BASQUETEBOL

Carlos Fechas: “balanço acaba por ser bom”

“O balanço acaba por ser bom, mas nunca é satisfatório”, foi assim que Carlos Fechas, treinador da equipa Sénior masculina do Vitória SC, começou por abordar a campanha que a equipa realizou na Liga Placard de Basquetebol.

O Vitória SC chegou aos play-offs, onde defrontou um Sporting muito forte – está na final da Liga Placard –  e acabou por ser afastado após o quarto jogo (1-3).

Carlos Fechas lembra que “acabamos por ser competitivos e deixar a eliminatória em aberto até ao quarto jogo. Foi pena no segundo jogo no ‘João Rocha’ não termos conseguido um a vitória. Fizemos um bom jogo e pusemos a vitória do Sporting em causa, mas não conseguimos ultrapassá-los no marcador”.

O Vitória SC consegue vencer no primeiro jogo em casa… “o terceiro do play-off foi muito bem conseguido da nossa parte. Fizemos um jogo excelente e conseguimos abrir a eliminatória novamente”, disse Carlos Fechas, que adiantou: “no quarto jogo a ideia era repetir o fizemos…mas o Sporting apareceu muito forte nesse jogo. Nós acusamos já alguma fadiga e tínhamos menos soluções no banco, pois tínhamos menos um atleta. Isso foi-nos fatal”.

“MOSTRAMOS QUE SOMOS UMA EQUIPA COMPETITIVA”

Carlos Fechas considera que “o balanço acaba por ser bom, mas nunca é satisfatório quando não se avanças no play-off. Mostramos que somos uma equipa competitiva, conseguimo-nos bater com o primeiro em muitos momentos do jogo, mas não conseguimos seguir em frente. Nós almejamos sempre chegar o mais longe possível, mesmo sabendo que os orçamentos das duas equipas erma bem distintos”.

“Penso que fizemos duas boas épocas. Fizemos um ano fantástico em 2020, foi pena o campeonato ter terminado abruptamente. Tínhamos aspirações, estávamos nos quatro primeiros e podíamos chegar longe. Este ano havia expetativas altas, nós acabamos por fazer um bom campeonato, com alguma irregularidade à mistura e foi aí que pecamos”, disse o técnico do Vitória SC, que lembrou que “para este ano perdemos elementos fundamentais e que traziam à equipa outro equilíbrio. Nós temos muito talento, mas faltou-nos alguma experiência, alguma matreirice que acabam por ser importantes para se ganhar alguns jogos. Contra as equipas fortes pagamos caro essa falta de experiência… este ano tivemos vários atletas que estavam a jogar neste nível pela primeira vez e isso tem o seu preço”.

Afirmando que “trabalhamos muito e estou muito satisfeito pelo que conseguimos fazer”, Carlos Fechas não tem dúvidas e garante que “o balanço que fazemos é muito positivo”.

O Vitória SC debateu-se com vários problemas de lesões que afetaram o rendimento da equipa em momentos importantes da equipa… “tivemos várias baixas, nunca fomos capazes de ser consistentes e evoluir a equipa. As lesões levaram a quebras no nível dos treinos e como consequência nos jogos. Tivemos várias lesões, que foram acontecendo quase consecutivamente. Quando um ficava apto, lesionava-se outro e num grupo relativamente pequeno isso notou-se muito e afetou a qualidade de treino, de jogo”.

SPORTING, O CARRASCO

O Sporting foi o ‘carrasco’ do Vitória SC este último ano. Afastou a equipa de Carlos Fechas, em setembro, da final da Taça de Portugal de 2019/20. Afastou depois da ‘Final Four’ da Taça de Portugal 2020/21 e do play-off da Liga PLacard de Basquetebol…

“O Sporting é de facto a equipa que nos ficou atravessada este ano. Mostrou ser a equipa mais forte e está na final da Liga Placard. Foi mais forte nas duas Taças de Portugal (2019/20 e 2020/21)…fomos eliminados pelo Sporting nas Taças e agora no campeonato. Tudo isto só nos faz perceber que temos de nos preparar ainda melhor para podermos competir com equipas como o Sporting. É interessante analisar os jogos, existem diferenças, mas que não são tão grandes como seriam de supor pelos orçamentos”.

“Nós baixamos o nosso orçamento relativamente aos anos anteriores e conseguimos competir em muitos momentos do jogo e até conseguimos vencer um jogo. Na Taça tivemos duas posses de bola para conseguir a vitória…trabalhamos muito, agora temos de perceber que é preciso ir um bocadinho mais além. É preciso mais apoio e com estrutura e planeamento da época é bem possível ser mais competitivo e ganhar mais jogos do que ganhamos este ano ao Sporting”, disse Carlos Fechas.

Afirmando que “é possível ganhar as melhores equipas e estar na luta pelos lugares cimeiros”, Carlos Fechas explicou que para isso “é preciso mais apoio do tecido empresarial, para que possamos ter um orçamento melhor e maior e com isso podermos tentar um maior reforço da equipa, ficarmos ainda mais próximos das equipas que lutam pelos títulos. Já andamos perto dos lugares de cima, mas se tivermos mais meios, aumentamos a possibilidades de lutar pelos títulos”.

O AGRADECIMENTO AO GRUPO DE TRABALHO… E AOS ADEPTOS

Na hora de fazer o balanço, Carlos Fechas deia uma palavra ao grupo: “pelo esforço, dedicação que demonstraram durante toda a época. Jogaram muitas vezes tocados e treinaram limitados e continuaram a trabalhar para ajudar a equipa”.

“Outra palavra para os adeptos porque mesmo não podendo estar no pavilhão sentimos sempre um grande apoio, ainda mais nesta parte final da época. Temos pena de não ter conseguido dar-lhes esta alegria, de marcarmos presença no ponto alto da época…mas esperamos e acreditamos que o Vitória SC lhes vai dar muitas alegrias desportivas em breve”.

Quanto ao futuro, Carlos Fechas referiu que “agora é descansar um pouco, refletir o que foi a época, pensar naquilo que pretendemos para o futuro e esperar para ver quais serão os desenvolvimentos…”. Certo é que “Estou muito satisfeito em Guimarães com o projeto que temos…mas quanto ao futuro teremos de aguardar para ver”.

Comentários

Artigos relacionados

Botão Voltar ao Topo

COVID-19

Nas áreas afetadas, a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda medidas de higiene e etiqueta respiratória para reduzir a exposição e transmissão da doença: • Medidas de etiqueta respiratória: tapar o nariz e a boca quando espirrar ou tossir, com um lenço de papel ou com o antebraço, nunca com as mãos, e deitar sempre o lenço de papel no lixo; • Lavar as mãos frequentemente. Deve lavá-las sempre que se assoar, espirrar, tossir ou após contacto direto com pessoas doentes. Deve lavá-las durante 20 segundos (o tempo que demora a cantar os “Parabéns”) com água e sabão ou com solução à base de álcool a 70%; • Evitar contacto próximo com pessoas com infeção respiratória; • Evitar tocar na cara com as mãos; • Evitar partilhar objetos pessoais ou comida em que tenha tocado. Seja responsável, faça a sua parte. Respeite o isolamento social. #JUNTOSVENCEREMOS