CICLISMO

Pedro Pinto (Tavfer) “extremamente feliz” com a estreia na Seleção de Sub-23

Pedro Pinto, ciclista da Tavfer/Measindot/Mortágua, vai estrear-se ao serviço da Seleção Nacional de Sub-23 na L’Etoile d’Or, prova pontuável para a Taça das Nações de Sub-23, que se realiza nos dias 19 e 20, em França.

O ciclista, que arrancou a época com um segundo lugar na primeira e única prova da Taça de Portugal de Ciclocrosse que se disputou em Melgaço, recebeu a convocatória “com extrema felicidade” pois considera que “é muito importante correr com as cores do nosso país”.

Pedro Pinto foi presença assídua nas Seleções das camadas jovens: “e já participei em alguns estágios em Sub-23, mas é a primeira vez que sou convocado para representar Portugal neste escalão. Não podia estar mais contente”.

A Seleção Nacional parte sábado para França e com o aproximar do arranque da prova, Pedro Pinto confessa que “se calhar estou um pouco ansioso…ando no Ciclismo há muito tempo e tento encarar as corridas sempre como mais uma, mas correr pela Seleção… É um passo muito importante e sei que tenho de encarar esta oportunidade com muita responsabilidade e maturidade”.

“É MUITO IMPORTANTE”

É uma grande responsabilidade correr pela Seleção Nacional? “É, pois estamos a defender o nosso país” disse Pedro Pinto, que referiu que “eu encaro todas as corridas com a mesma responsabilidade, dou tudo pela equipa que estou a defender, neste caso pela seleção, mas é sempre diferente correr pela Seleção Nacional…é muito importante para a carreira de um ciclista”.

Sobre a equipa que vai defender Portugal em França, Pedro Pinto considerou que “temos um grupo bastante coeso e podemos fazer coisas interessantes. Vamos trabalhar na estrada para atingir os objetivos traçados pelo treinador”.

E o que pensas do percurso? “Ainda não tenho uma ideia precisa de como vai decorrer a prova. Sei que num dia teremos duas etapas, com o contrarrelógio a disputar-se de manhã, e uma etapa em linha à tarde. O terreno vai ser um pouco duro, tem algumas subidas pequenas e pelo que vi pode bem ser um percurso que se encaixa bem com as minhas características”.

PEDRO PINTO: DO PÓDIO NO GP MINHO À SELEÇÃO NACIONAL

Pedro Pinto, 20 anos, está no terceiro ano de Sub-23, sempre a defender as cores do Mortágua. Na Formação começou nas Escolas do CC Marco e em Juvenil passou para a ADRAP. Aliás, foi pela equipa de Penafiel que em 2018 subiu ao segundo lugar do pódio no Grande Prémio do Minho.

Já esta temporada, Pedro Pinto arrancou com a competição em Melgaço: “na pré-época faço sempre Ciclocrosse, ajuda-me muito a preparar a época e é uma vertente diferente e que eu gosto de fazer”.

Pedro Pinto foi segundo classificado na categoria de Sub-23 da Taça de Portugal de Melgaço… “não sendo a minha aposta principal, é uma maneira de começar a preparar a época e o resultado também foi animador”.

AS DIFICULDADES DE UM CICLISTAS

O ciclista da Tavfer começou cedo no Ciclismo e por influência do pai… “o meu pai sempre gostou de ciclismo e tem uma loja de bicicletas, portanto, sempre fiz Ciclismo” e garante que “é a modalidade que eu gosto de praticar, apesar de ser bastante exigente. Temos de treinar todos os dias e muitas horas. Temos de ser regrados com tudo na vida, com o que comemos, com as saídas, etc. Temos de estar bem fisicamente para aguentar as corridas e para termos a oportunidade de aparecer nas corridas”.

Mas os ciclistas não trabalham apenas o físico… “também temos de aprender a controlar a ansiedade porque nem sempre os resultados aparecem como e quando queremos. Temos de ir dia a dia”.

Quanto ao futuro, o ciclista do Mortágua garante que “tenho sonhos e gostava de os concretizar, mas quero ir dia a dia, sem pressões…”.

Como qualquer ciclista Pedro Pinto gostava de um dia “correr na Volta a França, nas Clássicas”, mas “para já estou focado na época que estou a fazer” e considera que “o balanço é positivo. Tenho tido alguns bons resultados e senti uma grande evolução do ano passado para este ano. Claro que sei que tenho de trabalhar cada vez mais para tentar ser cada vez melhor. Este ano as coisas têm corrido bem para mim e para a equipa, estamos a fazer uma campanha positiva”.

Comentários

Artigos relacionados

Botão Voltar ao Topo

COVID-19

Nas áreas afetadas, a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda medidas de higiene e etiqueta respiratória para reduzir a exposição e transmissão da doença: • Medidas de etiqueta respiratória: tapar o nariz e a boca quando espirrar ou tossir, com um lenço de papel ou com o antebraço, nunca com as mãos, e deitar sempre o lenço de papel no lixo; • Lavar as mãos frequentemente. Deve lavá-las sempre que se assoar, espirrar, tossir ou após contacto direto com pessoas doentes. Deve lavá-las durante 20 segundos (o tempo que demora a cantar os “Parabéns”) com água e sabão ou com solução à base de álcool a 70%; • Evitar contacto próximo com pessoas com infeção respiratória; • Evitar tocar na cara com as mãos; • Evitar partilhar objetos pessoais ou comida em que tenha tocado. Seja responsável, faça a sua parte. Respeite o isolamento social. #JUNTOSVENCEREMOS