VOLEIBOL

Vitória SC com ‘cara nova’ e “olhos postos no futuro”

O Vitória SC apresenta-se para a nova época desportiva com novos rostos na liderança da secção do Voleibol e um novo projeto que pressupõe um horizonte temporal mais alargado e “com olhos postos no futuro”.

“Naquele que pretende ser o primeiro ano de um novo fôlego” a nova direção do Voleibol do Vitória SC pretende “continuar a privilegiar a Formação com qualidade dos jovens voleibolistas, apostando em treinadores imbuídos do espírito formativo com elevados padrões técnicos de competência, bem como apostar em manter os principais escalões no topo do voleibol nacional”, referem os novos responsáveis da secção.

REESTRUTURAR PARA ESTABILIZAR

Afirmando que “a aposta é reestruturar para estabilizar”, a o Vitória SC salienta que vai “apostar em devolver o protagonismo que a modalidade merece, no seio do Vitória SC, mas também na cidade”.

Assim, o Vitória SC entra para o novo projeto com muitas caras novas. Fernando Silva, 52 anos, ex-atleta da modalidade e dirigente fundador da secção de Voleibol do Vitória S.C, aquando do regresso da modalidade ao Clube em 199, é o responsável máximo da secção.

Fernando Silva foi Campeão Nacional da II Divisão e I Divisão A2 como atleta, tendo estado presente como dirigente nos momentos altos da secção, quer em títulos nacionais como participações internacionais.

Quem se mantém na secção é Joaquim Silva, agora com novas funções. Joaquim Silva liderou a secção durante quatro épocas iniciando 2014/2015 tendo regressado em novembro de 2020, mantendo-se na estrutura atual, contribuindo desta forma com a sua vasta experiência na gestão dos destinos do voleibol.

Na estrutura diretiva regressa também Manuel Lopes. Com 53 anos, passou igualmente como treinador pelo andebol e vai contribuir com a sua experiência diretiva e organizacional no desporto neste novo projeto.

Com responsabilidades gerais, mas também a par de Manuel Lopes na coordenação da equipa sénior masculina, estará Jorge Josefino, 53 anos, ex-jogador e ex-árbitro futebol, e é, atualmente, vice-presidente do Conselho Fiscal da Associação de Voleibol de Braga.

Completa o núcleo duro da estrutura diretiva, Nélson Brizida. Nome incontornável do Voleibol nacional, fisioterapeuta de profissão, com 30 internacionalizações em Voleibol de praia World Tour e 38 internacionalizações pela Seleção Nacional. Foi Campeão Nacional em 2000, 2005 e 2008 pelo Vitória Sport Clube, tendo igualmente um título nacional de Voleibol de Praia e uma Taça de Portugal. Soma ainda várias participações em provas internacionais por diferentes clubes e Seleção Nacional, destacando a participação na Liga dos Campeões de Clubes, World League e Campeonatos da Europa em representação de Portugal.

Nelson Brizida assume agora uma posição diretiva na coordenação desportiva da Secção e na reestruturação de toda a secção.

ANTÓNIO SILVA FREITAS E JOSÉ BRAGANÇA ACOMPANHAM EQUIPA FEMININA

Para o Vitória SC “uma secção com a dimensão do Voleibol do Vitória SC, contando atualmente com mais de 150 atletas, necessita de um quadro dirigente mais alargado”. Assim, António Silva Freitas e José Bragança, a par de outras áreas dentro da Secção, serão os homens que acompanharão de perto a equipa Sénior feminina. Ambos colaboram com o voleibol vitoriano há alguns anos, tendo exercido várias funções dentro da estrutura.

Fazem também parte da estrutura diretiva Aureliano Freitas com responsabilidades administrativas e financeiras, bem como António Gonçalves e António Carvalho, mantendo-se João Peixe com a responsabilidade na área de secretariado geral.

Os responsáveis do Vitória SC garantem, no entanto, que “muitos outros se preparam para ingressar na estrutura dirigente, de forma a preparar o Voleibol do Vitória SC para enfrentar a nova época que já se prepara, com uma redobrada ambição e com objetivos claros num futuro que se espera auspicioso”.

Comentários

Artigos relacionados

Botão Voltar ao Topo

COVID-19

Nas áreas afetadas, a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda medidas de higiene e etiqueta respiratória para reduzir a exposição e transmissão da doença: • Medidas de etiqueta respiratória: tapar o nariz e a boca quando espirrar ou tossir, com um lenço de papel ou com o antebraço, nunca com as mãos, e deitar sempre o lenço de papel no lixo; • Lavar as mãos frequentemente. Deve lavá-las sempre que se assoar, espirrar, tossir ou após contacto direto com pessoas doentes. Deve lavá-las durante 20 segundos (o tempo que demora a cantar os “Parabéns”) com água e sabão ou com solução à base de álcool a 70%; • Evitar contacto próximo com pessoas com infeção respiratória; • Evitar tocar na cara com as mãos; • Evitar partilhar objetos pessoais ou comida em que tenha tocado. Seja responsável, faça a sua parte. Respeite o isolamento social. #JUNTOSVENCEREMOS