VOLEIBOL

Carlos Dias: “a Leonor é uma atleta com bastante potencial”

Leonor Coelho, atleta de Amares que alinha no SC Braga, encontra-se integrada na Seleção Nacional de Sub-16 que, até amanhã, está a estagiar no Porto tendo em vista a preparação para o Torneio Wevza, de qualificação para o Campeonato da Europa da categoria.

O Estágio de Natal iniciou-se no sábado e conta com duas atletas do Minho, Leonor Coelho, do SC Braga, e Maria Carlota Amaral, do VC Viana.

Carlos Dias, coordenador da Formação do SC Braga, começou por referir que “a Leonor é uma atleta com bastante potencial, não só físico, mas acima de tudo pela forma como encara o treino, a paixão que expressa pela modalidade e pelo apoio que tem dos próprios pais, que lhe proporcionam todas as condições para evoluir na modalidade. É uma atleta incrível porque reúne estas condições todas. A Leonor, na realidade começa agora um percurso e uma etapa nova. É uma forma de evoluir enquanto atleta”.

Para Carlos Dias as sucessivas chamadas aos treinos da Seleção Nacional: “vão permitir à Leonor a experiência de jogar ao mais alto nível, que lhe pode acarretar alguns benefícios e uma experiência internacional, que é sempre enriquecedora”.

O coordenador do SC Braga salienta que “a Leonor é uma atleta exemplar pela forma como encara o treino, obstinada, gosta da modalidade, vê muitos jogos, gosta muito de treinar e só isso já é suficiente bom. Ser chamada à seleção vai permitir-lhe evoluir ainda mais”.

Carlos Dias, que chegou a representar a Seleção Nacional, lembra que “ser chamado à Seleção Nacional é uma dose de motivação extra, potencia experiências de grande nível. É um orgulho imenso e abre a nossa mentalidade. A Leonor está a começar agora, mas tem condições de evoluir muito mais. É uma referência pelo comportamento que tem nos treinos, pela entrega e pela paixão”.

Comentários

Artigos relacionados

Botão Voltar ao Topo

COVID-19

Nas áreas afetadas, a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda medidas de higiene e etiqueta respiratória para reduzir a exposição e transmissão da doença: • Medidas de etiqueta respiratória: tapar o nariz e a boca quando espirrar ou tossir, com um lenço de papel ou com o antebraço, nunca com as mãos, e deitar sempre o lenço de papel no lixo; • Lavar as mãos frequentemente. Deve lavá-las sempre que se assoar, espirrar, tossir ou após contacto direto com pessoas doentes. Deve lavá-las durante 20 segundos (o tempo que demora a cantar os “Parabéns”) com água e sabão ou com solução à base de álcool a 70%; • Evitar contacto próximo com pessoas com infeção respiratória; • Evitar tocar na cara com as mãos; • Evitar partilhar objetos pessoais ou comida em que tenha tocado. Seja responsável, faça a sua parte. Respeite o isolamento social. #JUNTOSVENCEREMOS