VOLEIBOL

SC Braga na corrida pelo Troféu de Cadetes

O SC Braga pode assegurar sábado, em Viana do Castelo, frente ao VC Viana, a vitória no Troféu AVB/AVVC de Cadetes femininos de Voleibol.

A equipa treinada por José Bastos soma por vitórias todos os jogos que disputou (quatro), tendo cedido apenas um set (ganhou por 3-1 ao Vitória SC) e está a um passo de conquistar o Troféu e assegurar a presença no Campeonato Nacional.

O jogo com o VC Viana está marcado para as 15 horas de sábado, no Pavilhão Santa Maria Maior, em Viana do Castelo.

JOSÉ BASTOS: “REGRESSO À COMPETIÇÃO FOI ALGO IMPORTANTE”

Um ano depois da paragem das competições e com os treinos a decorrerem, a maior parte do tempo, online e de forma isolada, o Voleibol regressou e José Bastos, treinador da equipa de Cadetes do SC Braga, considera que “o regresso à competição foi algo muito importante… e voltar ainda esta época foi fundamental para que muitas atletas não desistam dos seus sonhos”.

“O desporto e o Voleibol faz-se com competição e sem isso elas perdem parte do que as faz desafiarem-se todos os dias a serem melhores. Foi mais de um ano sem competição e voltar agora foi o mal menor disto tudo”, disse aquele técnico.

Sobre o Troféu AVB/AVVC, José Bastos salientou que “é pena serem poucas equipas e de algumas terem sentido essa perda de atletas nos vários escalões. A retoma aos treinos mostrou as consequências do confinamento e com paciência e tempo procuramos voltar aos níveis competitivos que já tínhamos alcançado”.

CONFINAMENTO DEIXOU MARCAS… “TRABALHO E PACIÊNCIA”

Sentiu que houve um grande retrocesso nos processos das atletas? “Foi bastante notório… Após este segundo confinamento e na retoma aos treinos parecia que era a primeira vez que jogavam Voleibol. Com o tempo as rotinas, os padrões, foram voltando”, disse José Bastos, que adiantou que “a nível físico as miúdas foram-se portando muito bem, fazendo os seus ‘tpc’s’ durante todo este tempo, o que denota alguma dedicação e motivação. Mas a nível técnico notou-se um enorme retrocesso”.

O que foi feito para ultrapassar essa situação? “As palavras-chaves foram trabalho e paciência. Procuramos simplificar os processos, e ir avançando a partir daí e elas aceitaram bem o desafio. É uma idade sempre complicada, a entrada no 10.º ano por si só já é complicada tendo em conta a mudança de paradigma das aulas, o início da contabilidade da média do secundário. Este ano com o covid tem sido muito mais problemática e tem-lhes causado muita pressão, que se vai notando no dia a dia, inclusive nos treinos”.

Até aqui o SC Braga tem consigo impor-se aos adversários, venceu os quatro jogos realizados e apenas cedeu um set. José Bastos considera que os resultados são fruto do trabalho realizado ao longo dos anos… “As atletas tiveram um bom desenvolvimento ao longo destes anos e vão percebendo o que lhes pedimos em cada momento, e melhor ou pior, lá vão cumprindo”.

“PRINCIPAL OBJETIVO É COMPETIR…DEPOIS É O APURAMENTO PARA O NACIONAL”

Quanto a objetivos, o treinador do SC Braga considera que “o principal objetivo é competir. Nesta fase isso é o mais importante. O que dávamos como certo já não é tão certo, portanto, temos que aproveitar e agradecer porque podemos competir novamente”.

“Depois o objetivo seguinte passa pelo apuramento para os Nacionais e, como este ano só uma equipa se classifica, temos mesmo de lutar para ficar em primeiro lugar”.

José Bastos considera que disputar o Campeonato Nacional é fundamental para a evolução das atletas… “É muito importante e isso verificou-se nos anos anteriores. Os ‘Nacionais’ são o melhor momento competitivo destas equipas e a ausência de um ‘Nacional’ retira estímulos para elas se superarem constantemente”.

Comentários

Artigos relacionados

Botão Voltar ao Topo

COVID-19

Nas áreas afetadas, a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda medidas de higiene e etiqueta respiratória para reduzir a exposição e transmissão da doença: • Medidas de etiqueta respiratória: tapar o nariz e a boca quando espirrar ou tossir, com um lenço de papel ou com o antebraço, nunca com as mãos, e deitar sempre o lenço de papel no lixo; • Lavar as mãos frequentemente. Deve lavá-las sempre que se assoar, espirrar, tossir ou após contacto direto com pessoas doentes. Deve lavá-las durante 20 segundos (o tempo que demora a cantar os “Parabéns”) com água e sabão ou com solução à base de álcool a 70%; • Evitar contacto próximo com pessoas com infeção respiratória; • Evitar tocar na cara com as mãos; • Evitar partilhar objetos pessoais ou comida em que tenha tocado. Seja responsável, faça a sua parte. Respeite o isolamento social. #JUNTOSVENCEREMOS