CICLISMO

Rodrigo Neves (CC Barcelos): “tentar fazer o melhor lugar possível”

Rodrigo Neves, ciclista de Esposende que alinha no CC Barcelos/A.F.F./Flynx/H.M. Motor, estreia-se na sexta-feira na Volta a Portugal de Cadetes e com o objetivo de “tentar fazer o melhor lugar possível”.

Depois de um ano em que a prova foi suspensa devido à pandemia, Rodrigo Neves, Cadete de segundo ano do CC Barcelos, mostra-se “motivado”, até porque “é uma daquelas provas que sempre desejei fazer e que me agrada imenso”.

“TEMOS FEITO UMA PREPARAÇÃO ESPECÍFICA PARA AGUENTAR OS TRÂS DIAS NO NOSSO MELHOR”

Esta é a primeira prova por etapas que vocês vão fazer, estão preparados? “Temos feito uma preparação específica para aguentar os três dias de competição no nosso melhor”, disse Rodrigo Neves, que salientou que “de resto, tivemos a Volta a Cantanhede e o Prémio Capital do Móvel, que foram provas que nos mostraram que estávamos no bom caminho”.

Quanto ao trajeto da Volta a Portugal de Cadetes, que se disputa em pleno Ribatejo, Rodrigo Neves referiu que “parece-me uma Volta mais acessível comparando com o trajeto das anteriores, agora vamos ver na prática como corre”.

“HONRA A EQUIPA E OS PATROCINADORES”

O que o treinador vos tem pedido para esta prova? “Essencialmente, o treinador tem pedido para que nós façamos o nosso melhor para honrarmos tanto a equipa, quantos os nossos patrocinadores”.

Já sentes alguma ansiedade/nervosismo? “Com o aproximar da prova é normal que a ansiedade e o nervosismo aumentem um bocadinho. Até porque é uma prova em que vão entrar corredores de outras nacionalidades, o que me deixa mais preocupado pois sabemos qual o seu desempenho”.

Rodrigo Neves diz-se “super confiante” para entrar na aventura que é a Volta a Portugal… “nunca tive uma prova semelhante a esta, o que faz com que tudo seja novidade e um novo desafio, que quero ultrapassar”.

Comentários

Artigos relacionados

Ver também
Fechar
Botão Voltar ao Topo

COVID-19

Nas áreas afetadas, a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda medidas de higiene e etiqueta respiratória para reduzir a exposição e transmissão da doença: • Medidas de etiqueta respiratória: tapar o nariz e a boca quando espirrar ou tossir, com um lenço de papel ou com o antebraço, nunca com as mãos, e deitar sempre o lenço de papel no lixo; • Lavar as mãos frequentemente. Deve lavá-las sempre que se assoar, espirrar, tossir ou após contacto direto com pessoas doentes. Deve lavá-las durante 20 segundos (o tempo que demora a cantar os “Parabéns”) com água e sabão ou com solução à base de álcool a 70%; • Evitar contacto próximo com pessoas com infeção respiratória; • Evitar tocar na cara com as mãos; • Evitar partilhar objetos pessoais ou comida em que tenha tocado. Seja responsável, faça a sua parte. Respeite o isolamento social. #JUNTOSVENCEREMOS