NATAÇÃO

Amigos da Montanha com grande evolução na Natação

Os Amigos da Montanha é um dos clubes da Associação de Natação do Minho que tem apresentado uma grande evolução nos últimos anos. O clube de Barcelos viu aumentar o número de nadadores e a qualidade, fruto também do trabalho abnegado dos seus responsáveis. Esta temporada os Amigos da Montanha registaram uma evolução enorme dos seus nadadores, que conseguiram melhorar os recordes pessoais e a obtiveram TAC’s para as provas Zonais e Nacionais.

Quanto ao futuro, tudo depende do tempo que levar até ao regresso dos atletas à piscina. No entanto, no seio do clube ninguém baixa os braços e todos estão dispostos “a trabalhar para recuperar este tempo”.

TIAGO SAMPAIO SATISFEITO COM CAMPANHA DA EQUIPA DE ABSOLUTOS

A equipa de Absolutos estava a evoluir e já tinha assegurado TAC’s para as provas Zonais e Nacionais, que se deveriam ter realizado em finais de março.

“Nos escalões de Juvenis, juniores e seniores, a época tinha como objetivo melhorar os recordes pessoais e obter TAC’s para as provas zonais e nacionais”, começou por referir o treinador da equipa de Absolutos dos Amigos da Montanha, Tiago Sampaio, que acrescentou que “o Nacional de Clubes decorreu como esperado e, apesar da descida, foi uma ótima experiência para os mais novos”.

Tiago Sampaio salientou ainda “a participação de dois juvenis nos Zonais e nos últimos Regionais com uma melhoria significativa dos atletas, tempos muito próximos dos TAC’s e com perspetivas de obtenção destes para o verão”.

JOÃO CAPELO: “NOS INFANTIS A ÉPOCA ESTAVA A DECORRER MELHOR QUE O ESPERADO”

Quanto ao escalão de Infantis “a época estava a decorrer melhor que o esperado”, confidenciou o treinador José Capelo. Apesar de contar apenas com cinco atletas na categoria “o decorrer da época e a aplicação dos jovens nos treinos fez melhorar de forma constante as participações e resultados e obtiveram-se tempos com alguma relevância, incluindo TAC’s”.

José Capelo referiu que “com a pandemia perdeu-se a participação nos Zonais e, seguramente, nos nacionais, que não estavam perspetivados no início de época, mas, com a evolução registada, passaram a ser um objetivo”.

JOANA MARTINS (CADETES): “ÉPOCA ESTAVA A CORRER MUITO BEM”

Relativamente ao escalão de cadetes “o ano iniciou-se com muitos atletas novos o que trazia boas expectativas para o futuro”, começou por referir Joana Martins, treinadora do escalão, que adiantou que “tudo correu bem até ao momento de paragem, trabalhamos para melhorar prova a prova e, acima de tudo, manter estes jovens atletas motivados na equipa e na aprendizagem da modalidade”.

“O número de atletas com níveis diferentes trouxe muitos desafios e muita margem de progressão”, salienta a treinadora Joana Martins, que acrescentou: “a época estava a correr muito bem também para este escalão e espera-se que os jovens continuem com a mesma motivação e empenho quando for possível retomar”.

PEDRO CORREIA: “TUDO TENTAREMOS PARA RETOMAR COM A NORMALIDADE POSSÍVEL”

Quanto ao futuro, Pedro Correia, Vice-Presidente de Natação dos Amigos da Montanha, mostra-se cauteloso e sabe que tudo depende do tempo de paragem e das condições para o regresso dos atletas às piscinas, mas garante que o clube não vai baixar os braços.

“As expectativas para o futuro estão, naturalmente, dependentes da reabertura da piscina e dos condicionamentos que possam existir, assim como das diretivas da Federação. Este tempo de paragem e esta indefinição poderá fazer com que muito do trabalho realizado seja perdido, mas tudo tentaremos para retomar com a normalidade possível, assim que as condições o permitam, e trabalhar para recuperar este tempo”, disse aquele responsável dos Amigos da Montanha.

Pedro Correia referiu ainda que o clube tem mantido contacto com os atletas, incentivando-os a manterem-se ativos…. “temos, acima de tudo, procurado motivar os atletas para que se mantenham ativos em casa. Assim que seja possível ter uma cronologia estabeleceremos os objetivos e as estratégias em que estamos neste momento a trabalhar em função da conjuntura e trabalharemos com os jovens no sentido de os atingir”.

Comentários

Artigos relacionados

Botão Voltar ao Topo

COVID-19

Nas áreas afetadas, a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda medidas de higiene e etiqueta respiratória para reduzir a exposição e transmissão da doença: • Medidas de etiqueta respiratória: tapar o nariz e a boca quando espirrar ou tossir, com um lenço de papel ou com o antebraço, nunca com as mãos, e deitar sempre o lenço de papel no lixo; • Lavar as mãos frequentemente. Deve lavá-las sempre que se assoar, espirrar, tossir ou após contacto direto com pessoas doentes. Deve lavá-las durante 20 segundos (o tempo que demora a cantar os “Parabéns”) com água e sabão ou com solução à base de álcool a 70%; • Evitar contacto próximo com pessoas com infeção respiratória; • Evitar tocar na cara com as mãos; • Evitar partilhar objetos pessoais ou comida em que tenha tocado. Seja responsável, faça a sua parte. Respeite o isolamento social. #JUNTOSVENCEREMOS