Sem categoria

Braga Rugby quer consolidar-se na I Divisão

“O principal objetivo da presente época é solidificar a nossa presença no Campeonato Nacional da I Divisão”, disse Miguel Corais, presidente do Braga Rugby, clube que já deu início à nova época desportiva.

Quanto aos escalões de Formação, e ainda com o calendário por definir, Miguel Corais salienta que “o importante é competir”.

Depois de dois anos muito complicados, com que espirito partem para a nova temporada? “De facto, nestes dois últimos anos vivemos momentos complicados e que nos colocaram desafios que tentamos sempre que possível ultrapassar. Pelo que vivemos e contando sempre com um futuro melhor, partimos para esta época a nível de equipa Sénior com esperanças de realizarmos um campeonato completo sem grandes sobressaltos”, disse Miguel Corais, que adiantou que “no que respeita aos restantes escalões, e recordo que temos desde os Sub-6 até aos Veteranos, esperamos que seja um ano com alguma atividade competitiva, pois nos últimos dois anos apenas realizamos treinos”.

Por isso, “o nosso espírito é de esperança e luta pelos objetivos que nos propomos no início de cada época”, afirmou o presidente do Braga Rugby.

TRABALHAR ‘FORA DE PORTAS’

O conjunto bracarense arranca a época a treinar ‘fora de portas’, o que pode complicar a preparação, mas Miguel Corais explica: “a questão de treinar fora de portas neste início de época tem a ver com o facto do nosso campo estar a sofrer alterações no relvado com a colocação de relva mais indicada para a prática do rugby e neste aspeto temos que agradecer à Câmara Municipal de Braga a ajuda na concretização deste pedido”.

“Obviamente que em termos desportivos a preparação da pré-época traz-nos algumas complicações, pois temos que andar com a ‘casa às costas’ e por várias localizações, pois nem todos os escalões estão a treinar no mesmo campo, pelo que o desafio não é só em termos desportivos, mas também em termos logísticos”.

O Braga Rugby avança este ano com todos os escalões, desde os Sub-6 até Veteranos, a exemplo do que acontece há anos… “Nós sempre tivemos todos os escalões (desde os Sub-6 até aos Veteranos). Mesmo nestes últimos dois anos, tivemos treinos em todos os escalões, sempre com as devidas precauções e com todas as regras que a DGS impunha. Aliás, o nosso Plano de Contingência foi apresentado ao Delegado de Saúde de Braga da DGS e elogiado pelas Entidades locais, sendo dado como referência. Além disso, quando o confinamento nos obrigou a todos a ir para casa, mantivemos treinos semanais em todos os escalões por videoconferência e devo dizer que a adesão foi acima do que estávamos à espera” e adiantou: “fica aqui uma palavra de orgulho e agradecimento a todos os nossos Atletas e Treinadores.

“TIVEMOS ATLETAS DE OUTRAS MODALIDADES QUE QUISERAM VIR CONHECER O RUGBY”

Até que ponto a pandemia afetou o grupo? “A pandemia teve os seus efeitos no número de atletas federados e atletas que colocaram em ‘standby’ o rugby durante esta pandemia. De uma forma geral tivemos um decréscimo de cerca de 19%”, disse Miguel Corais, que adiantou: “no entanto, foi curioso e satisfatório verificar que embora a angariação de atletas não tivesse o investimento que tinha noutras épocas, tivemos novos atletas de outras modalidades que quiseram vir conhecer o rugby e que ainda hoje se mantém”.

Quanto à nova época, o Braga Rugby parte determinado a trabalhar e a divulgar ainda mais a modalidade em Braga… “Os principais planos para esta época passam pela divulgação em escolas e nas redes sociais e alguns eventos locais para divulgação da modalidade, isto caso a situação pandémica nos permita”.

“Posso indicar por exemplo a realização do Torneio Internacional de Rubgy para os escalões de Formação, que realizamos há 10 anos e que tem vindo a ganhar o seu espaço no calendário de rugby. Nos últimos dois anos não se realizou por motivos da pandemia”, disse o presidente do clube bracarense.

Quanto a outras ações… “estão a ser pensadas, pois mais do que a divulgação da modalidade, queremos divulgar os princípios do rugby. Posso dar como exemplo, o regresso das caminhadas para toda a comunidade, que iremos realizar no último domingo de cada mês, em que o objetivo é que seja uma caminhada para a Família (Pais, Filhos, …)”.

Miguel Corais deixou “uma última palavra para desafiar todos a virem experimentar esta modalidade. Estamos sempre disponíveis para receber quem queira experimentar a modalidade”.

Comentários

Artigos relacionados

Botão Voltar ao Topo

COVID-19

Nas áreas afetadas, a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda medidas de higiene e etiqueta respiratória para reduzir a exposição e transmissão da doença: • Medidas de etiqueta respiratória: tapar o nariz e a boca quando espirrar ou tossir, com um lenço de papel ou com o antebraço, nunca com as mãos, e deitar sempre o lenço de papel no lixo; • Lavar as mãos frequentemente. Deve lavá-las sempre que se assoar, espirrar, tossir ou após contacto direto com pessoas doentes. Deve lavá-las durante 20 segundos (o tempo que demora a cantar os “Parabéns”) com água e sabão ou com solução à base de álcool a 70%; • Evitar contacto próximo com pessoas com infeção respiratória; • Evitar tocar na cara com as mãos; • Evitar partilhar objetos pessoais ou comida em que tenha tocado. Seja responsável, faça a sua parte. Respeite o isolamento social. #JUNTOSVENCEREMOS