BASQUETEBOL

Carlos Fechas: “saímos frustrados… queríamos muito ganhar”

“Saímos frustrados por não termos conseguimos vencer o jogo e queríamos muito ganhar” começou por afirmar Carlos Fechas, treinador do Vitória SC, que esta noite perdeu com o Sporting, por 85-71, e viu-se afastado da final da Taça de Portugal 2019/20.

Apesar da derrota, o Vitória SC realizou, principalmente, na segunda parte um grande jogo e conseguiu mesmo fazer tremer o Sporting, quando reduziu a diferença pontual para 65-62…

“Estivemos muito perto de empatar, mas falhamos a posse de bola que nos daria o empate e aí o Sporting acabou por fechar o jogo com alguns triplos”, referiu Carlos Fechas, que lembra que “nós entramos relativamente bem no jogo, mas depois tivemos um período grande sem conseguir converter porque não conseguimos solucionar um problema que o Sporting nos estava a arranjar. Perdemo-nos ofensiva e defensivamente e não jogamos com a intensidade que nos era exigida”.

“FIZEMOS UMA EXCELENTE SEGUNDA PARTE, MAS NÃO FOI O SUFICIENTE”

Depois do intervalo as coisas mudaram: “conseguimos corrigir as posições e os erros e depois foi taco a taco. Fizemos uma excelente segunda parte, mas não foi suficiente”.

Questionado sobre se o facto do Sporting ter realizado já vários jogos oficiais depois do confinamento (jogou para a Liga dos Campeões), teve influência no jogo desta noite, Carlos Fechas referiu que “isso é um facto, eles chegaram aqui com um ritmo diferente. Depois têm jogadores que, na sua grande maioria, são mais experientes nestas andanças de disputar jogos decisivos. A experiência individual dos atletas e o facto de terem começado muito mais cedo a preparação, em relação a nós, e de já terem disputados jogos de grande dificuldade na Liga dos Campeões, fez alguma diferença. Nós fizemos alguns jogos de preparação, mas este foi o nosso primeiro jogo oficial e notou-se”.

Carlos Fechas diz-se “triste por perder”, mas refere que “o jogo que fizemos até é motivo de orgulho. Conseguimos estar a discutir o resultado até ao final com uma equipa que começou a trabalhar muito mais cedo do que nós e já esteve envolvido em grandes competições, enquanto nós estamos a trabalhar com a equipa toda há relativamente pouco tempo”.

EXPETATIVAS ALTAS

O afastamento da final da Taça de Portugal pode deixar marcas para o campeonato que arranca já no fim de semana?

“Marcas podem sempre ficar. Vai depender da forma como os atletas encararem as coisas. Se conseguirem perceber que é preciso aprender com os erros que cometemos, então vamos ser melhor equipa a muito breve trecho, podemos até ser muito melhor já frente ao Barreirense. Se por outro lado olharmos para outras questões laterais, que não acrescentam nada de valor à equipa, então pode ser um problema” referiu Carlos Fechas, que acrescentou que “acredito que podemos dar uma resposta muito positiva já frente ao Barreirense, vamos esperar”.

O treinador do Vitória SC lembrou que “é certo que nós colocamos as expetativas altas, queríamos muito ganhar, trazer a Taça para Guimarães. Achámos que temos capacidade e valor para o conseguir, mas hoje o Sporting foi mais forte. Estamos frustrados por não termos conseguido vencer, mas agora é muda o chip e começar a pensar no campeonato”.

“TEMOS UMA NOVA E IMPORTANTE BATALHA PELA FRENTE”

Com a Taça de Portugal 2019/20 ultrapassada, o Vitória SC centra-se agora no arranque da Liga Placard e já no próximo domingo defronta o Barreirense.

“Pela frente temos uma nova e importante batalha. A Liga arranca no fim de semana e é importante começar bem e começar com uma vitória sobre o Barreirense. Temos um calendário difícil, num campeonato que vai ser muito equilibrado, que conta com várias equipas com muita qualidade. É importante conseguirmos somar o maior número de vitórias para nos mantermos na luta pelos nossos objetivos”.

O Vitória SC goza esta quinta-feira a sua folga, para retomar os trabalhos na sexta-feira já com operação Barreirense em mente.

Fotos: FPB

Comentários

Artigos relacionados

Ver também
Fechar
Botão Voltar ao Topo

COVID-19

Nas áreas afetadas, a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda medidas de higiene e etiqueta respiratória para reduzir a exposição e transmissão da doença: • Medidas de etiqueta respiratória: tapar o nariz e a boca quando espirrar ou tossir, com um lenço de papel ou com o antebraço, nunca com as mãos, e deitar sempre o lenço de papel no lixo; • Lavar as mãos frequentemente. Deve lavá-las sempre que se assoar, espirrar, tossir ou após contacto direto com pessoas doentes. Deve lavá-las durante 20 segundos (o tempo que demora a cantar os “Parabéns”) com água e sabão ou com solução à base de álcool a 70%; • Evitar contacto próximo com pessoas com infeção respiratória; • Evitar tocar na cara com as mãos; • Evitar partilhar objetos pessoais ou comida em que tenha tocado. Seja responsável, faça a sua parte. Respeite o isolamento social. #JUNTOSVENCEREMOS