VOLEIBOL

Óscar Barros “temos muita vontade de assegurar a subida de divisão”

“Queremos muito e temos muita vontade de assegurar a subida de divisão já nesta Fase de Subida” começou por referir Óscar Barros, treinador da equipa Sénior Feminina de Voleibol do Vitória SC, que em setembro participa no Poule de Subida à I Divisão Nacional.

O treinador do Vitória SC, equipa que tinha garantido a presença na Fase Final do Campeonato Nacional da II Divisão quando as competições foram interrompidas, considera que “em condições normais, com o tempo para preparar a fase final e a equipa completa, eramos um forte candidato à subida de divisão”.

“Continuamos a ser candidatos à subida, é a nossa meta, mas não temos o tempo desejado de treinos e todas as condicionantes e limitações nos trabalhos podem interferir, tanto mais que temos uma equipa muito jovem”, referiu Óscar Barros, que salientou “o fantástico esforço desta equipa, que abdicou por completo das férias para se poder dedicar por completo ao objetivo do clube. Estamos a fazer três treinos por dia quando há alguns anos fazíamos três treinos por semana. Todo o grupo tem dado o que tem e o que não tem para estar na melhor forma e poder lutar pelos objetivos do clube”.

Seja como for “assumimos que queremos subir de divisão este ano, é esse o nosso desejo e estamos a trabalhar para isso.  Seria bom conseguirmos isso já nesta Poule de Subida, mas sabemos que essa é uma meta difícil por tudo o que se está a passar. Estamos num contexto novo, as sensações são muitas e novas e as experiências também. O tempo útil de treino para uma fase competitiva é curto. As atletas estrangeiras ainda têm limitações para viajar. Há uma série de condicionalismos que não nos permitiram trabalhar aquilo que consideramos fundamental” referiu Óscar Barros.

MARINA SHERER REFORÇA EQUIPA

O Vitória SC manteve a equipa base nos últimos dois anos, em que cerca de 60 por cento são atletas formadas no clube. Para a nova época o Vitória SC mantém, para já, duas estrangeiras, sendo que apenas uma é reforço. Assim, à Juliana junta-se Marina Sherer, distribuidora oriunda do Brasil

O Vitória SC já regressou aos trabalhos há algumas semanas. Numa fase inicial o grupo trabalhou ao ar livre e mais recentemente começou a treinar no pavilhão. Óscar Barros referiu que “as atletas apresentaram-se numa forma exemplar, com vontade de trabalhar e têm no feito com grande rigor. Desde que surgiu a pandemia, começamos por treinar de forma sistemática à distância. Depois começamos os treinos presenciais ao ar livre e elas foram sempre de uma entrega exemplar. Depois, quando foi dada a autorização, começamos a treinar em pavilhão, com muitas limitações, mas com grande empenho”.

“TENHO O PRIVILÉGIO DE TREINAR UM GRUPO DE JOVENS AMBICIOSAS”

Óscar Barros afirmou que “eu tenho o privilégio de treinar um grupo de jovens ambiciosas, que sabe o que quer e luta pelos objetivos do clube. O empenho nos treinos é enorme e, por isso, os treinos estão a correr bem e nota-se a evolução do grupo”.

No entanto, as restrições impostas acabam por ditar alterações aos treinos como eram conhecidos… “numa primeira fase tivemos de dividir a equipa em grupos e treinar ao ar livre. Não podemos treinar o tempo que era habitual. Para minimizar tudo isso, estamos a treinar três vezes por dia. Do ponto de vista físico a equipa já recuperou totalmente e agora estamos a trabalhar outras coisas que são fundamentais e que têm de ser trabalhadas agora. Vamos afinar o grupo e trabalhar mais o coletivo, afinal de contas falta muito pouco tempo para a Poule de Subida”.

Quanto a incerteza do futuro, Óscar Barros afirmou que “temos de aprender a vive com a incerteza que é o futuro. Esta é uma realidade nova e ninguém está preparado para ela. O que temos a fazer é trabalhar o melhor possível, seguindo todas as regras de segurança. O que eu tento transmitir às atletas é que se protejam, tenham muito cuidado e minimizem os riscos. Espero que aquilo que possa vir a acontecer não seja impeditivo de dar continuidade à época desportiva. De resto, vamo-nos focar no presente, sem pensar muito no que poderá acontecer”.

“NÃO TEMOS CONHECIMENTO DAS OUTRAS EQUIPAS”

O Vitória SC arranca a nova época já a 11 de setembro, com a participação na Poule de Acesso à subida. Para Óscar Barros o sorteio acabou por ser favorável, uma vez que não faz os dois jogos seguidos… “o facto positivo do sorteio é o de jogarmos na sexta e no domingo, não temos de realizar os dois jogos em dias seguidos. Nesta altura e neste contexto ter um dia para descansar é muito bom”.

Quanto às adversárias – Praiense e Benfica – o treinador do Vitória SC referiu que “não temos muito conhecimento das outras equipas. Conhecemos alguns elementos que os clubes contrataram e do ponto de vista individual o que valem, mas em termos de equipa, como jogam é um desconhecimento total”.

“Gostaríamos de conhecer mais profundamente as equipas, teríamos outras armas e esgrimir argumentos de outra forma, mas não pode ser. Sabemos que o Benfica tem cinco, seis jogadoras novas, o Praiense terá sempre muitas atletas vindas de fora. Já o Vitória SC manteve 90 por cento da equipa de dos últimos dois anos”.

Comentários

Artigos relacionados

Botão Voltar ao Topo

COVID-19

Nas áreas afetadas, a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda medidas de higiene e etiqueta respiratória para reduzir a exposição e transmissão da doença: • Medidas de etiqueta respiratória: tapar o nariz e a boca quando espirrar ou tossir, com um lenço de papel ou com o antebraço, nunca com as mãos, e deitar sempre o lenço de papel no lixo; • Lavar as mãos frequentemente. Deve lavá-las sempre que se assoar, espirrar, tossir ou após contacto direto com pessoas doentes. Deve lavá-las durante 20 segundos (o tempo que demora a cantar os “Parabéns”) com água e sabão ou com solução à base de álcool a 70%; • Evitar contacto próximo com pessoas com infeção respiratória; • Evitar tocar na cara com as mãos; • Evitar partilhar objetos pessoais ou comida em que tenha tocado. Seja responsável, faça a sua parte. Respeite o isolamento social. #JUNTOSVENCEREMOS