CICLISMO

Roberto Cardoso (Fortunna): “foi uma boa experiência”

Roberto Cardoso, vianense que alinha no Fortunna-Maia, faz um balanço positivo da sua participação na 28.ª Volta a Portugal do Futuro, que encerrou domingo em Castelo de Vide.

O ciclista de Viana do Castelo, que fez a sua Formação na Tensai/Sambiental/Santa Marta, estreou-se na Volta a Portugal do Futuro com um 22.º lugar da geral, 12.º na Classificação da Juventude…

“Foi uma Volta a Portugal positiva”, disse Roberto Cardoso, que adiantou que “foi uma boa experiência”.

Afirmando que “poderia ter sido um pouco maior, pois de dia para dia sentia-me melhor”, Roberto Cardoso considera que “fiquei com a sensação que poderia ter feito um pouco melhor, mas os erros corrigem-se”.

Para Roberto Cardoso a etapa menos conseguida foi a quarta e explica que “não ir muito quente para a etapa da manhã de domingo fez com que não conseguisse sofrer da mesma maneira”.

Questionado sobre o que considera que fez de melhor, o ciclista vianense afirmou que “o facto de ter tentado estar o melhor colocado possível nos momentos cruciais para assim estar entre os melhores”.

Roberto Cardoso vai agora “descansar e recuperar para as próximas corridas” e garante “tenho-me sentido muito bem este ano”.

BALANÇO POSITIVO DA ESTREIA EM SUB-23

Com metade da época passada, Roberto Cardoso faz um balanço positivo da sua estreia no escalão Sub-23: “este ano é, essencialmente, um ano de aprendizagem. Penso que não me estou a sair muito mal. É um escalão que exige muito mais trabalho, mas com esforço e dedicação tudo se consegue”.

Afirmando que “estou a gostar da experiência”, Roberto Cardoso lembra que “cheguei a andar fugido no GP Açores. A Volta ao Futuro foi mais dura, também devido ao calor, e acabei por fazer uma classificação melhor”.

Roberto Cardoso garante que “vou continuar a trabalhar porque quero evoluir e ganhar cada vez mais experiência”.

Comentários

Artigos relacionados

Botão Voltar ao Topo

COVID-19

Nas áreas afetadas, a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda medidas de higiene e etiqueta respiratória para reduzir a exposição e transmissão da doença: • Medidas de etiqueta respiratória: tapar o nariz e a boca quando espirrar ou tossir, com um lenço de papel ou com o antebraço, nunca com as mãos, e deitar sempre o lenço de papel no lixo; • Lavar as mãos frequentemente. Deve lavá-las sempre que se assoar, espirrar, tossir ou após contacto direto com pessoas doentes. Deve lavá-las durante 20 segundos (o tempo que demora a cantar os “Parabéns”) com água e sabão ou com solução à base de álcool a 70%; • Evitar contacto próximo com pessoas com infeção respiratória; • Evitar tocar na cara com as mãos; • Evitar partilhar objetos pessoais ou comida em que tenha tocado. Seja responsável, faça a sua parte. Respeite o isolamento social. #JUNTOSVENCEREMOS