CICLISMO

Armada minhota na Prova de Abertura – Região de Aveiro

O Minho vai estar bem representado na Prova de Abertura – Região de Aveiro que vai hoje, a partir das 12 horas, para a estrada e marca o arranque da época velocipédica para os profissionais.

São muitos os ciclistas minhotos, desde Sub-23 a consagrados, que marcam presença na primeira corrida da Taça de Portugal e hoje vão pedalar entre Aveiro e Anadia, numa extensão de 173,1 quilómetros.

As atenções vão para o ‘caloiro’ Ricardo Machado, ciclista de Braga que alinha na Kelly/Simoldes/UDO e que se vai estrear no pelotão profissional como Sub-23.

Ainda na Kelly correm mais três Sub-23: o barcelense Hélder Gonçalves e os vimaranenses Pedro Miguel Lopes e João Salgado. César Fonte, ciclista de Viana do Castelo, é o ‘peso pesado’ da equipa da Kelly e que hoje pode estar na discussão da corrida.

A Rádio Popular – Boavista é outra das equipas que conta com alguns ciclistas minhotos que prometem fazer história esta época. Começando pelos mais novos, o barcelense Pedro Silva, que vai para o segundo ano de Sub-23, pode ter uma palavra a dizer na corrida. Vinício Rodrigues, ciclista dos Arcos de Valdevez, é já um nome seguro no pelotão dos Sub-23.

Como ‘armas’ a equipa de José Santos conta com João Benta (Esposende) e o famalicense Tiago Machado.

Com muitos objetivos parte também José Mendes, ciclista de Guimarães que representa a W52-FC Porto pelo segundo ano consecutivo.

João Matias, ciclista de Barcelos, é a uma das mais valias do Louletano-Loulé Concelho. O clube algarvio conta ainda com outro minhoto, mas nos bastidores: o mecânico Lizuarte Martins, ex-ciclista da zona de Fafe.

Na Tavfer-Measindot-Mortágua alinha o Campeão da Europa de Pista, Iúri Leitão. O ciclista de Viana do Castelo é um dos nomes a ter em conta na época que arranca este domingo com a Taça de Portugal. Na formação de Mortágua está outro vianense, o massagista, e também ex-ciclista, Gaspar Silva.

Comentários

Artigos relacionados

Botão Voltar ao Topo

COVID-19

Nas áreas afetadas, a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda medidas de higiene e etiqueta respiratória para reduzir a exposição e transmissão da doença: • Medidas de etiqueta respiratória: tapar o nariz e a boca quando espirrar ou tossir, com um lenço de papel ou com o antebraço, nunca com as mãos, e deitar sempre o lenço de papel no lixo; • Lavar as mãos frequentemente. Deve lavá-las sempre que se assoar, espirrar, tossir ou após contacto direto com pessoas doentes. Deve lavá-las durante 20 segundos (o tempo que demora a cantar os “Parabéns”) com água e sabão ou com solução à base de álcool a 70%; • Evitar contacto próximo com pessoas com infeção respiratória; • Evitar tocar na cara com as mãos; • Evitar partilhar objetos pessoais ou comida em que tenha tocado. Seja responsável, faça a sua parte. Respeite o isolamento social. #JUNTOSVENCEREMOS