CICLISMO

João Benta sexto na Torre

João Benta, ciclista de Esposende que alinha na Rádio Popular – Boavista, terminou hoje na sexta posição na chegada a Torre, naquela que foi a quarta etapa da Volta a Portugal Edição Especial.

João Benta gastou mais 13 segundos que Joni Brandão (EFAPEL), ciclista que completou os 148 quilómetros entre a Guarda e a Torre, em 04:19.02h.

Com os resultados de hoje, o ciclista de Esposende caiu um lugar na classificação geral, ocupando agora a quinta posição, por troca com Jóni Brandão. Amaro Antunes, da W52-FC Porto, segurou com a Camisola Amarela.

César Fonte, o vianense da EFAPEL, voltou a ser o segundo ciclista minhoto melhor classificado, ao cortar a meta na 21.ª posição. Na Geral Individual o ciclista de Vila Franca, Viana do Castelo, ocupa a 22.ª posição, a mais de nove minutos do camisola amarela.

Pedro Miguel Lopes (Kelly/Simoldes/UDO) voltou a dar nas vistas na etapa de hoje e esteve numa luta acesa pela Camisola Branca. O ciclista de Guimarães cortou a meta na 23.ª posição, a cerca de quatro minutos do vencedor e conseguiu subir algumas posições na Geral Individual, ocupando agora o 26.º lugar, naquela que é a sua segunda Volta a Portugal.

Pedro Miguel Lopes manteve ainda o segundo lugar da Geral da Juventude, que é liderada por Simon Carr (Nippo).

Tiago Machado, ciclista de Famalicão que alinha na EFAPEL, cortou a meta na Torre no 46.º lugar e é agora 63.º na Geral Individual.

O famalicense David Ribeiro, da LA Alumínios/LA Sport, ficou no 49.º lugar na etapa e ocupa o 68.º lugar da Geral Individual.

João Matias, barcelense da Aviludo-Louletano, andou na fuga do dia da quarta etapa, entre a Guarda e a Torre, mas acabou por ser apanhado pelo pelotão e terminou na 76.ª posição e ocupa o 66.º lugar da Geral Individual.

A quinta etapa liga, esta sexta-feira, Oliveira do Hospital a Águeda, numa viagem de 176,3 quilómetros.

Comentários

Artigos relacionados

Botão Voltar ao Topo

COVID-19

Nas áreas afetadas, a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda medidas de higiene e etiqueta respiratória para reduzir a exposição e transmissão da doença: • Medidas de etiqueta respiratória: tapar o nariz e a boca quando espirrar ou tossir, com um lenço de papel ou com o antebraço, nunca com as mãos, e deitar sempre o lenço de papel no lixo; • Lavar as mãos frequentemente. Deve lavá-las sempre que se assoar, espirrar, tossir ou após contacto direto com pessoas doentes. Deve lavá-las durante 20 segundos (o tempo que demora a cantar os “Parabéns”) com água e sabão ou com solução à base de álcool a 70%; • Evitar contacto próximo com pessoas com infeção respiratória; • Evitar tocar na cara com as mãos; • Evitar partilhar objetos pessoais ou comida em que tenha tocado. Seja responsável, faça a sua parte. Respeite o isolamento social. #JUNTOSVENCEREMOS