BASQUETEBOL

Vitória SC mede forças com o GDESSA Barreiro

O Vitória SC inicia este sábado, a partir das 15.30 horas, a sua participação na Liga Skoiy de Basquetebol feminino. A equipa treinada por Rui Costa desloca-se ao sempre complicado terreno do GDESSA Barreiro, mas parte confiante em fazer um bom resultado, até porque o objetivo do clube passada por melhorar as classificações obtidas nos anos anteriores.

O Vitória SC apresenta-se esta ano com algumas novidades, começando logo pela equipa técnica. Rui Costa substitui Eduardo Forte Ribeiro, que assume o papel de adjunto. No plantel são cinco as caras novas: Tatiane Pacheco (ex-Sampaio Basquete) e Barbara Souza (ex-Sesi/Araraquara), internacionais do Brasil; Luiana (ex-Westfield Health Sheffield Hatters), internacional portuguesa, e ainda a norte-americana Grayson Bright (ex-Louisiana Tech University) e Cátia Bischoff (ex-SC Braga).

Da época passada continuam as Bases Sara Ressurreição, Catarina Mateus, Bárbara Miranda e Catarina Francisco; as Sxtremos: Ana Moura, Isabel Cunha e Mariana Machado; as Postes: Ana Pedroso e Eduarda Bruno.

RUI COSTA “ACREDITO QUE ESTAMOS PREPARADOS PARA COMEÇAR A ÉPOCA”

O Vitória SC já começou a trabalhar há algum tempo e Rui Costa considera que “a equipa trabalhou bastante bem durante a pré-época, mostrou sempre uma grande vontade de trabalhar e respondeu muito bem os estímulos. Quando se trabalha muito e, especialmente, depois de uma longa paragem, acaba por se ter alguns percalços, tivemos pequenas lesões. São contratempos que os treinadores não querem ter, mas fazem parte do dia a dia das atletas e dos treinadores”.

“Tirando isso, esta fase de pré-época correu como o previsto, conseguimos ter alguns jogos amigáveis e ajustar aqui e ali a nossa preparação” disse o treinador do Vitória SC, que acrescentou que “por isso, acredito que estamos preparados para começar a época e que estamos num bom momento”.

E como está o Vitória SC a encarar o primeiro jogo do campeonato? “É o primeiro jogo da Liga e defrontamos uma equipa que, tradicionalmente, é candidata ao título, que vai jogar no seu recinto. É uma equipa muito forte, manteve a base do último ano e reforçou-se com nomes sonantes. É, certamente, uma equipa a ter em consideração”, disse Rui Costa, que salientou que “é com este tipo de adversários que nos queremos debater. Sabemos que vai ser um jogo difícil, mas estamos prontos para o desafio”.

Para Rui Costa o grande adversário neste regresso da competição “será sempre a paragem” e aqui “todas as equipas estão em pé de igualdade. Será o grande rival das equipas, que não quiseram estar paradas, mas viram o seu trabalho suspenso por muito tempo. O regresso aos treinos foi difícil para todos porque por muito que as atletas tivessem trabalhado no confinamento, a intensidade e a carga de treino não é comparável e o regresso à normalidade foi complicada, até para evitar lesões”.

“HONRAR O NOME DO CLUBE”

Seja como for, o Vitória SC vai ao recinto do GDESSA, disposto que “a lutar pela vitória” e, como é seu apanágio, “vamos competir para honrar o nome do clube. Neste jogo e em todos os jogos, contra qualquer adversário, vamos trabalhar para ganhar”.

“Sabemos que há adversários que têm outras ferramentas, entram no campeonato com outro tipo de armas, mas o Vitória SC vai entrar em cada jogo para honrar o nome do clube e lutar pela vitória”, disse Rui Costa, que foi mais longe e afirmou que “nós queremos ser competitivos, queremos estar nos play offs, por isso, seja qual o adversário queremos ganhar”.

“O projeto do Basquetebol Feminino no Vitória SC é recente, é a oitava época, a quarta na Liga. Tem conseguido chegar aos playoffs, mas nas últimas posições. Este ano queremos fazer melhor, chegar aos playoffs numa situação melhor”, referiu Rui Costa.

CAMPEONATO BASTANTE INTERESSANTE

O treinador do Vitória SC considera que “o campeonato nacional é bastante interessante e competitivo. Tem muito por onde crescer. No seio do desporto, o Basquetebol Feminino ainda não é uma referência a nível nacional, mas tem margem enorme para crescer e melhorar.  Para esta época já se fizeram grandes investimentos por parte dos clubes em atletas estrangeiras, com maior qualidade e parece-me que cada vez mais as equipas procuram o caminho da profissionalização. É um campeonato semi-profissional a seguir o seu caminho, a dar mais e melhores condições aos treinadores, às jogadoras e, por isso, acho que o caminho está a ser percorrido”.

O Vitória SC foi buscar este ano cinco atletas de grande experiência, mas Rui Costa explica que “o projeto do Vitória SC passa por ter na sua base atletas oriundas da sua formação. Faz todo o sentido continuar o trabalho de anos anteriores. Claro que só por si não chega. É preciso ter uma equipa competente para se fazer um bom campeonato. Por isso, precisamos que as atletas que vêm da formação tenham competência e valor para estar na Liga, mas depois precisamos de atletas mais experientes e que façam a diferença. Também é uma forma de ajudar a evoluir as atletas que vêm da formação”.

Com a época a arrancar, Rui Costa lamenta que “o público não possa ir aos pavilhões” e adiantou “o Basquetebol como qualquer outro desporto, é um espetáculo, trabalha-se durante a semana para se competir ao fim de semana, para oferecer um bom espetáculo ao público…sem público perde-se um pouco o sentido, além de que emocionalmente para as atletas não é favorável”.

Para este primeiro jogo, Rui Costa não pode contar com Catarina Francisco, que se lesionou com alguma gravidade, todos os restantes toques são recuperáveis para o jogo de sábado.

Fotos: VSC

Comentários

Artigos relacionados

Botão Voltar ao Topo

COVID-19

Nas áreas afetadas, a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda medidas de higiene e etiqueta respiratória para reduzir a exposição e transmissão da doença: • Medidas de etiqueta respiratória: tapar o nariz e a boca quando espirrar ou tossir, com um lenço de papel ou com o antebraço, nunca com as mãos, e deitar sempre o lenço de papel no lixo; • Lavar as mãos frequentemente. Deve lavá-las sempre que se assoar, espirrar, tossir ou após contacto direto com pessoas doentes. Deve lavá-las durante 20 segundos (o tempo que demora a cantar os “Parabéns”) com água e sabão ou com solução à base de álcool a 70%; • Evitar contacto próximo com pessoas com infeção respiratória; • Evitar tocar na cara com as mãos; • Evitar partilhar objetos pessoais ou comida em que tenha tocado. Seja responsável, faça a sua parte. Respeite o isolamento social. #JUNTOSVENCEREMOS