CICLISMO

Sérgio Monteiro, o ciclista que quer chegar a Diretor Desportivo

Sérgio Monteiro, ciclista da zona do Porto, é uma das caras novas do C.C.Barcelos/A.F.F./Flynx/H.M. Motor numa época que vai ficar marcada para sempre pela suspensão das provas devido à pandemia do coronavírus. O ciclista, que completou 18 anos recentemente, tem como meta ajudar a equipa a atingir os seus objetivos e sonha em continuar ligado ao ciclismo… mas não como atleta.

Sérgio Monteiro divide-se entre os estudos – pretende seguir Engenharia Eletrónica – e o ciclismo e mostra-se ciente que o escalão de Sub-23 é muito mais exigente e absorve mais tempo, por isso, pensa já noutras opções.

“ENTUSIASMO E APREENSÃO”

Para já e depois de mais de dois meses em confinamento, a treinar nos rolos e a fazer exercícios físicos, Sérgio Monteiro regressou aos treinos na estrada e refere que a sensação foi boa, mas garante que “foi como se a época tivesse começado outra vez. Só que desta vez sem saber se vai mesmo haver época”. Ou seja, “sentimos um misto de entusiasmo e apreensão”.

Sérgio Monteiro é da zona do Canidelo, no Porto, e vai treinando, sobretudo “na minha zona. Durante a semana é sempre por aqui. Aos fins de semana e quando tenho quem me possa levar a Barcelos, já vou aos treinos da equipa. Para já não e devido a tudo o que estamos a passar não me sinto confortável em usar os transportes públicos”.

“IR AOS TREINOS DE EQUIPA É SEMRE MAIS MOTIVADOR”

“Mas ir aos treinos de equipa é sempre mais motivador e divertido do que treinar sozinho, então depois de estar este tempo todo sem ir a Barcelos, estar com os colegas e treinador. Claro que sentia saudades e cheguei ainda mais motivado do treino!”, referiu o ciclista do CC Barcelos, que lembrou que “durante o estado de emergência só fiz rolos e exercícios físicos, coisas que começaram a ser difíceis, mais psicologicamente, para o fim”.

A época de ciclismo mal tinha começado. No calendário de Juniores disputaram-se duas provas: Prémio Cidade de Fafe – Prova de Abertura e Prémio de Ciclismo de Barroselas. Sérgio Monteiro considera que “as provas de início de época são sempre importantes para nos adaptarmos à nova concorrência e ver o que temos a melhorar. Principalmente para nós, CC Barcelos, que temos vários atletas que estão a fazer o primeiro ano de Júnior”.

“ESTOU A ADORAR A EXPERIÊNCIA NO CC BARCELOS”

Sérgio Monteiro está no seu segundo ano de Júnior, mas é um dos estreantes do CC Barcelos.

“Este é o primeiro ano no CC Barcelos! Já pratico ciclismo há alguns anos e era impossível não ter reparado no carisma e dedicação que o Sr. Alberto tem por esta equipa, para além do bom treinador que ele é! Também já me dava bem com alguns dos meus atuais colegas de equipa” referiu Sérgio Monteiro, que lembrou que “a minha equipa anterior (Academia de Ciclismo NRV) não ia seguir com o escalão de Júnior, e, entretanto, surgiu este convite, foi só juntar o útil ao agradável e aceitar”.

Sérgio Monteiro garante que “estou a adorar a experiência de estar no CC Barcelos, só foi pena ter surgido esta pandemia que impediu o normal desenrolar da época”.

OBJETIVOS? “AJUDAR A EQUIPA E NÃO CAIR”

Quanto ao que resta da época, o ciclista do CC Barcelos tem dificuldade em traçar objetivos: “é complicado traçar objetivos neste momento, mas a minha meta passa sempre por ajudar a trazer vitórias para a equipa, e não cair, o que é sempre importante!”.

Sérgio Monteiro é um apaixonado pelo ciclismo, mas às portas de ascender ao escalão Sub-23 não pretende manter-se ligado à modalidade como atleta.

“TENCIONO ESTAR SEMPRE LIGADO AO CICLISMO… MAS NÃO COMO ATLETA”

“Tenciono estar sempre ligado ao ciclismo, mas para o ano já tenciono entrar na faculdade e o escalão de Sub-23 consome muito tempo. Por isso, pretendo estar ligado ao ciclismo, mas não como atleta”.

Interrogado sobre as ideias que tem para o futuro no ciclismo, Sérgio Monteiro, que pretende seguir Engenharia Eletrónica, referiu que “primeiro continuar a acompanhar a minha irmã” e depois… “mais para a frente estar ligado a alguma equipa como diretor desportivo por exemplo…”.

Comentários

Artigos relacionados

Botão Voltar ao Topo

COVID-19

Nas áreas afetadas, a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda medidas de higiene e etiqueta respiratória para reduzir a exposição e transmissão da doença: • Medidas de etiqueta respiratória: tapar o nariz e a boca quando espirrar ou tossir, com um lenço de papel ou com o antebraço, nunca com as mãos, e deitar sempre o lenço de papel no lixo; • Lavar as mãos frequentemente. Deve lavá-las sempre que se assoar, espirrar, tossir ou após contacto direto com pessoas doentes. Deve lavá-las durante 20 segundos (o tempo que demora a cantar os “Parabéns”) com água e sabão ou com solução à base de álcool a 70%; • Evitar contacto próximo com pessoas com infeção respiratória; • Evitar tocar na cara com as mãos; • Evitar partilhar objetos pessoais ou comida em que tenha tocado. Seja responsável, faça a sua parte. Respeite o isolamento social. #JUNTOSVENCEREMOS