VOLEIBOL

AVC Famalicão disputa ‘Nacional’ Juniores B

O AVC Famalicão vai disputar o Campeonato Nacional de Juniores B (Sub-21) femininos de Voleibol. A estreia estava marcada para domingo, frente a FC Amares, mas devido às novas regras impostas devido à pandemia, o jogo teve de ser alterado e ficou marcado para seis de dezembro.

“Estamos ansiosos por começar. Depois desta paragem mais prolongada que o esperado o que queremos é mesmo começar a competir”, disse João Carlos Carvalho.

O AVC Famalicão esteve inserido na Poule de Acesso à B1, que apenas ficou decidida no fim de semana, com o Gueifães a juntar-se ao CD Aves na subida de divisão. Interrogado sobre se a equipa ficou afetada pelo afastamento da B1, João Carlos Carvalho salientou que “depois do jogo com o CD Aves, sabíamos que este cenário era o mais provável de acontecer. Agora estamos focados nos novos objetivos”.

O AVC Famalicão tem como adversários nesta fase o CARTaipense, FC Amares, SC Braga e Vitória SC. João Carlos Carvalho salienta que “dos nossos adversários tenho pouca informação. Imagino que o SC Braga possa ter uma equipa parecida com a da época passada de Juniores. Quanto aos restantes, acredito que tenham grandes valias e merecem sempre a nossa preocupação na preparação dos jogos”.

À entrada para um novo campeonato – e já com alterações de horário – o técnico das famalicenses mostra-se algo receoso… “nestes tempos de incerteza, temo que algum elemento da equipa possa ter a infelicidade de contrair o vírus e obrigue a novas paragens, tanto do campeonato como dos treinos”, de resto “os receios desportivos, fazem parte do dia a dia, tendo sempre presente os nossos valores e os objetivos a que nos propomos”.

Tem sido fácil manter a rotina dos treinos e a motivação das atletas?

“Até ao momento não temos tido nenhum problema e tentamos que as rotinas sejam as mais naturais possíveis, sempre com todos os cuidados necessários que o momento pandémico exige”, disse o treinador do AVC Famalicão, que adiantou que “motivação tem de haver! Estamos a fazer algo que todos gostamos muito de fazer, e, enquanto nos deixam, temos de aproveitar”.

Comentários

Artigos relacionados

Botão Voltar ao Topo

COVID-19

Nas áreas afetadas, a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda medidas de higiene e etiqueta respiratória para reduzir a exposição e transmissão da doença: • Medidas de etiqueta respiratória: tapar o nariz e a boca quando espirrar ou tossir, com um lenço de papel ou com o antebraço, nunca com as mãos, e deitar sempre o lenço de papel no lixo; • Lavar as mãos frequentemente. Deve lavá-las sempre que se assoar, espirrar, tossir ou após contacto direto com pessoas doentes. Deve lavá-las durante 20 segundos (o tempo que demora a cantar os “Parabéns”) com água e sabão ou com solução à base de álcool a 70%; • Evitar contacto próximo com pessoas com infeção respiratória; • Evitar tocar na cara com as mãos; • Evitar partilhar objetos pessoais ou comida em que tenha tocado. Seja responsável, faça a sua parte. Respeite o isolamento social. #JUNTOSVENCEREMOS