CICLISMO

Gonçalo Tavares e Bairrada ‘conquistam’ Prémio Cidade de Fafe

Gonçalo Tavares e o Bairrada foram os protagonistas do Prémio Cidade de Fafe, primeira prova do Campeonato do Minho de Ciclismo de Estrada – Arrecadações da Quintã época 2021 para a categoria de Juniores.

A prova, organizada pela Associação de Ciclismo do Minho com o apoio da Câmara Municipal de Fafe, disputou-se em circuito com um total de 71,4 quilómetros bastante exigentes, o que obrigou os ciclistas a aplicarem-se a fundo.

Gonçalo Tavares, do Bairrada, foi o grande vencedor desta primeira corrida de Ciclismo de Estrada no Minho. O ciclista do Bairrada assumiu o comando da prova à entrada para a última volta e nunca mais a largou, cortando a meta ao fim de 01:51:50h.

TRIO DA SEISSA TENTA A FUGA

A corrida de Fafe foi bastante movimentada e cedo os ciclistas tentaram a sua sorte. Ainda na primeira volta Rui Carneiro, Diogo Carreiras e João Cunha, da Seissa|KTM-Bikeseven|Matias&Araújo|Frulact, tentaram a fuga, que foi anulada alguns metros à frente.

Já na segunda volta, Duarte Domingues (EC Bruno Neves), António Morgado (Bairrada) e Lucas Lopes (Póvoa Varzim/CDC Navais) conseguiram escapar ao pelotão. Duarte Domingues ficou para trás, mas António Morgado e Lucas Lopes conseguiram isolar-se e protagonizaram a primeira e grande fuga do dia.

À entrada para a última volta ao circuito, Gonçalo Tavares e João Leite, ambos do Bairrada, conseguiram alcançar o duo da frente e rapidamente os ultrapassaram. Gonçalo Tavares foi mais eficaz e aos poucos foi ganhando terreno. Chegou a ter 45s de vantagem para o pelotão, que era controlado pela sua equipa.

Gonçalo Tavares pedalou isolado e cortou a meta ao fim de 01h51m50s. Na segunda posição ficou o seu colega de equipa António Morgado, que gastou aos 18s, e Duarte Domingues (Escola de Ciclismo Bruno Neves).

MINHOTOS NA DISPUTA DA CORRIDA

Sempre muito mexido, Victor de Paula, da Seissa|KTM-Bikeseven|Matias&Araújo|Frulact, conseguiu ser o melhor minhoto em prova, ao fazer sexto lugar, enquanto Luís André Ribeiro, do CC Barcelos/A.F.F./Flynx/H.M. Motor, terminou no 12.º lugar.

No top20 ficou ainda Pedro Pinto (Seissa), que cortou a meta no 18.º lugar. Os irmãos Sérgio Saleiro e Diogo Saleiro (CC Barcelos) terminaram em 21.º e 22.º, respetivamente, enquanto João Cunha (Seissa) foi 23.º.

Uma palavra para Diogo Mendes, o ciclista de Guimarães que alinha na Academia de Ciclismo de Paredes foi 44.º.

Coletivamente o Bairrada foi o grande vencedor ao colocar três ciclistas no top5 e somando um total de 05:37:17h.

A Seissa|KTM-Bikeseven|Matias&Araújo|Frulact fez segundo lugar, gastando mais 10m33s que o vencedor, enquanto o Silva&Vinha/ADRAP/Sentir Penafiel ‘fechou’ o pódio.

O CC Barcelos/A.F.F./Flynx/H.M. Motor, que conseguiu colocar três atletas no top25, terminou a primeira prova do Campeonato do Minho no quinto lugar, com 55 pontos.

GONÇALO TAVARES: “É A MINHA PRIMEIRA VITÓRIA…É MARCANTE”

“Não foi uma corrida fácil”, foi assim que Gonçalo Tavares começou por abordar a sua vitória na corrida desta tarde em Fafe.

O ciclista do Bairrada salientou que “foi a minha primeira vitória, o que é sempre importante e marcante na carreira de qualquer atleta”.

Afirmando que “quanto temos uma equipa como a que eu tenho à minha volta as coisas ficam mais fáceis”, Gonçalo Tavares referiu que “mesmo assim foi uma corrida e uma vitória sofrida”.

Gonçalo Tavares, que se isolou na última volta e pedalou sozinho durante vários quilómetros, garante que “a vitória não foi fácil”, mas “a partir do momento que me disseram que tinha 45 segundos de vantagem tentei manter a vantagem. Claro que quando se tem uma equipa como a minha gerir estas situações torna-se mais simples…mas mesmo assim é sofrido e dói nas pernas”.

