BASQUETEBOL

APD – Braga BCR em maioria no estágio da Seleção A

Hélder Freitas, Filipe Carneiro, Jorge Palmeira, Sílvio Nogueira e Zé Miguel, jogadores da APD – Braga, integraram esta sexta-feira a segunda concentração da época da Seleção Nacional A de BCR, que se realiza no Luso até terça-feira.

A APD – Braga BCR é o clube que cede mais jogadores a esta segunda concentração, que conta com um total de 14 atletas.

Relativamente ao primeiro estágio, realizado em outubro, não vão estar presentes, por motivos profissionais, os atletas Henrique Sousa (1.0, extremo) e o capitão Márcio Dias (4.5, poste). A acompanhar os atletas de Braga vai estar ainda o treinador do APD – Braga, Ricardo Vieira, que é um dos adjuntos de Marco Galego, para além de ser o selecionador dos Sub-22.

 

MANUEL VIEIRA: “NESTA ALTURA NÃO É FÁCIL PEDIR DISPENSA NO TRABALHO”

 

Manuel Vieira, responsável pela APD – Braga BCR, começou por referir que “o Henrique Sousa e o Márcio Dias não vão estar presentes por motivos profissionais. No clube nenhum atleta é profissional de Basquetebol, todos os elementos têm os seus trabalhos e quando se realizam os estágios os atletas têm de optar se solicitam dispensa para poder estar presente no estágio da Seleção Nacional, ou optam por trabalhar. A situação que se vive atinge toda a gente e não é fácil estar a pedir dispensa no trabalho, apesar de termos essa liberdade. Os dois atletas entenderam que, nesta altura, era preferível ficarem a trabalhar e, por isso, não foram chamados”.

“Claro que o facto de um deles ser o capitão da Seleção Nacional, o Márcio Dias, causa sempre algum impacto, mas os jogadores da APD – Braga que vão estar presentes vão com toda a força e vão mostrar que estão lá porque são os melhores”.

 

“É SINAL DO BOM TRABALHO QUE SE FAZ NA EQUIPA”

 

Já é habitual a APD – Braga ceder vários jogadores à Seleção Nacional… “é sinal do bom trabalho que se faz na equipa… é sinal que os colegas têm estado a colaborar e a obrigá-los a trabalhar arduamente. Mérito dos que são chamados, mas não tenho dúvidas que todos os outros têm valor para chegar um dia à Seleção. Neste momento, o selecionador tem confiança nestes atletas e eles merecem porque trabalham muito”.

A equipa da APD – Braga lidera o Campeonato Nacional de Basquetebol em Cadeira de Rodas, quando estão decorridas três jornadas e muitas paragens motivadas pela pandemia que se vive. Manuel Vieira refere que “nós vivemos esta situação com muita apreensão e tristeza. Nós, atletas e equipa, temos feito um esforço enorme para a salvaguarda pessoal e institucional. Preparamo-nos com todas as condições para que se pudesse reativar o desporto e os atletas têm tido um cuidado acima da média para que não haja problemas de maior. Nós privamo-nos de muito para praticar um desporto que nos dá prazer e depois deparamo-nos com estas paragens, que nos preocupam imenso”.

 

“QUANDO PARAM AS COMPETIÇÕES ESTÃO A DEITAR POR ÁGUA ABAIXO TODO O NOSSO ESFORÇO”

 

Manuel Vieira afirma mesmo que “nós temos mostrado que estamos a colaborar, que estamos a fazer um trabalho seguro e quando param as competições estão a deitar por água abaixo todo o nosso esforço”.

“Estamos a abdicar de estar com amigos e até com a família para não corrermos riscos e podermos jogar e depois param tudo…não olham para o esforço e os cuidados que os atletas têm. Pelo esforço que todos os atletas estão a fazer merecíamos mais respeito”, disse ainda aquele responsável pela APD – Braga.

Interrogado sobre se é fácil manter a equipa motivada, apesar dos sucessivos adiamentos, Manuel Vieira garante que “fácil nunca é” e adiantou: “estamos a falar de atletas amadores, todos nós trabalhamos durante o dia e no final do trabalho vamos treinar e damos sempre o máximo de nós. Vamos sempre motivados e com uma grande vontade de treinar para competir. Ninguém gosta de treinar só por treinar, queremos jogos. Por isso, é que fazemos um esforço a nível pessoal enorme. Claro que ficamos tristes com estes sucessivos adiamentos de jogos. O que vale é que nós somos uma grande família e tentamos motivar-nos uns aos outros”.

Comentários

Artigos relacionados

Botão Voltar ao Topo

COVID-19

Nas áreas afetadas, a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda medidas de higiene e etiqueta respiratória para reduzir a exposição e transmissão da doença: • Medidas de etiqueta respiratória: tapar o nariz e a boca quando espirrar ou tossir, com um lenço de papel ou com o antebraço, nunca com as mãos, e deitar sempre o lenço de papel no lixo; • Lavar as mãos frequentemente. Deve lavá-las sempre que se assoar, espirrar, tossir ou após contacto direto com pessoas doentes. Deve lavá-las durante 20 segundos (o tempo que demora a cantar os “Parabéns”) com água e sabão ou com solução à base de álcool a 70%; • Evitar contacto próximo com pessoas com infeção respiratória; • Evitar tocar na cara com as mãos; • Evitar partilhar objetos pessoais ou comida em que tenha tocado. Seja responsável, faça a sua parte. Respeite o isolamento social. #JUNTOSVENCEREMOS