CICLISMO

Luís Ribeiro: “foi uma experiência muito positiva”

Luís Ribeiro, de 16 anos, estreou-se este ano no mundo do ciclismo com as cores da Escola Ciclismo Carlos Carvalho e garante que “foi uma experiência muito positiva”.

O pior para o jovem ciclista do Minho “foi a pandemia que alterou todo o calendário de provas e nos impediu de fazermos o que mais gostamos”. Mesmo assim “fiz quatro corrida, o Prémio HM Motor, o Campeonato Nacional de Rampa e duas provas de XCO. Queria ter feito muitas mais, mas não foi possível”.

Luís Ribeiro não participou na Prova de Abertura de Cadetes, que se disputou em março, por se encontrar lesionado: “estava com dores no joelho devido a uma queda que tinha sofrido na semana anterior” e lembra que “nós na estrada temos de olhar por nós e pelos outros… dessa vez cai devido a um descuido do condutor do automóvel e tive mesmo que ir ao chão”.

SUBIDA A JÚNIOR E À PROCURA DE NOVA EQUIPA

Luís Ribeiro mal se estrou com as cores do EC Carlos Carvalho e já está de partida. A equipa de Famalicão não vai ter a categoria de Juniores e Luís Ribeiro e Diogo Mendes terão de procurar uma nova equipa… “não sei para onde vou correr, sei apenas que quero continuar a correr. Pretendo levar o ciclismo para a frente”.

E até aonde gostavas de chegar? “Gostava de ter a minha oportunidade no ciclismo profissional”, garante Luís Ribeiro, que acrescentou que “sei que ainda tenho muito que aprender, cheguei agora ao ciclismo federado. Tenho de trabalhar muito mais, mas o trabalho é contínuo e o importante é gostar e nunca desistir”.

AFICIONADO PELAS BICICLETAS

Apesar de não haver provas Luís Ribeiro mantem-se a treinar: “os treinos continuam sempre, com mais ou menos intensidade”. De resto, o ciclista da EC Carlos Carvalho garante que “sou um aficionado pelas bicicletas e passo imenso tempo a ver vídeos para poder aprender mais”.

“Ando de bicicleta desde muito cedo…recebi a minha primeira bicicleta aos cinco anos, mas comecei a levar o ciclismo mais a sério nos últimos dois anos. Entrei para a EC Carlos Carvalho e foi uma boa experiência apesar das poucas provas que tivemos”, disse o jovem de Pousada de Saramagos.

O DESEJO DE SE ESTREAR NO CICLOCROSSE

Luís Ribeiro aguarda a possibilidade de se estrear este no Ciclocrosse e a primeira competição – se não houver adiamentos – será no domingo com a realização da primeira prova da Taça de Portugal em Melgaço.

“Nunca fiz Ciclocrosse, mas sempre admirei a vertente e gostava de experimentar” garante o ciclista da EC Carlos Carvalho, que confessa que “a vertente que mais prefiro é o BTT, mas não descuro a estrada e gostei da experiência”.

À parte o ciclismo, Luís Ribeiro está empenhado nos estudos “estou a tirar um curso de mecatrónica automóvel”, até porque “temos de estar preparados para o caso do ciclismo não correr bem”.

De resto, a pandemia do Covid-19 pode levar, na próxima época, a novos cancelamentos de algumas provas: “para que não voltemos a ter um ano estranho como este, todos nós temos de fazer o nosso trabalho e seguir as medidas anunciadas como o distanciamento social, a desinfeção das mãos, uso de máscara, etc”.

Comentários

Artigos relacionados

Botão Voltar ao Topo

COVID-19

Nas áreas afetadas, a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda medidas de higiene e etiqueta respiratória para reduzir a exposição e transmissão da doença: • Medidas de etiqueta respiratória: tapar o nariz e a boca quando espirrar ou tossir, com um lenço de papel ou com o antebraço, nunca com as mãos, e deitar sempre o lenço de papel no lixo; • Lavar as mãos frequentemente. Deve lavá-las sempre que se assoar, espirrar, tossir ou após contacto direto com pessoas doentes. Deve lavá-las durante 20 segundos (o tempo que demora a cantar os “Parabéns”) com água e sabão ou com solução à base de álcool a 70%; • Evitar contacto próximo com pessoas com infeção respiratória; • Evitar tocar na cara com as mãos; • Evitar partilhar objetos pessoais ou comida em que tenha tocado. Seja responsável, faça a sua parte. Respeite o isolamento social. #JUNTOSVENCEREMOS