Quanto aos objetivos para a época, Gonçalo Tavares referiu que “o objetivo passa por ajudar a equipa porque isso é o mais importante, que equipa consiga obter os resultados que pretende e depois é tentar ganhar mais corridas”.

CÉSAR MACIEL: “GOSTEI DO COMPORTAMENTO DA EQUIPA”

A Seissa|KTM-Bikeseven|Matias&Araújo|Frulact sai de Fafe com o sentimento do dever cumprido. A equipa conquistou o segundo lugar por equipas e viu Victor de Paula na disputa da corrida, tendo cortado a meta na sexta posição…

“Ficar em segundo lugar coletivamente já foi muito bom, dado todos os azares que tivemos. Logo na primeira volta tivemos três ou quatro avarias e contra isso não podemos fazer nada. Se não fossem as avarias poderíamos ter feito um pouco melhor”, disse o diretor desportivo da Seissa, César Maciel.

Para aquele responsável considera que “foi uma prova muito dura, mas gostei do comportamento dos atletas. O Victor de Paula esteve muito bem, não teve receio em sair, foi um ato de coragem”.

César Maciel salienta que “o facto de não termos feito grandes treinos de conjunto, nem estágios acaba por pesar no rendimento das equipas. Os treinos em conjunto e os estágios têm um papel fundamental da evolução dos atletas. Este ano devido ao confinamento não foi possível”.

JORGE GONÇALVES: “BALANÇO POSITIVO”

Jorge Gonçalves, Presidente da Direção da Associação de Ciclismo do Minho, fez um balanço positivo da primeira corrida de Ciclismo de Estrada da época 2021, prova que ficou marcada pelas fortes medidas de segurança sanitária, mas cumpridas na integra, até pelo próprio público, que marcou presença ao longo do percurso, mas evitou sempre qualquer tipo de aglomerações.

“Estamos satisfeitos com o saldo, que é bastante positivo” referiu o responsável máximo da ACM, que sobre a corrida referiu que “as equipas chegaram com vontade de competir, de lutar pelo primeiro lugar, foram objetivas. Desde o início da corrida que impuseram um ritmo forte, procuraram destacar-se. O próprio circuito em si tinha uma zona muito técnica que obrigava a que se aplicassem a fundo. No final da primeira volta o pelotão quebrou e formaram-se dois grupos e a partir daí a luta foi grande. Foi do grupo da frente que saíram os três que subiram ao pódio”.

Jorge Gonçalves considerou o circuito “duro, com partes técnicas que obrigaram os corredores a aplicarem-se a fundo, felizmente correu tudo bem. Acho que é um percurso que pode ficar para outras edições, com alguns pequenos ajustes e melhorias”.

O Presidente da ACM saudou o facto do Prémio Cidade de Fafe marcar o regresso do Ciclismo de Estrada ao Minho: “é um marco muito importante, ainda mais nesta altura com tantas situações pandémicas ao redor. As pessoas aceitaram as diretrizes que foram dadas, a DGS obrigou-nos a medidas bem apertadas. Para a Zona 0 tivemos de ser muito rigorosos, não permitir ‘baldas’ a ninguém e ser eficazes no controlo para que esta não seja a última prova de Estrada no Minho. Queremos mais. Já temos várias provas planeadas e queremos pô-las a andar”.

Jorge Gonçalves salientou ainda que “o público colaborou, evitou os aglomerados e permitiu-nos cumprir com o que a DGS pediu”, por isso: “vamos ter mais Ciclismo de Estrada no Minho”.

Comentários

Artigos relacionados

Botão Voltar ao Topo

COVID-19

Nas áreas afetadas, a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda medidas de higiene e etiqueta respiratória para reduzir a exposição e transmissão da doença: • Medidas de etiqueta respiratória: tapar o nariz e a boca quando espirrar ou tossir, com um lenço de papel ou com o antebraço, nunca com as mãos, e deitar sempre o lenço de papel no lixo; • Lavar as mãos frequentemente. Deve lavá-las sempre que se assoar, espirrar, tossir ou após contacto direto com pessoas doentes. Deve lavá-las durante 20 segundos (o tempo que demora a cantar os “Parabéns”) com água e sabão ou com solução à base de álcool a 70%; • Evitar contacto próximo com pessoas com infeção respiratória; • Evitar tocar na cara com as mãos; • Evitar partilhar objetos pessoais ou comida em que tenha tocado. Seja responsável, faça a sua parte. Respeite o isolamento social. #JUNTOSVENCEREMOS