BASQUETEBOL

Carlos Fechas “temos de continuar a trabalhar”

“Temos de continuar a trabalhar” foi assim que Carlos Fechas, treinador do Vitória SC, começou por abordar a época da Liga Placard de Basquetebol. O Vitória SC encerra o ano na oitava posição, com 15 pontos em 10 jogos.

No sábado, o Vitória SC recebeu o Imortal e perdeu por 68-73, num jogo extremamente equilibrado, decidido nos momentos finais…

Sobre o jogo de sábado, Carlos Fechas salienta que “defensivamente não estivemos mal. O Imortal tem uma média de 88 pontos e neste jogo fizeram 73. Até estivemos bastante bem. Se estivéssemos mais fortes a nível ofensivo, poderíamos ter ganho o jogo. Temos de continuar a trabalhar. Acredito que vamos estar melhor quando voltarmos e vamos subir na classificação”.

LIMITAÇÕES NA EQUIPA

Para Carlos Fechas “o facto de andarmos a trabalhar limitados, de termos atletas com lesões graves – e temos jogadores de fora há mais de dois meses -, dos casos Covid, não nos permitiu estar num nível melhor. Condicionaram a nossa condição física e a possibilidade de trabalharmos de forma diferente nos treinos, fazendo os papéis que estão a fazer no jogo. Tudo isso não nos deixa atingir o nível que queremos”.

Frente ao Imortal, o Vitória SC perdeu o jogo nos momentos finais…“demostramos alguma imaturidade e incapacidade no momento de decisão para perceber o que tínhamos de fazer e que era cumprir o que tínhamos traçado”, disse Carlos Fechas, que acrescentou: “foi um jogo muito equilibrado, frente a uma equipa um pouco mais madura, com excelentes jogadores que fazem a diferença”.

PARAGEM DO CAMPEONATO SERVE PARA RECUPERAR ATLETAS E TRABALHAR

O campeonato sofre agora uma paragem de duas semanas, período em que Carlos Fechas vai aproveitar para trabalhar outros aspetos…

“Primeiro vamos analisar os jogos, o que fizemos de bem e o que precisa de ser trabalhado. Vamos treinar essas funções e aguardar que cheguem todos os jogadores para aumentar o nível do nosso treino. Quando estivermos todos vamos melhorar, vamos aparecer mais fortes no início do ano”, disse o técnico, que lembrou que “começamos o ano a jogar de três em três dias. Vamos precisar de todos os jogadores e vamos precisar que todos estejam o melhor possível porque vai ser uma fase decisiva”.

Questionado sobre se a paragem é benéfica para o Vitória SC, Carlos Fechas referiu que “por um lado sim. Permite-nos recuperar o João Ribeiro e, à partida, já podemos contar com ele no início de janeiro. Isso pode ajudar, ele é bastante importante para nós, dá mais maturidade à equipa. Nesse sentido a paragem vai ser benéfica”.

De resto “vamos aproveitar este período para trabalharmos aspetos mais específicos. Nós estamos muito próximos do que queremos. Frente ao Imortal provamos isso. O Imortal perdeu dois jogos até ao momento, frente ao Sporting e Benfica, e a verdade é que aqui o jogo foi equilibrado e podia ter caído para qualquer lado. Não estamos longe do que pretendemos, estamos muito próximos. Podendo recuperar os atletas e não surgindo casos covid a tendência é para melhorar”.

ACADÉMICA NA TAÇA DE PORTUGAL

O Vitória SC defronta a Académica nos oitavos de final da Taça de Portugal, jogo que está marcado para 12 de janeiro.

Carlos Fechas lembra que “antes do jogo da Taça de Portugal temos três jogos decisivos. No dia três defrontamos a mesma Académica para o campeonato, segue-se o Benfica e a Ovarense. Só depois vem o jogo da Taça de Portugal. É um jogo de ‘mata-mata’, muito parecido com o embate com o Imortal. Estamos à espera de um jogo equilibrado. A Académica tem um excelente plantel e vai criar-nos muitas dificuldades, mas nós queremos ganhar. Vamos trabalhar para sermos capazes de fazer o que não fizemos no último jogo. Vamos ver se conseguimos decidir melhor”.

De resto, o Vitória SC já tem um historial na Taça de Portugal e Carlos Fechas garante que “entramos nos jogos sempre para lutar pela vitória. Vai ser um mês difícil, mas queremos sair com o saldo positivo. A Taça de Portugal é uma competição de um só jogo, em que tudo se decide numa partida e nós queremos seguir em frente. Temos de dar tudo e depois esperar pelo próximo adversário. É uma prova importante para nós, queremos estar na ‘Final Four’ como aconteceu no ano passada para aí podermos discutir a Taça”.

Comentários

Artigos relacionados

Botão Voltar ao Topo

COVID-19

Nas áreas afetadas, a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda medidas de higiene e etiqueta respiratória para reduzir a exposição e transmissão da doença: • Medidas de etiqueta respiratória: tapar o nariz e a boca quando espirrar ou tossir, com um lenço de papel ou com o antebraço, nunca com as mãos, e deitar sempre o lenço de papel no lixo; • Lavar as mãos frequentemente. Deve lavá-las sempre que se assoar, espirrar, tossir ou após contacto direto com pessoas doentes. Deve lavá-las durante 20 segundos (o tempo que demora a cantar os “Parabéns”) com água e sabão ou com solução à base de álcool a 70%; • Evitar contacto próximo com pessoas com infeção respiratória; • Evitar tocar na cara com as mãos; • Evitar partilhar objetos pessoais ou comida em que tenha tocado. Seja responsável, faça a sua parte. Respeite o isolamento social. #JUNTOSVENCEREMOS