CICLISMO

César Fonte o melhor minhoto na Volta ao Algarve

César Fonte, vianense que alinha na Kelly/Simoldes/UDO, foi o melhor ciclista da quinta e última etapa da Volta ao Algarve, que ligou hoje Albufeira ao alto do Malhão, Loulé, ao longo de 170,1 quilómetros.

O ciclista vianense cortou a meta no 45.º lugar a 2.33m do grande vencedor da etapa, o francês Élie Gesbert (Team Arkéa-Samsic).

César Fonte foi ainda o melhor ciclista minhoto na Volta ao Algarve ao terminar no 28.º lugar, numa prova ganha pelo português João Rodrigues (W52-FC Porto).

JOÁO BENTA NO TOP60

João Benta, ciclista de Esposende que alinha na Rádio Popular – Boavista, terminou a Volta ao Algarve no 41.º lugar depois de ter concluído a etapa de hoje no 64.º lugar a cerca de quatro minutos do vencedor.

IÚRI LEITÃO E PEDRO MIGUEL LOPES COM PRESTAÇÕES POSITIVAS

Numa edição da Volta ao Algarve em que nenhum ciclista minhoto desistiu, de realçar a prestação dos Sub-23. A grande maioria estreou-se nesta prestigiada prova, que contou com alguns dos grandes nomes do Ciclismo mundial. Iúri Leitão, vianense da Tavfer-Measindot-Mortágua, conseguiu mesmo estar na disputa das duas etapas ao sprint, enquanto Pedro Miguel Lopes, vimaranense da Kelly/Simoldes/UDO esteve no top5 da Classificação da Juventude até aos últimos dias.

Depois de concluída a quinta etapa, Pedro Miguel Lopes, que fez a sua terceira Volta ao Algarve, terminou esta edição no 60.º lugar, sento o sétimo melhor atleta Sub-23 em prova.

Hélder Gonçalves, barcelense da Kelly, terminou a Volta ao Algarve na 116.ª posição, enquanto Pedro Silva (Rádio Popular-Boavista) foi 119.º.

Iúri Leitão terminou em 145.º, João Salgado, vimaranense da Kelly, concluiu a sua primeira Volta ao Algarve em 153.º

Comentários

Artigos relacionados

Botão Voltar ao Topo

COVID-19

Nas áreas afetadas, a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda medidas de higiene e etiqueta respiratória para reduzir a exposição e transmissão da doença: • Medidas de etiqueta respiratória: tapar o nariz e a boca quando espirrar ou tossir, com um lenço de papel ou com o antebraço, nunca com as mãos, e deitar sempre o lenço de papel no lixo; • Lavar as mãos frequentemente. Deve lavá-las sempre que se assoar, espirrar, tossir ou após contacto direto com pessoas doentes. Deve lavá-las durante 20 segundos (o tempo que demora a cantar os “Parabéns”) com água e sabão ou com solução à base de álcool a 70%; • Evitar contacto próximo com pessoas com infeção respiratória; • Evitar tocar na cara com as mãos; • Evitar partilhar objetos pessoais ou comida em que tenha tocado. Seja responsável, faça a sua parte. Respeite o isolamento social. #JUNTOSVENCEREMOS