BASQUETEBOL

GDAS quer manter dinâmica da Formação

“A nossa expetativa é manter a mesma dinâmica que conseguimos até aqui. Sabemos que não vai ser fácil e temos de mostrar um futuro de alguma competição para os atletas voltarem, mas estamos confiantes”, disse Alexandre Oliveira, coordenador do Grupo Desportivo André Soares.

A Formação está sem competição há mais de um ano e os treinos – mesmo os individuais e sujeitos a muitas limitações – foram suspenso em janeiro devido ao confinamento decretado pelo governo.

“É muito tempo sem treinos, sem competição e vai ser difícil cativar os jovens para o regresso ao desporto, seja para que modalidade for”, disse aquele responsável, que salientou que “a Formação, neste momento, é uma incógnita. Não sabemos como vai reagir ao retorno aos treinos”.

Alexandre Oliveira lembrou que “os jovens que estavam na modalidade já não têm competição há um ano e os treinos eram bem diferentes do que estavam habituados. Se não lhes mostrarmos um futuro, uma competição, seja ela qual for, não sei como conseguiremos cativa-los”.

De referir que, segundo as medidas do governo para o desconfinamento, as modalidades de médio risco, como o Basquetebol, podem retomar os treinos a 18 de abril, mas, para já, os treinos terão de ser limitados.

Alexandre Oliveira considera que “a Associação de Basquetebol de Braga tem aqui um papel fundamental, terá que fazer alguma força para que a Formação possa retomar com alguma competição. Seja ela dentro do concelho, 3×3, ao ar livre ou no pavilhão, etc”.

“Os jovens estão desanimados, o que é normal depois deste tempo todo, com tanta incerteza e sem treinos normais e jogos. É importante ter aqui alguma expetativa de competição para que possam regressar aos treinos, quando for possível, e voltem ao desporto e à modalidade”.

Neste momento “temos de ter calma e saber esperar pela a autorização do regresso aos treinos. Até lá não podemos fazer muita coisa”

Comentários

Artigos relacionados

Botão Voltar ao Topo

COVID-19

Nas áreas afetadas, a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda medidas de higiene e etiqueta respiratória para reduzir a exposição e transmissão da doença: • Medidas de etiqueta respiratória: tapar o nariz e a boca quando espirrar ou tossir, com um lenço de papel ou com o antebraço, nunca com as mãos, e deitar sempre o lenço de papel no lixo; • Lavar as mãos frequentemente. Deve lavá-las sempre que se assoar, espirrar, tossir ou após contacto direto com pessoas doentes. Deve lavá-las durante 20 segundos (o tempo que demora a cantar os “Parabéns”) com água e sabão ou com solução à base de álcool a 70%; • Evitar contacto próximo com pessoas com infeção respiratória; • Evitar tocar na cara com as mãos; • Evitar partilhar objetos pessoais ou comida em que tenha tocado. Seja responsável, faça a sua parte. Respeite o isolamento social. #JUNTOSVENCEREMOS