CANOAGEM

Viana Garças Clube regressa aos trabalhos

O Viana Garças Clube regressou este fim de semana aos treinos na água, depois de dois meses parado devido à pandemia do Covid-19. A equipa vianense, que teve um bom arranque de época, viu-se obrigada ao confinamento devido ao coronavírus e viu todos os seus projetos suspensos.

Esta semana e depois do Governo e DGS terem dado autorização para o regresso dos atletas à prática desportiva individual e ao ar livre, incluindo náutica ou fluvial, o Viana GC reuniu-se e decidiu retomar os trabalhos…para a alegria dos atletas.

“Começamos sábado os treinos na água. Os atletas foram informados das regras relativas à atual situação, vindo já equipados de casa, respeitando os distanciamentos e demais regras sanitárias”, disse Rodolfo Coelho, presidente do Viana Garças Clube.

Segundo aquele responsável, “o Viana Garças Clube após decisão em reunião de direção decidiu retomar os treinos pós confinamento. Durante o confinamento fornecemos aos nossos atletas alguns esquemas para treino em casa, beneficiando alguns deles de algum material de ginásio, que possuem. Nomeadamente, o nosso Campeão do Mundo Sérgio Maciel, que pôde executar tarefas mais específicas porque possui um mini-ginásio em casa”.

Como ainda não existe calendário definido o Viana GC decidiu “reduzir os horários de treino a três sessões semanais”, estando assim os treinos marcados para as quartas-feiras, sábados e domingo”.

CLUBE EM FRANCA EVOLUÇÃO

De referir que o Viana Garças Clube, formação com pouco mais de dois anos, possui 17 atletas federados e cerca de 50 jovens que “nos solicitam atenção em diversos momentos. Com um orçamento que tem sido inferior a 5000 euros, desdobramo-nos voluntariamente em diversas áreas. Planeamento e acompanhamento de treino dos nossos atletas, com especial atenção para o nosso Campeão Mundial Sérgio Maciel, parceiros e responsáveis pelo desenvolvimento do núcleo de desporto escolar de canoagem, do Agrupamento de Escolas Muralhas do Minho em Valença, formação dos nossos diretores em vários cursos de treinadores (4 cursos de grau 1 em 2018 e dois cursos de grau 2 a decorrer)”, disse Rodolfo Coelho.

O presidente do Viana GC adiantou que “queremos mais, mas com menos de 30 meses de existência achamos que já temos evoluído bastante. A Câmara Municipal de Viana do Castelo, ajudou-nos com alguns transportes em 2019 e à partida irão dotar-nos de subsídio em 2020, primeiro ano que, pelos seus regulamentos, poderão atribuir ao Viana Garças Clube alguma verba (só depois de dois anos de existência e atividade comprovada, começam a apoiar financeiramente). Com a situação atual do Covid-19, sentimo-nos expectantes quanto ao desenvolvimento dos habituais figurinos de apoio aos clubes”.

BOM RESULTADOS NO ARRANQUE

A época de canoagem estava, praticamente, a começar quando surgiu a pandemia do Covid-19. Mesmo assim, o Viana GC conseguiu alguns resultados de relevo… “o nosso Infantil Tiago ganhou o Regional de Fundo, afirmando-se como candidato aos títulos nacionais. Tivemos também o Octávio da Paracanoagem a ganhar o Regional e a C1 Infantil Feminino, Rafaela Costa, a conquistar o bronze na sua prova”. Para além disso: “temos o Sérgio Maciel que está na luta pelas participações internacionais na C1-Sub 23 – Maratona, quer no europeu quer no mundial”.

PARCERIA COM A CM VALENÇA

O clube vianense tem, no entanto, várias frentes na sua dinâmica. “Neste ano escolar e no espírito da contribuição para a implantação mais vasta da canoagem no Distrito de Viana do Castelo, assinamos uma parceria, com o Desporto Escolar de Valença e respetiva Câmara Municipal, e desde outubro de 2019 que orientávamos uma atividade semanal aos alunos do Agrupamento de Escolas Muralhas do Minho, na Sr.ª da Cabeça no rio Minho”.

Rodolfo Coelho referiu que “em relação ao protocolo com Valença, acreditamos que para além deste início com várias dezenas de jovens do desporto escolar, se poderá seguir uma fase de atividade regular, já que conseguimos reativar instalações da Sociedade Social e recreativa Segadanense junto ao rio”.

“CLUBE FOI FORMADO COM O SONHO DE DIVULGAR A MODALIDADE”

O presidente do Viana Garças Clube lembra que “o clube foi formado com o sonho de divulgar a modalidade em Viana do Castelo como concelho e a médio prazo auxiliar na implementação de novos núcleos no distrito e que beneficiem de planos de água utilizáveis. A nível de concelho, possuímos dois núcleos, modestos, mas a funcionar. Um em Darque através de parceria com a Associação de Reformados de Darque, que nos apoiam desde a nossa fundação e outro em Santa Marta de Portuzelo, nas instalações do Parque da Preguiça, do Santa Marta Remo Clube, também nosso parceiro”.

“PARAGEM DEIXOU UMA GRANDE VONTADE DE REGRESSAR”

Devido à pandemia todos os projetos, protocolos e objetivos para a época ficaram em suspenso. A equipa regressou aos treinos no fim-de-semana e Rodolfo Coelho, que por pertencer ao grupo de risco se vê afastado dos trabalhos de campo, sente nos atletas uma grande vontade de regressar…

“A paragem, naturalmente traumática e que inviabilizou algumas atividades, deixou, contudo, uma grande vontade de regressar à normalidade. Pode ter alicerçado um certo sentimento de pertença dos nossos atores, atletas e responsáveis, pois mantivemos contacto e algumas orientações de treino em casa, assim como alguns momentos de vídeoconferência no grupo interno que possuímos no Facebook”, disse Rodolfo Coelho, que lamenta não poder acompanhar os seus atletas: “encontro-me um pouco limitado pelos meus 67 anos de idade, em especial no acompanhamento dos cinco treinos semanais que assegurava com vários escalões do clube. Tivemos a necessidade de substituir o meu acompanhamento presencial por outros elementos do clube, que alargaram as duas sessões que asseguravam por semana para mais algumas e a médio prazo tudo voltará ao normal”.

“Nas grandes dificuldades encontramos, por vezes, dinâmicas alternativas que até podem potenciar os nossos resultados e a nossa existência como clube”, finalizou.

Fotos: Paula de Sousa

Comentários

Artigos relacionados

Botão Voltar ao Topo

COVID-19

Nas áreas afetadas, a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda medidas de higiene e etiqueta respiratória para reduzir a exposição e transmissão da doença: • Medidas de etiqueta respiratória: tapar o nariz e a boca quando espirrar ou tossir, com um lenço de papel ou com o antebraço, nunca com as mãos, e deitar sempre o lenço de papel no lixo; • Lavar as mãos frequentemente. Deve lavá-las sempre que se assoar, espirrar, tossir ou após contacto direto com pessoas doentes. Deve lavá-las durante 20 segundos (o tempo que demora a cantar os “Parabéns”) com água e sabão ou com solução à base de álcool a 70%; • Evitar contacto próximo com pessoas com infeção respiratória; • Evitar tocar na cara com as mãos; • Evitar partilhar objetos pessoais ou comida em que tenha tocado. Seja responsável, faça a sua parte. Respeite o isolamento social. #JUNTOSVENCEREMOS