CICLISMO

José Dias “resta-nos esperar que todos cumpram para que possamos ter corridas”

José Dias, ciclista de Barcelos que alinha na Fortunna-Maia, mal teve tempo de se mostrar este ano. As corridas marcadas e realizadas de Ciclismo de Estrada de Sub-23 foram escassas. No último mês foram canceladas duas competições (o Prémio ‘O jogo’ e o GP JN)… aquelas que seriam a grande esperança dos jovens ciclistas para encerrar uma época atípica.

Cancelada a última competição da época de 2020, os ciclistas preparam-se agora para o merecido descanso. Até porque “foi uma época muito complicada com poucas corridas”, como salienta José Dias. O ciclista, que fez a sua formação do CC Barcelos, lembra que “a época foi apanhada de surpresa pelo Covid. Ninguém sabia o que fazer com esta pandemia e até isto passar ainda pode demorar muito tempo”.

Mas se até aqui o vírus era uma novidade “agora já toda a gente está bem informada sobre o vírus, os riscos e os comportamentos que se devem seguir” disse José Dias, que lembrou que “nós como ciclistas já sabemos como funciona uma prova, sobre os cuidados a ter durante a pandemia, agora resta-nos esperar que o resto da população nos ajude a ter o máximo de cuidado com o vírus, para que toda a gente possa seguir as suas vidas com a maior normalidade possível e nós ciclistas possamos voltar a ter corridas com mais frequência”.

“NÓS CICLISTAS TEMOS SEMPRE DE PENSAR NO FUTURO”

As indecisões que marcaram a época do Ciclismo de Estrada levam os ciclistas a pensar no futuro… mais do que é habitual.

“Nós ciclistas temos sempre de pensar no futuro, seja quais forem as circunstâncias. Agora com o cancelamento do JN, grande parte do pelotão vai fazer um período de ‘férias’ da bicicleta e daqui a três, quatro semanas já se começa a trabalhar para a próxima época” referiu José Dias, que adiantou que “esta fase costuma ser um período muito atarefado para os ciclistas, porque muitos andam à procura de equipa para o próximo ano”.

Quanto à próxima época “embora não tenhamos qualquer ideia de quando será a próxima prova devido à incerteza que existe, temos de estar preparados para a eventualidade de a época começar em fevereiro como tem acontecido todos os anos”.

AS FÉRIAS, AS COMIDAS CASEIRAS…E OS ESTUDOS

Com a época encerrada e as férias a caminho José Dias olha para o lado bom do momento: “esta é aquela altura do ano em que, normalmente, os ciclistas fazem o que não podem fazer o ano inteiro, nomeadamente comer aquilo que mais gostam e fazer outro tipo de atividades”.

No teu caso, o que te vai saber bem comer por estes dias? “Um bocado de tudo. Nomeadamente, aqueles pratos caseiros da minha mãe, arroz de cabidela, cabrito assado e claro alguns bolos”, confessa o ciclista de Barcelos.

A par do ciclismo, José Dias não descura os estudos. A pandemia, as restrições nos treinos ao ar live, numa primeira fase, a ausência de provas, levaram o jovem de 20 anos a aplicar-se nos estudos e terminou o primeiro ano de Engenharia de Sistemas Informáticos, no Instituto Politécnico do Cávado e Ave (IPCA) com boas notas. Agora já começaram as aulas referentes ao segundo ano e… “estão a correr bem, o IPCA está a apostar cada vez mais em regressar ao regime presencial. No meu caso, a minha turma é dividida em dois turnos e uma semana um turno está em aulas presenciais e outro online e na outra semana troca. Na minha opinião, o IPCA está a fazer um excelente trabalho com muitos cuidados. E como eu prefiro e acho que rende muito mais o regime presencial este arranque das aulas está a correr bem”.

De resto “nesta altura tenho sempre muito mais tempo para estudar, como não tenho que treinar tanto é normal andar menos atarefado e dedicar-me mais aos estudos”.

Comentários

Artigos relacionados

Botão Voltar ao Topo

COVID-19

Nas áreas afetadas, a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda medidas de higiene e etiqueta respiratória para reduzir a exposição e transmissão da doença: • Medidas de etiqueta respiratória: tapar o nariz e a boca quando espirrar ou tossir, com um lenço de papel ou com o antebraço, nunca com as mãos, e deitar sempre o lenço de papel no lixo; • Lavar as mãos frequentemente. Deve lavá-las sempre que se assoar, espirrar, tossir ou após contacto direto com pessoas doentes. Deve lavá-las durante 20 segundos (o tempo que demora a cantar os “Parabéns”) com água e sabão ou com solução à base de álcool a 70%; • Evitar contacto próximo com pessoas com infeção respiratória; • Evitar tocar na cara com as mãos; • Evitar partilhar objetos pessoais ou comida em que tenha tocado. Seja responsável, faça a sua parte. Respeite o isolamento social. #JUNTOSVENCEREMOS