vários medalhados e Campeões do Mundo. Mas qualquer que seja a competição o objetivo é sempre vencer, não pode ser de outra forma. O sonho é ver a bandeira portuguesa a ser hasteada e ouvir o hino nacional do mais alto lugar do pódio”.

A embarcação do CN Ponte de Lima é Vice-Campeã da Europa, uma medalha que dá confianças, mas também alguma responsabilidade…

“Não necessariamente… Não sinto que tenha a responsabilidade de ter um bom resultado na prova, sei que o trabalho está feito e tenho a consciência tranquila que dei tudo o que tinha. Na prova só tenho de continuar a dar o meu melhor e divertir-me a fazer o que gosto”.

“TEM SIDO UM ANO MUITO BOM”

Este tem sido um ano muito positivo para Ricardo Coelho tanto em termos de resultados como em presenças na Seleção Nacional…

“Sem dúvida, tanto nacional como internacionalmente tem sido um ano muito bom. O único ano que se equivale a este foi 2016, mas era Júnior e o nível é totalmente diferente”.

Considerando que “a nível desportivo este ano tem sido muito bom para mim”, Ricardo Coelho salientou ainda que “nos outros anos foi sempre muito difícil conciliar os estudos com os treinos, mas neste consegui treinar muito bem. Além disso, não tive nenhuma lesão que atrasasse o meu progresso e contei sempre com apoio da minha família e amigos que foi fundamental para alcançar bons resultados”.

Ricardo Coelho entrou para a Canoagem por influência dos primos “e porque precisava de praticar algum desporto. Comecei na brincadeira e para ser mais ativo, mas com o tempo fui melhorando, adorava competir e sentir que me conseguia superar a cada dia. Os meus parceiros de treino tornaram-se nos meus melhores amigos e o Clube Náutico de Ponte de Lima na minha segunda casa. Resumindo apaixonei-me por esta modalidade e pelas pessoas que a praticavam”.

A APTIDÃO PARA AS CANOAS

Hoje o Vice-Campeão Europeu de C2 Sénior não se vê longe na Canoagem… “hoje não me consigo imaginar sem remar durante muito tempo… Mas mais do que a Canoagem, não me vejo sem praticar desporto”.

Porquê as canoas? “Comecei pelo kayak e fiz a minha primeira época toda com kayaks. Na segunda época era permitido realizar novamente os torneios abertos se fosse de canoa. Então o meu treinador perguntou-me se queria experimentar, eu aceitei o desafio, gostei muito e vi que tinha mais aptidão para isso”, referiu Ricardo Coelho.

Questionado sobre se não é uma vertente mais difícil, o canoísta limiano afirmou que “acho que é mais difícil para se equilibrar”, mas adiantou que “não dá para dizer que um é mais difícil que o outro, são apenas diferentes”.

“O MEU SONHO É TORNAR-ME CAMPEÃO DO MUNDO E TER UMA CARREIRA DURADOURA E REPLETA DE CONQUISTAS”

Quanto a objetivos e sonhos para o futuro, Ricardo Coelho confessa que “o meu sonho como atleta é tornar-me Campeão do Mundo e mais do que isso conseguir ter uma carreira duradoura repleta de conquistas” e adiantou que “não tanto como atleta, mas como apaixonado por este desporto, gostava de conseguir ajudar a Canoagem a crescer, a motivar e inspirar os mais novos a praticar e a torná-la numa modalidade mais conhecida e apoiada”.

Ricardo Coelho divide o seu tempo entre a Canoagem e os Estudos. Está a tirar o Mestrado em Engenharia Eletrónica na Universidade do Minho. Conciliar tudo nem sempre é fácil…

“Para mim não é muito fácil conciliar tudo, não sou bom a fazer várias coisas ao mesmo tempo, gosto de me focar numa e dedicar todas as minhas energias nisso”, disse o canoísta do CN Ponte de Lima, que confessou que “este ano então foi bastante complicado. Tive de fazer escolhas e acabei por atrasar a minha dissertação em prol das competições”.

Ricardo Coelho encerra a época com a participação no Campeonato do Mundo: “depois do Mundial esta época desportiva termina. Foi mais longa do que o normal, por isso, é necessário descansar para começar a preparar a próxima”.

Comentários

Artigos relacionados

Botão Voltar ao Topo

COVID-19

Nas áreas afetadas, a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda medidas de higiene e etiqueta respiratória para reduzir a exposição e transmissão da doença: • Medidas de etiqueta respiratória: tapar o nariz e a boca quando espirrar ou tossir, com um lenço de papel ou com o antebraço, nunca com as mãos, e deitar sempre o lenço de papel no lixo; • Lavar as mãos frequentemente. Deve lavá-las sempre que se assoar, espirrar, tossir ou após contacto direto com pessoas doentes. Deve lavá-las durante 20 segundos (o tempo que demora a cantar os “Parabéns”) com água e sabão ou com solução à base de álcool a 70%; • Evitar contacto próximo com pessoas com infeção respiratória; • Evitar tocar na cara com as mãos; • Evitar partilhar objetos pessoais ou comida em que tenha tocado. Seja responsável, faça a sua parte. Respeite o isolamento social. #JUNTOSVENCEREMOS