VOLEIBOL

AVC Famalicão superior frente ao Vitória SC

O AVC Famalicão bateu, esta manhã, o Vitória SC, por 3-0, naquele que era o jogo mais interessante da 16.ª jornada do Campeonato Nacional da I Divisão feminina de Voleibol.

A equipa treinada por Vítor Oliveira entrou forte e determinada em campo, acabando por vencer o primeiro set por 18-25. No segundo set o Vitória SC reagir e conseguiu discutir o resultado, mas acabou por perder por 20-25. No terceiro e último tempo, o AVC Famalicão voltou a assumir o jogo, foi aumentando a vantagem (9-18).depois de um desconto de tempo a equipa treinada por Gilson França reagiu e conseguiu aproveitar alguma desconcentração das famalicenses para se aproximar no marcador (16-18). É então que a equipa de Vítor Oliveira volta a assumir as despesas do jogo e volta a distanciar-se, venceu por 18-25.

Com este resultado, o AVC Famalicão subiu ao quinto lugar da classificação, com 22 pontos, enquanto o Vitória SC manteve o 10.º lugar com nove pontos.

VÍTOR OLIVEIRA “TORNAMOS O JOGO FÁCIL”

“O jogo era difícil, mas sabíamos que o Vitória SC tinha perdido algumas jogadoras, com quem já tinham alguma rotina e que estas ainda não têm. Fizemos um plano de jogo bem feito e conseguimos executá-lo e tornamos o jogo mais fácil”, começou por afirmar Vítor Oliveira, treinador do AVC Famalicão.

Com este resultado, o AVC Famalicão somou a sua quarta vitória consecutiva e saltou para a quinta posição do campeonato, somando 22 pontos em 13 jogos…

“Espero que esta série de bons resultados vire rotina. O campeonato está muito forte, há muitas equipas com muito valor. Possivelmente o número de vitórias não serão tantas este ano, mas vamos lutar por elas em todos os jogos. O nosso querer e a vontade de ganhar são as mesmas, o nível do campeonato é que subiu e muito este ano”, referiu Vítor Oliveira, que lembrou que as incertezas devido à pandemia também não ajudam as equipas a ganhar consistência… “nós no sábado vamos jogar com o Sporting e ainda não sabemos se é de manhã, se é à tarde. Se temos de viajar na sexta-feira… Depois o pavilhão vai estar fechado segunda e terça-feira, porque não é nosso, e estamos impedidos de retomar já a preparação. São tantas as contingências que é difícil pedir consistência às atletas”.

De qualquer das formas: “hoje fiquei muito satisfeito com o que fizemos. Já ontem, e também vencemos, não estiveram tão bem. Bem sei que jogar de manhã, com muito frio, não é algo a que as atletas estejam habituadas. O importante é que estamos num bom momento, levamos quatro vitórias seguidas e isso é muito positivo”, disse Vítor Oliveira.

Nas próximas duas semanas, o AVC Famalicão tem agendados quatro jogos, todos eles com equipas muito complicadas e candidatas aos primeiros lugares: Sporting (nona e 18.ª jornada), Porto Vólei e CD Aves.

Vítor Oliveira considera que “o futuro é muito imprevisível…em duas semanas vamos ter quatro jogos, Sporting, Porto Vólei, Sporting e CD Aves. Depende do momento das equipas, do jogo em si. São jogos de extrema dificuldade, frente a equipas que têm jogadoras de grande valor, gente experiente. Vamos tentar preparar o melhor possível os jogos e tentar vencer. Nós sabemos que são equipas fortes, mas nós também somos uma equipa forte e podem contar connosco”.

De salientar, que o AVC Famalicão, que está impedido de contar com o contributo de Rafaella Bonifácio, reforço que se lesionou, praticamente, no início da época, conta com um grupo de atletas bastante jovem.: três atletas são Sub-21, uma atleta tem 22 anos e outra 24.

RESULTADOS

Vitória SC – Atlético VC, 0-3 (18-25; 20-25 e 18-25)

Belenenses – Leixões SC, 0-3 (23-25; 19-25;15-25)

SL Benfica – Clube Kairós, 3-2 (19-25; 23-25; 25-15; 25-20; 15-10)

AJM-FC Porto – CD Aves

Sporting CP – Castêlo da Maia GC, 3-0 (25-13; 25-16; 25-11)

Boavista FC – PV2014, 1-3 (14-25; 25-25; 18-25; 21-25)

SC Braga – Vilacondense GC, ADIADO (17 janeiro)

Fotos: AVB

Comentários

Artigos relacionados

Botão Voltar ao Topo

COVID-19

Nas áreas afetadas, a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda medidas de higiene e etiqueta respiratória para reduzir a exposição e transmissão da doença: • Medidas de etiqueta respiratória: tapar o nariz e a boca quando espirrar ou tossir, com um lenço de papel ou com o antebraço, nunca com as mãos, e deitar sempre o lenço de papel no lixo; • Lavar as mãos frequentemente. Deve lavá-las sempre que se assoar, espirrar, tossir ou após contacto direto com pessoas doentes. Deve lavá-las durante 20 segundos (o tempo que demora a cantar os “Parabéns”) com água e sabão ou com solução à base de álcool a 70%; • Evitar contacto próximo com pessoas com infeção respiratória; • Evitar tocar na cara com as mãos; • Evitar partilhar objetos pessoais ou comida em que tenha tocado. Seja responsável, faça a sua parte. Respeite o isolamento social. #JUNTOSVENCEREMOS