CANOAGEM

Beatriz Barros (CNPLima): “vou dar o meu melhor para conquistar um bom resultado”

“O grande objetivo é ter o melhor desempenho possível. Não sei se será possível lutar pelas medalhas, mas é bom sonhar alto…sempre com os pés bem assentes no chão”, foi assim que Beatriz Barros, canoísta do Clube Náutico de Ponte de Lima, abordou a sua participação no Campeonato da Europa de Maratonas, que se realiza em Moscovo, na Rússia, entre esta quarta-feira e domingo.

A canoísta de Ponte de Lima, que vai participar na prova de C1 em Sub-23, ficou bastante satisfeita com a convocatória e salienta que “foi uma chamada que me apanhou de surpresa. Não estava à espera, mas fiquei muito feliz e vou dar o meu melhor para conquistar um bom resultado”.

Na hora da partida para a Rússia, Beatriz Barros confessa “algum nervosismo”, pois “estas provas ainda me causam alguma ansiedade”, até porque “estive algum tempo afastada na canoagem e só regressei o ano passado, portanto, sei que perdi aqui algumas coisas. Acredito que quando entrar na água tudo vai passar”.

Beatriz Barros, que já esteve habituada a estas andanças da Seleção Nacional, parte com o objetivo de “fazer um bom desempenho”. E lutar pelas medalhas?  “Não sei se será possível, claro que é sempre bom sonhar alto, mas tendo sempre os pés bem assentes no chão. Vou trabalhar, dar o meu melhor e ver no que dá”.

“PREPARAÇÃO CORREU BEM”

A canoísta do CN Ponte de Lima considera que “a preparação correu bem. Tenho trabalhado com os meus colegas do CN Ponte Lima, fizemos uma simulação do que vamos encontrar neste Europeu e correu bem. Claro que nunca se está a 100 por cento, há condições emocionais que podem afetar no dia, mas espero que tudo corra bem”.

Beatriz Barros parte para este Europeu sem referências quanto aos adversários, pois o ano passado não se realizaram provas de Maratonas… “é sempre difícil de acompanhar o escalão de Sub-23, porque todos os anos entram atletas novos. Para mim ainda é mais complicado porque estive algum tempo afastada, mas vou-me focar no meu trabalho”.

Beatriz Barros dá-se bem com qualquer vertente da canoagem… “talvez tenha mais dificuldades em manter-me a alto nível na Velocidade, mas tudo pode acontecer”. De resto: “a opção na Maratona acaba por surgir derivado do meu treino mais consistente: Consigo manter o ritmo mais estável e isso permitiu-me ganhar alguma resistência, que é algo fundamental na Maratona”.

CAMPEÃO NACIONAL DE FUNDO E DE MARATONAS

Depois de alguns de paragem, Beatriz Barros regressou à competição e faz um balanço bem positivo da época em curso… “o balanço é positivo. A época começou com o Nacional de Fundo, que venci, e depois voltei a ganhar no Nacional de Maratonas. Portanto, só posso fazer um balanço bastante positivo, ainda por cima num ano difícil em termos escolares, porque é o meu último ano da faculdade. Conseguir conciliar as duas coisas, conquistar bons resultados e ainda conseguir ser chamada para a Seleção Nacional deixa-me orgulhosa”.

Beatriz Barros estuda no Porto, está a tirar o curso de Fisioterapia, mas este ano conseguiu treinar em Ponte de Lima… “as aulas online deram algum jeito nesse sentido. Consegui treinar em Ponte de Lima e com os meus colegas, só quando tinha aulas físicas é que era mais complicada”.

HÁ 11 ANOS NA CANOAGEM

Beatriz Barros chegou à Canoagem um pouco por acaso, mas a ‘paixão’ já dura há 11 anos… “Entrei para a Canoagem um pouco por arrasto. Os meus irmãos estiveram nas Férias Desportivas na Canoagem e depois acabaram por ficar para a época. Fui com eles e gostei e aqui continuo. Parei durante algum tempo quando entrei para a faculdade, mas consegui regressar o ano passado”.

Quanto ao futuro: “não sei o que vai acontecer, mas gostava de me manter na Canoagem. Esse é o objetivo”.

Comentários

Artigos relacionados

Botão Voltar ao Topo

COVID-19

Nas áreas afetadas, a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda medidas de higiene e etiqueta respiratória para reduzir a exposição e transmissão da doença: • Medidas de etiqueta respiratória: tapar o nariz e a boca quando espirrar ou tossir, com um lenço de papel ou com o antebraço, nunca com as mãos, e deitar sempre o lenço de papel no lixo; • Lavar as mãos frequentemente. Deve lavá-las sempre que se assoar, espirrar, tossir ou após contacto direto com pessoas doentes. Deve lavá-las durante 20 segundos (o tempo que demora a cantar os “Parabéns”) com água e sabão ou com solução à base de álcool a 70%; • Evitar contacto próximo com pessoas com infeção respiratória; • Evitar tocar na cara com as mãos; • Evitar partilhar objetos pessoais ou comida em que tenha tocado. Seja responsável, faça a sua parte. Respeite o isolamento social. #JUNTOSVENCEREMOS