CICLISMO

CC Barcelos com excelente arranque de época

O CC Barcelos/A.F.F./Flynx/H.M. Motor teve um excelente arranque de 2020. O clube começou o ano com a conquista de dois títulos de Campeão Nacional de Pista. Diogo Saleiro sagrou-se Campeão Nacional na Corrida por Pontos e Sérgio Saleiro conquistou a Camisola de Campeão Nacional na prova por Eliminação.

Para além dos dois títulos, a equipa barcelense teve ainda outros resultados de destaque no Campeonato Nacional de Pista (Sérgio Saleiro fez terceiro lugar em Scratch e o CC Barcelos foi quinto na perseguição por equipas).

Depois da época de Pista, a equipa Júnior do CC Barcelos centrou as suas atenções na época de Estrada. Com uma equipa extremamente jovem – apenas dois atletas são de segundo ano -, a meta passa por fazer o melhor possível. Nas duas primeiras provas da época – Prémio Cidade de Fafe e Prémio de Ciclismo de Barroselas – o conjunto barcelense não alcançou resultados de relevo, mas Alberto Costa, diretor desportivo da equipa, garante que ficou satisfeito com a entrega dos ciclistas.

ALBERTO COSTA: “O BALANÇO DA PISTA É EXTREMAMENTE POSITIVO”

“Nós tivemos um bom início de ano. Estivemos presentes nas provas de Pista e tínhamos como objetivo conquistar títulos. Conquistamos dois títulos de Campeão Nacional e aí o balanço é extremamente positivo”, disse Alberto Costa, que sobre a época de Estrada referiu: “depois das provas de Pista, começamos a preparar a época de Estrada e acreditamos que podemos fazer coisas bonitas. Realizamos duas provas, antes desta pandemia, não tivemos grandes resultados, mas deu para ver que estamos no bom caminho. A época estava a começar, é normal que os miúdos estivessem nervosos, mas eles podem e vão, com certeza, fazer mais e melhor”.

Em Fafe, primeira prova do ano, os atletas tiveram pela frente um percurso de cerca de 80 quilómetros, mas em Barroselas a prova foi mais puxada e teve uma extensão de 115,9 quilómetros.

AVARIAS E FUROS EM BARROLESAS

“Foram duas provas muito puxadas, mas em Barroselas o tempo e os quilómetros acabaram por ter a sua influência. O CC Barcelos tem uma equipa muito jovem, quase todos são de primeiro ano e não estão habituados a corridas tão longas. Precisam de tempo e trabalho para se habituarem”, disse Alberto Costa, que adiantou que “nós não fomos muito felizes. O David Duarte, que era o que estava melhor colocado, sofreu uma avaria na bicicleta e atrasou-se, mesmo assim chegou no pelotão. O Sérgio Saleiro também furou”.

O diretor desportivo do CC Barcelos acrescentou que “os miúdos tiveram uma boa entrega nas duas provas, são jovens que querem mostrar o seu valor no ciclismo, mas têm que ter tempo. Estas foram as duas primeiras provas do ano e ainda tínhamos uma época inteira para fazer. Agora apareceu esta pandemia e está tudo parado”.

“ATLETAS CONTINUAM MOTIVADOS”

Alberto Costa referiu que “agora o trabalho está a ser feito em casa, nos rolos. Nós vamos falando quase diariamente, vamos brincando e nota-se que eles continuam motivados. Continua a haver uma grande união e amizade entre eles e isso é importante, ainda mais nesta altura de isolamento. Nós enviamos a todos os planos dos treinos e eles estão a cumprir, mas todos nós sabemos que treinar nos rolos não é a mesma coisa que treinar na estrada. Nesta altura é o possível e o importante é que eles estejam em segurança”.

“PROVAS DE SETEMBRO A NOVEMBRO?

O CC BARCELOS ESTARÁ PRONTO”

Numa altura em que as provas suspensas, fala-se na possibilidade de refazer o calendário e de levar as competições para os meses entre setembro e novembro: “eu acho que não tem problema nenhum e o CC Barcelos estará pronto para as provas. É importante que haja provas ainda este ano. A possibilidade de se realizarem as competições é motivador para os atletas, acho que é uma boa ideia”.

Alberto Costa ressalva apenas que “teremos que ter em atenção apenas a questão da escola, porque no fundo eles acabam por perder aqui um período escolar. É verdade que podem e devem estar a estudar em casa, até podem estar a ser seguidos, mas não é a mesma coisa do que estar na escola. No retomar das competições, que penso que será muito positivo para os atletas, teremos que ter atenção para que eles não se distraiam do que é importante”.

40 ANOS COM FESTA ADIADA

O CC Barcelos completou no passado dia 25 de março, o seu 40.º aniversário “tivemos que adiar o jantar, a festa desta importante data. Já estava tudo marcado, mas há coisas que temos que preservar e a saúde é a principal”, disse Alberto Costa, que lembrou que “40 anos é uma vida… tem sido uma vida de luta, com altos e baixos. Tivemos equipas muito competitivas, que ganharam imensas corridas, e outras mais fracas, mas isso faz parte do desporto. Às vezes têm-se atletas de grande qualidade, outras a época não corre como o delineado por vários fatores… como este ano, em que estávamos a contar em ter um ano muito positivo e apareceu esta pandemia”.

“TIVEMOS MUITOS E BONS ATLETAS”

Questionado sobre quais os atletas que mais marcaram a história do CC Barcelos, Alberto Costa referiu que “tivemos muitos e bons atletas. Assim, de repente lembro-me do Hélder Ferreira, do Tiago Machado, do Cláudio Faria e do Paulo Faria, que ganhou a Volta a Gaia. Foram anos em que ganhamos muitas corridas. Mas há muitos mais atletas que marcam a história do clube. Tivemos Campeões Nacionais. É uma vida de grandes histórias”.

Alberto Costa ainda lembra os primeiros passos do CC Barcelos: “começou numa brincadeira com as escolinhas no campo da feira” e referiu “sempre teve Escolinhas o CC Barcelos e sempre deu muita importância à formação”.

DUAS CARAS NOVAS NAS ESCOLAS

Depois de ter conquistado o Encontro Nacional de Escolas, na época passada, o CC Barcelos apresenta-se este ano com nove atletas, mais a menina Maria e algumas caras novas. Guilherme Assunção, de cinco anos, é o mais novo elemento e vai reforçar os Pupilos/Benjamins. Tiago Fernandes entra para o escalão de Infantis. Carlos Leite e César Coelho são os coordenadores das Escolas.

Comentários

Artigos relacionados

Botão Voltar ao Topo

COVID-19

Nas áreas afetadas, a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda medidas de higiene e etiqueta respiratória para reduzir a exposição e transmissão da doença: • Medidas de etiqueta respiratória: tapar o nariz e a boca quando espirrar ou tossir, com um lenço de papel ou com o antebraço, nunca com as mãos, e deitar sempre o lenço de papel no lixo; • Lavar as mãos frequentemente. Deve lavá-las sempre que se assoar, espirrar, tossir ou após contacto direto com pessoas doentes. Deve lavá-las durante 20 segundos (o tempo que demora a cantar os “Parabéns”) com água e sabão ou com solução à base de álcool a 70%; • Evitar contacto próximo com pessoas com infeção respiratória; • Evitar tocar na cara com as mãos; • Evitar partilhar objetos pessoais ou comida em que tenha tocado. Seja responsável, faça a sua parte. Respeite o isolamento social. #JUNTOSVENCEREMOS