CICLISMO

Vinício Rodrigues (Rádio Popular): “gostava de estar na discussão pela Camisola da Juventude”

“Gostava de estar na discussão pela Camisola da Juventude. A concorrência é forte, mas a crono-escalada de quinta-feira pode favorecer-me…teoricamente”, disse Vinício Rodrigues (Rádio Popular-Boavista), a propósito da sua participação na 30.ª edição do Grande Prémio Jornal de Notícias, que arranca amanhã de manhã com um prólogo de 1800m a disputar em Gondomar.

A última prova por etapas, que junta equipas profissionais e de clube portuguesas este ano, decorre até domingo e conta com cinco etapas em linha e dois contrarrelógios (o prólogo e a crono-escalada de quinta-feira).

Vinício Rodrigues, que fez a sua última corrida em julho, garante que “estou preparado. Estou a trabalhar para o JN desde julho, a última vez em que competi”.

BOA PREPARAÇÃO

O ciclista dos Arcos de Valdevez sabe que “a falta de competição pode ser, obviamente, um fator contra”, mas salienta que “fiz uma boa preparação e, por isso, não estou preocupado”.

Para além do mais “as sensações nos treinos têm sido bastante satisfatórias”, referiu Vinício Rodrigues, que salientou que a luta pela Camisola da Juventude é, a partida, um dos seus objetivos.

Quanto ao percurso, o ciclista minhoto referiu que #conheçi muitas das estradas onde vai passar este GP, especialmente, a etapa do último dia…costumo fazer várias vezes a parte final dessa etapa a treinar”.

Qual o maior receio para esta prova? “O único receio são as quedas. Tive uma a semana passada, que, felizmente, não causou danos graves, mas, com algum azar à mistura, poderia ter sido pior”.

Vinício Rodrigues diz-se “motivado” para o regresso à competição e “preparado” para lutar sempre pelo menos resultado para a equipa.

Para além de Vinício Rodrigues a Rádio Popular-Boavista apresenta-se neste GP JN com o famalicense Tiago Machado e o barcelense Pedro Silva.

Comentários

Artigos relacionados

Botão Voltar ao Topo

COVID-19

Nas áreas afetadas, a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda medidas de higiene e etiqueta respiratória para reduzir a exposição e transmissão da doença: • Medidas de etiqueta respiratória: tapar o nariz e a boca quando espirrar ou tossir, com um lenço de papel ou com o antebraço, nunca com as mãos, e deitar sempre o lenço de papel no lixo; • Lavar as mãos frequentemente. Deve lavá-las sempre que se assoar, espirrar, tossir ou após contacto direto com pessoas doentes. Deve lavá-las durante 20 segundos (o tempo que demora a cantar os “Parabéns”) com água e sabão ou com solução à base de álcool a 70%; • Evitar contacto próximo com pessoas com infeção respiratória; • Evitar tocar na cara com as mãos; • Evitar partilhar objetos pessoais ou comida em que tenha tocado. Seja responsável, faça a sua parte. Respeite o isolamento social. #JUNTOSVENCEREMOS