CANOAGEM

Clube Náutico de Fão empenhado em manter rotinas de treino e estudo

O Clube Náutico de Fão continua empenhado em manter as rotinas de treino e estudo dos seus atletas, garantindo assim que eles continuam ligados ao clube e à modalidade, ao mesmo tempo, que lhes proporciona hábitos saudáveis.

O clube, que em 2020 avançou com um projeto revolucionário, criou condições, melhorou as infraestruturas, adquiriu material e avançou com o Centro de Excelência Desportiva e Escolar, mantém mais de cem atletas em treino, uns em casa e outros com treinos no rio, e 45 frequentam o apoio ao estudo.

António Páscoa começou por referir que “por aqui estamos fortes, com boas rotinas de treino e de estudo para manter uma vida saudável” e adiantou: “temos muitos atletas a treinar em casa e outros a treinar no rio, sem ginásio, nem balneários. O acompanhamento do estudo é feito online”.

ANTÓNIO PÁSCOA: “NÃO PODEMOS BAIXAR A GUARDA”

Afirmando que “não se pode baixar a guarda porque atletas não se rendem”, António Páscoa explicou que os treinos no rio continuam porque “é entendido por todos que o rio é o lugar mais seguro para estar quanto ao Covid. Só não há mais atletas a fazer treinos na água porque limitamos os atletas por treino. Os outros fazem em casa, acompanhados pelos treinadores através das novas tecnologias. Por eles e pelos pais  vinham todos, para desconfinar em segurança”.

António Páscoa lembra que “até hoje não tivemos nenhum caso de contágio, mesmo com 130 atletas no clube, na cafetaria ou no centro de estudos. As regras de higiene estão bem implementadas e mostraram funcionar perfeitamente”.

O Diretor de Gestão do CN Fão garante que até ao momento o clube não perdeu atletas, mas “a prova de fogo será quando desconfinarmos. Alguns atletas vão substituir hábitos saudáveis de treino por jogos informáticos e depois vai demorar a recuperar os bons hábitos novamente. Se perdermos atletas vai ser para os jogos eletrônicos…mas eles voltam”.

“O MAIOR DESAFIO É O FINANCEIRO”

Para António Páscoa o maior desafio será outro… “o maior desafio é financeiro. Gasta-se muito dinheiro em produtos de higiene, máscaras, álcool gel e não se consegue tantos patrocínios e receitas. A gestão ainda fica mais ‘à justa’, mas a alegria dos atletas vale o esforço”.

O Diretor do CN Fão sabe que “vamos ter que trabalhar mais, esforçarmo-nos mais para tentar fazer face a tudo isso, mas estamos cá para trabalhar” e referiu que “o facto de não termos perdido atletas é a melhor resposta. Eles não estão a ir aos treinos de águas, mas continuam ligados e a responder às mensagens”.

De referir que o CN Fão tem 136 atletas inscritos, sendo que 105 estão a treinar, pelo menos, uma vez por semana e 45 frequentam também o apoio ao estudo. Para acompanhar os atletas/alunos o conjunto de Fão conta com um grupo de nove treinadores desportivos, três professores escolares e um funcionário de apoio… “Daí a necessidade de gerir tudo com muito cuidado. Não podemos falhar com eles” disse António Páscoa.

O Diretor do CN Fão acredita que “quando desconfinarmos de vez e a atividade renascer, ainda por cima por altura do bom tempo, vai ser espetacular ver os atletas mais e menos jovens a fazer uma mancha humana no rio Cávado, fazer as nossas festas conhecidas e reconhecidas, os nossos churrascos, as competições que são sempre uma grande festa com o apoio dos pais, os campos de férias, os acampamentos” e adiantou “já temos saudades de competir, da adrenalina.”

“DESANIMAR…É UM LUXO QUE NÃO PERMITIMOS A NÓS MESMOS”

António Páscoa garante que apesar da pandemia e de tudo o que ela trouxe “não desanimamos” e adiantou que “não conhecemos o clube sem ser em pandemia porque ela chegou logo depois de nós e mesmo assim conseguimos o que conseguimos. Remodelados o clube, organizamos as equipas e até fomos Campeões Nacionais das Primeiras Pagaiadas, o expoente máximo da captação e formação. Nós estamos bem estruturados e organizados. Agora é altura de cuidar da contenção da doença e temos de fomentar os bons comportamentos junto dos atletas, proporcionando o treino quando é seguro.  E aproveitamos para fazer algumas obras, como uns cacifos, móveis dos balneários, suportes para o Kayak Polo”.

“Quando isto arrancar, acreditamos que vamos finalmente todos usufruir do desporto e do clube, com a equipa de competição, a escola de canoagem, a natação, o apoio ao estudo, as atividades lúdicas, o ginásio, as competições e provas de lazer nacionais que vão acontecer no clube. Nós estamos a trabalhar todos os dias, sem tempo para desanimar, é um luxo que não permitimos a nós mesmo”.

Comentários

Artigos relacionados

Botão Voltar ao Topo

COVID-19

Nas áreas afetadas, a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda medidas de higiene e etiqueta respiratória para reduzir a exposição e transmissão da doença: • Medidas de etiqueta respiratória: tapar o nariz e a boca quando espirrar ou tossir, com um lenço de papel ou com o antebraço, nunca com as mãos, e deitar sempre o lenço de papel no lixo; • Lavar as mãos frequentemente. Deve lavá-las sempre que se assoar, espirrar, tossir ou após contacto direto com pessoas doentes. Deve lavá-las durante 20 segundos (o tempo que demora a cantar os “Parabéns”) com água e sabão ou com solução à base de álcool a 70%; • Evitar contacto próximo com pessoas com infeção respiratória; • Evitar tocar na cara com as mãos; • Evitar partilhar objetos pessoais ou comida em que tenha tocado. Seja responsável, faça a sua parte. Respeite o isolamento social. #JUNTOSVENCEREMOS