VOLEIBOL

FC Amares estreia-se frente ao Vilacondense

O FC Amares desloca-se amanhã, pelas 20.30 horas, a Vila do Conde para defrontar o Ginásio Vilacondense, em jogo da segunda jornada da primeira fase do Campeonato Nacional da III Divisão masculina de Voleibol.

Em Amares o encontro está a ser aguardado com alguma expetativa, pois será o primeiro do clube que regressa ao convívio do Voleibol e com uma equipa Sénior, que surgiu um pouco por acaso…

“Esta equipa surge um pouco por acaso e sem o clube estar à espera. Quando lançamos o anúncio para a captação de jovens com idade superior a 14 anos, a ideia era recrutar meninas, mas a verdade é que na primeira reunião apareceram bastantes rapazes. Perante o número elevado de atletas, analisamos o que podíamos fazer, se podíamos construir uma equipa masculina. Como a maioria dos jovens tinham entre os 18 e os 19 anos, decidimos então avançar com uma equipa Sénior. Esta é uma oferta que não havia em Amares e não rivaliza com a oferta que já existia”, começou por referir Pedro Pereira, treinador da equipa do FC Amares.

 

COM OS TREINOS FORAM SURGINDO MAIS ATLETAS

 

Aquele responsável adiantou que “com a criação da equipa e o arranque dos treinos foram aparecendo outros elementos, nomeadamente, de Amares, que tinham deixado a prática desportiva e que decidiram regressar agora juntando-se a este projeto”.

“Também temos atletas que jogavam noutras equipas, nomeadamente, o Vitória SC, mas que são de Braga e que consideram que é mais fácil treinar e jogar em Amares do que ir para Guimarães”, disse Pedro Pereira, que referiu que “tenho uma mistura de atletas muito diferentes. Uns têm alguma experiência, outro sem experiência alguma, outros que estavam parados… Posso dizer que alguns deles têm um potencial que me surpreende”.

O FC Amares está a treinar há cerca de um mês em pavilhão, mas “aproveitamos o facto do verão ter sido um pouco mais prolongado e trabalhamos ao ar livre. Fiquei muito satisfeito com o trabalho e com a forma como eles se entregaram aos trabalhos”.

Agora arranca o campeonato. O FC Amares está na Série A, juntamente com Juventude Pacense, Ginásio Vilacondense e AD Esposende. Quanto a objetivos?

“Estes 10, 12 jogos vão funcionar como jogos-treino para nós. Uma vez que já estamos apurados para a fase nacional, vamos aproveitar o jogo para evoluir, para aprender. Mais do que o resultado queremos dar competências aos atletas, para eles saberem o que é isto do Voleibol federado”, disse Pedro Pereira.

 

OPÇÃO PELA EQUIPA SÉNIOR

 

A equipa do FC Amares tem uma média de idades muito jovem. Porque a opção pela equipa Sénior?

“Porque na III Divisão Nacional há uma maior diversidade na qualidade das equipas, do que nos Sub-21. Acredito que nos Juniores B a realidade será muito próxima das femininas, equipas fortíssimas, em termos desportivos muito superior a nós. Já na III Divisão vamos encontrar equipas muito parecidas connosco. Para uma equipa que está a começar, sem qualquer tipo de experiência, esta é a situação ideal”.

O Campeonato Nacional da III Divisão arranca no fim de semana – depois do adiamento da primeira jornada devido à pandemia e às medidas preventivas – e Pedro Pereira garante que “este vai ser o primeiro choque…perceber o que é isto do voleibol federado. Pode ser interessante ver a reação deles, a forma como eles mudar o chip do treino, dos jogos do desporto escolar para uma competição deste tipo”.

Pedro Pereira considera que “este choque de realidade” pode ser “o combustível para chegarem ao treino seguinte e querer treinar mais, dar mais. Pode, e espero, que seja positivo para a equipa querer ainda mais. É uma equipa com um potencial bastante grande. Fiquei surpreendido com alguns jogadores”.

 

ARRANQUE EM VILA DO CONDE

 

O FC Amares começa o campeonato esta sábado e Pedro Pereira salienta que “tudo isto é muito difícil, não vamos ter os jogadores todos, não temos o processo de inscrição concluído”, depois “o início é uma incógnita, não sabemos como vão reagir. Penso que o pior é que não estamos na máxima força, porque há processo que não estão concluídos e isso preocupa-me muito até porque para uma boa parte destes atletas esta será a sua primeira experiência como federados”.

Pedro Pereira considera que “se a equipa tivesse opção preferia treinar mais algum tempo antes de iniciaram a competição. Eles querem treinar, mesmo com as limitações e tipo de situação que vivemos há motivação para treinar. Como treinador estou com expetativa para este início de campeonato para ver como reage numa realidade nova e penso que os jogadores também devem ter”.

Comentários

Artigos relacionados

Botão Voltar ao Topo

COVID-19

Nas áreas afetadas, a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda medidas de higiene e etiqueta respiratória para reduzir a exposição e transmissão da doença: • Medidas de etiqueta respiratória: tapar o nariz e a boca quando espirrar ou tossir, com um lenço de papel ou com o antebraço, nunca com as mãos, e deitar sempre o lenço de papel no lixo; • Lavar as mãos frequentemente. Deve lavá-las sempre que se assoar, espirrar, tossir ou após contacto direto com pessoas doentes. Deve lavá-las durante 20 segundos (o tempo que demora a cantar os “Parabéns”) com água e sabão ou com solução à base de álcool a 70%; • Evitar contacto próximo com pessoas com infeção respiratória; • Evitar tocar na cara com as mãos; • Evitar partilhar objetos pessoais ou comida em que tenha tocado. Seja responsável, faça a sua parte. Respeite o isolamento social. #JUNTOSVENCEREMOS