BASQUETEBOL

António Faria: “temos que mostrar que existe Basquetebol em Barcelos”

“Temos que, enquanto clube, mostrar que existe Basquetebol em Barcelos. Que é uma alternativa de desporto…tentar chegar aos atletas. Abrir as portas do clube e continuar a trabalhar”, é assim que António Faria, presidente do BC Barcelos, olha para o futuro no que diz respeito à Formação.

O clube pretende arrancar os treinos da Formação já na próxima semana – o que só poderá acontecer se se confirmar o ‘Plano de Desconfinamento’ que será divulgado esta quinta-feira pelo Governo, como informa em comunicado a Direção da Federação Portuguesa de Basquetebol – e, por isso, o clube já está “a preparar tudo com os devidos cuidados e atenções. Já falamos com as escolas no sentido de retomar os trabalhos nos pavilhões, pouco a pouco vamos chamar os atletas para que, cumprindo sempre as regras impostas no plano de contingência, possamos regressar aos treinos e desenvolver ações de captação”.

Afirmando que “queremos trazer miúdos para o Basquetebol”, António Faria referiu que “no BC Barcelos já temos um programa de atividades, mas não podemos avançar enquanto não nos deixarem. Temos que ir andando e vendo até onde podemos ir”.

António Faria considera que “a Associação de Basquetebol de Braga terá um papel fundamental na Formação. Teremos de arranjar soluções para chamar de novo os atletas ao Basquetebol”.

BC BARCELOS QUER RETOMAR OS TREINOS

Ainda sem um plano de competições pela frente, o BC Barcelos “quer retomar os treinos, mesmo com todas as restrições, e depois, pouco a pouco ir levantando as limitações e ver o que é possível fazer no clube e a nível distrital”.

Certo é que se esperam algumas modificações nos escalões etários na Formação do Basquetebol, com os ajustes das idades por escalão, um a tentativa de permitir aos atletas recuperarem o tempo perdido neste último ano.

“As modalidades coletivas amadoras vão ter que se adaptar quer à perda de atletas, quer ao retrocesso que eles sofreram neste último ano. Por isso, é preciso encontrar soluções para que nem tudo seja tão mau, para que se possa recuperar o tempo perdido”.

Apesar de todos os ‘ses’, de toda a incerteza, António Faria garante que “o BC Barcelos não vai baixar os braços. Temos que, enquanto clube, mostrar que existe Basquetebol em Barcelos, que é uma alternativa de desporto”, por isso “temos que arranjar formas de chegar aos pais e às famílias, de mostrar o clube. Temos de continuar a trabalhar”.

“ESTE É AQUELE TRABALHO QUE NUNCA TEM FIM”

“Este é aquele trabalho que nunca tem fim e é sempre pouco, temos de fazer sempre mais…a palavra de ordem é captar, captar, captar”, disse o presidente do BC Barcelos, que explicou que “o que temos de fazer é mostrar o clube, é despertar o interesse dos miúdos pelo Basquetebol, é dar-lhes a bola para a mão e pôr-lhe um cesto à frente”.

Considerando que “captar é, neste momento, um trabalho fundamental”, António Faria referiu que “trazer novamente os atletas para o desporto vai ser um trabalho árduo, pois foi muito tempo de inatividade e perdem-se rotinas, ganham-se outras, talvez menos saudáveis”.

Se cativar os atletas para regressar ao Basquetebol não vai ser fácil, António Faria tem consciência que a logística obrigatória devido à pandemia “complica o trabalho” e adiantou: “não temos estrutura para lidar com tudo isso. Temos de nos socorrer muito aos pais, aos elementos da direção para conseguir contornar as dificuldades e controlar tudo: fazer testes, controlar as entradas, fazer cumprir os circuitos de entrada e saída, etc”.

Comentários

Artigos relacionados

Botão Voltar ao Topo

COVID-19

Nas áreas afetadas, a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda medidas de higiene e etiqueta respiratória para reduzir a exposição e transmissão da doença: • Medidas de etiqueta respiratória: tapar o nariz e a boca quando espirrar ou tossir, com um lenço de papel ou com o antebraço, nunca com as mãos, e deitar sempre o lenço de papel no lixo; • Lavar as mãos frequentemente. Deve lavá-las sempre que se assoar, espirrar, tossir ou após contacto direto com pessoas doentes. Deve lavá-las durante 20 segundos (o tempo que demora a cantar os “Parabéns”) com água e sabão ou com solução à base de álcool a 70%; • Evitar contacto próximo com pessoas com infeção respiratória; • Evitar tocar na cara com as mãos; • Evitar partilhar objetos pessoais ou comida em que tenha tocado. Seja responsável, faça a sua parte. Respeite o isolamento social. #JUNTOSVENCEREMOS